DEMOCRACIA QUE TEMOS/QUEREMOS, MEDIANTE O CONSERVADORISMO NAS POLÍTICAS EDUCACIONAIS

Francisca Pereira Salvino, Lenilda Cordeiro Macedo

Resumo


Este artigo analisa significados de democracia, recorrentes durante a reconstrução do currículo de Pedagogia (UEPB/campus I), enfatizando os modos de participação dos sujeitos.  Reconhece que as políticas educacionais refletem um avanço do conservadorismo quando promove o realinhamento do neoliberalismo, que afetam de forma mais insidiosa as identidades historicamente discriminadas em função de diferenças culturais. Todavia, argumenta que determinadas reações às referidas políticas também se configuram como conservadoras, deixando de apresentar alternativas a paradigmas autoritários. Para tanto, recorre aos procedimentos da observação participante e a estudiosos/as como Ernesto Laclau, Cahntal Mouffe, Stephen Ball, Fernandes Enguita, dentre outros/as.

DOI: https://doi.org/10.12957/teias.2016.25879


Palavras-chave


Pedagogia. Currículo. Democracia.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/teias.2016.25879

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - A2 (2017/2018) 
DOI: 10.12957/teias

 

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional