A reformulação das portarias do ENEM: uma análise discursiva das diferentes versões

Amilton Flávio Coleta Leal, Cristiane Pereira dos Santos, Ana Luiza Artiaga Rodrigues da Motta

Resumo


Neste trabalho, o tema linguagem e sentido são trabalhados na perspectiva da Análise de Discurso, fundada nos trabalhos de Michel Pêcheux, na França e Eni Orlandi, no Brasil. Objetivamos refletir o processo de instituição jurídica do ENEM, a política avaliativa do Exame e uma análise das reformulações das três principais portarias, desde que fora instituído, em 1998, até 2012. Destacamos a relevância deste estudo para o domínio da linguagem, sobretudo, para os pesquisadores que se voltam a pensar sobre as políticas educacionais, uma vez que a política avaliativa do Exame Nacional constitui-se como o instrumento avaliador e quantificador das competências dos candidatos que, por sua vez, direcionam as políticas de Estado em relação ao cenário escolar. Dessa forma, dizemos que refletir sobre a política nacional de avaliação do ENEM, nos fez pensar numa questão muito ‘cara’ ao ensino no Brasil: a relação sujeito/escrita.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/soletras.2015.18451

Licença Creative Commons

SOLETRAS online - ISSN 2316 8838

Revista do Departamento de Letras

Faculdade de Formação de Professores da UERJ

Rua Dr. Francisco Portela, 1470 - Patronato - São Gonçalo - RJ

Cep: 24435-005 - e-mail: soletrasonline@yahoo.com.br