Formação de professores: (re)construindo sentidos e fazeres na educação para as relações étnico-raciais

Joelma dos Santos Rocha Trancoso, Juliana Melo Rodrigues Lucas, Antonio Henrique Pinto

Resumo


Este artigo tem por temática as nuances do movimento formativo de docentes concebido pela interculturalidade numa perspectiva dialógica. Seu objetivo é compreender a produção de sentidos e desdobramentos no contexto de sala de aula dos professores concluintes do curso “Educação para as Relações Étnico-Raciais na rede municipal de ensino da Serra: promovendo a diversidade na escola” voltada para valorização das diferenças justificado pelas leis 10.639/03 e 11.645/08 e embasado em um currículo decolonial crítico. O percurso metodológico escolhido vai ao encontro da fundamentação teórica, pois trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa do tipo participante onde as pesquisadoras se faziam inseridas e operantes nas ações formativas.  A análise foi realizada por meio da discussão crítico-reflexiva, compreendendo a relação dialógica da pesquisa baseada em Freire (2016). Os resultados demonstram a importância da formação que aposta nos educadores enquanto sujeitos ativos do processo. Foi constatado no contexto de sala de aula a potência desses profissionais como agentes transformadores, que fomentam o desenvolvimento pessoal e social das/dos crianças/estudantes, numa ótica sociocultural.

 


Palavras-chave


formação de professores; educação das relações étnico-racias; currículo decolonial crítico; lei 10.639/03; lei 11.645/08.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/teias.2022.70211

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - A2 (2017/2018) 
DOI: 10.12957/teias

 

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional