Intolerância religiosa: o discurso etnocêntrico da Igreja Universal contra as religiões de matriz africana

Giovani Zanirati

Resumo


A presente pesquisa tem como objetivo apresentar o discurso etnocêntrico da Igreja Universal do Reino de Deus, liderada pelo Bispo Edir Macedo, contra as religiões de matriz africana. Diante essa controvérsia questão existe, desde o período colonial, um histórico de opressão e de violência contra a população negra. Dessa forma, ao aproveitar este cenário, o Bispo Edir Macedo soube transformar a IURD em um dos maiores fenômenos religiosos do mundo, contribuindo para a desqualificação do imaginário social dos adeptos das religiões de origem africana no Brasil. Por fim, para realizar a pesquisa, utilizo fontes bibliográficas de grande valor para a compreensão do presente cenário.


Palavras-chave


Etnocentrismo; intolerância religiosa; Igreja Universal; Edir Macedo; África

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Art. 5 da Constituição Politica do Imperio do Brazil (25 de março de 1824). Disponível em < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao24.htm>. Acesso: 17 abril. 2020.

BRASIL. Art. 5 da Constituição da República Federativa do Brasil. (05 de Outubro de 1988). Disponível em < https://www.senado.leg.br/atividade/const/con1988/CON1988_05.10.1988/art_5_.asp>. Acesso: 17 abril. 2020.

CARDOSO DE OLIVERIA, Roberto. O trabalho do antropólogo. Cap.1 O trabalho do antropólogo: olhar, ouvir e escrever, p. 17-37. Editoras Unesp e Pararelo 15. 2000.

CASTRO, Celso. Evolucionismo Cultural textos de Morgan, Tylor e Frazer. Editora Zahar. 2° edição. 2005.

CASTRO, Celso. Franz Boas. Antropolgia Cultural. Editora Zahar. 2005.

CUNHA, Luiz Antônio. A educação brasileira na primeira onda laica: do Império a República. Edição do autor. 2017.

DAMATTA, Roberto. Relativizando Uma introdução à antropologia social. Editora Rocco LTDA 5° edição. 1997.

GIUMBELLI, Emerson. A presença do religioso no espaço público: modalidades do Brasil. Religião e Sociedade, Rio de Janeiro, v.28, n-2, p.80-101.

LAPLANTINE, François. Aprender Antropologia. Editora brasiliense. 15° edição. 2003

LARAIA, Roque de Barros. Cultura um conceito antropológico. Jorge Zahar Editor. 14° Edição. 2001.

MACEDO, Edir. Orixás, Caboclos e Guias. Deuses ou Demônios? Editora Unipro 18° Edição. 2019.

MARIANO, Ricardo. Igreja Universal do Reino de Deus: a magia institucionalizada. Revista USP, São Paulo, setembro/dezembro 1996.

MARIANO, Ricardo. A Expansão pentecostal no Brasil: o caso da Igreja Universal. Estudos avançados. 2004.

MENESES, Paulo. Revista SymposiuM, ano 3, Número especial, 1999.

OLIVEIRA, Amurabi. A vez das religiões afro-brasileiras no ensino religioso? As possibilidades e limites abertos pela lei n.º 10.639/03. Revista de Estudos e de Pesquisa da Religião, Juiz de Fora, v. 17, n. 1, p. 171-188, 2014.

ORO, Ari Pedro. A laicidade no Brasil e no Ocidente. Algumas considerações. Civitas – Revista de Ciências Sociais, v. 11, n 2, p. 221-237, 2011.

ORO, Ari Pedro. Neopentecostais e afro-brasileiros: quem vencerá esta guerra? Debates do Ner, v. 1, n. 1, p. 10-36, 1997.

ROCHA, Everardo P. Guimarães. O que é etnocentrismo. Editora brasiliense. 1988

SILVA, Jorge da. Guia de Luta contra a Intolerância Religiosa e o Racismo. Organização: Centro de Articulação de Populações Marginalizadas (CEAP) e Prof°. Dr° Babalawô Ivanir dos Santos. Coordenação Editoral: Prof°. Dr° Babalawô Ivanir dos Santos, 2° Edição, 2019.

SOUZA, Etiane Caloy Bovkalovski. A Imagem do Diabo nos livros de Edir Macedo da Igreja Universal do Reino de Deus. Dissertação apresentada como requisito parcial à obtenção do grau de mestre. Curso de Pós-Graduação em História, Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Paraná. 2000

ZANIRATI, Giovani. Ensino Religioso em escolas públicas de Porto Alegre: Modelos gerais e práticas específicas. Monografia de Bacharelado em Ciências Sociais, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 2018.

ZYLBERSZTAJN, Joana. O princípio da laicidade na Constituição de 1988. Tese de Doutorado. São Paulo: Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, 2012.




DOI: https://doi.org/10.12957/riae.2020.54603

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2359-6856

 


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 

Indexada em:


 

 

Realização: