A verdade como questão em A paixão segundo G.H., de Clarice Lispector

Antônio Máximo Gomes Ferraz, Ana Maria Ferreira Torres

Resumo


O trabalho pretende investigar como se dá o desvelamento da questão da verdade em A paixão segundo G.H., de Clarice Lispector. Entendemos que a obra literária é caracterizada pelo desvelar de questões ontológicas que não podem ser definidas, como, por exemplo, a vida, a morte, a liberdade, o bem, o mal, o destino e na presente interpretação, a questão da verdade. Cada obra apresenta um pensamento originário das questões nela presentes. A personagem G.H. era acostumada à beleza dos acréscimos, como por exemplo, os conceitos que formara para si, a fim de não precisar questionar-se. Ao encontrar uma barata em um quarto vazio de seu apartamento, G.H. é levada a questionar sua noção de verdade como correção e adequação do pensamento (correspondente à palavra grega orthotes e à palavra latina veritas) para considerar a verdade como desvelamento (correspondente ao termo grego aletheia). É esta mudança o que conduz a travessia da personagem. Utilizou-se como método a interpretação hermenêutico-fenomenológica da obra, ou seja, a leitura da obra a partir das questões que ela manifesta a partir de si mesma, evitando incorrer na aplicação de teorias prévias ao acontecer da própria arte. Dialogamos com pensadores tais como Martin Heidegger, Platão, Friedrich Nietzsche, entre outros.


Palavras-chave


Literatura Brasileira

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/soletras.2015.18517

Licença Creative Commons

SOLETRAS online - ISSN 2316 8838

Revista do Departamento de Letras

Faculdade de Formação de Professores da UERJ

Rua Dr. Francisco Portela, 1470 - Patronato - São Gonçalo - RJ

Cep: 24435-005 - e-mail: soletrasonline@yahoo.com.br