Caosgrafia do amor docente

Verônica Domingues Almeida

Resumo


Apresenta-se a caosgrafia, uma metodologia criada em uma pesquisa de Doutorado em Educação. Tendo como temática amor e docência, objetivou tensionar a vinculação do amor à representações cristalizadas e a juízos de valor que impõe perfis à profissão, apresentando paisagens da docência, esboçadas por professores no Facebook. Engendrada em uma postura complexa e multirreferencial, estabelecida entre a Bricolagem de Lévi-Strauss e a ampliação de Kincheloey, e a Geofilosofia de Deleuze e Guattari, a caosgrafia empreendeu uma bricolagem acêntrica, construída em ensaios metodológicos, delineados por um mapa - roteiro-esboço-coreografias - que contemplou o atravessamento de referências heterogêneas sobre o amor, as quais coabitam na contemporaneidade e ressoam no campo da Educação. Como resultados, apresentou duas paisagens de amor e docência no Facebook: “Bailes dos 15 de outubro” e “Focos de abominação a Paulo Freire”. Propôs, ainda, que fundemos novas éticas amorosas efetivadas no esteio de uma educação para as relações. 


Palavras-chave


amor; docência; metodologia de pesquisa.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/teias.2021.51324

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - A2 (2017/2018) 
DOI: 10.12957/teias

 

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional