COLETIVIDADE, COLABORAÇÃO E EXPERIÊNCIA: PRESSUPOSTOS PARA A INCLUSÃO ESCOLAR E A APRENDIZAGEM DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL

Regina Celia Linhares Hostins, Cristiane de Silva, Adriana Gomes Alves

Resumo


Neste artigo, desenvolve-se uma reflexão sobre inclusão escolar e deficiência intelectual. Exploram-se os conceitos de coletividade, de colaboração e de experiência, sustentados nas elaborações teóricas de Vygotski. Valendo-se da teoria histórico-cultural e da análise de episódios de ensino na classe comum da escola inclusiva, busca-se demonstrar a fecundidade desses conceitos para as experiências de escolarização e de aprendizagem de alunos com deficiência intelectual. Na análise dos episódios, revelam-se as (im)possibilidades de ampliação dos espaços e formas de colaboração na configuração das práticas escolares e a transformação dessas formas coletivas em formas individuais de  conduta, em experiência, sentimento, vivência emocional e intelectual, constitutivas da personalidade das crianças.

DOI: https://doi.org/10.12957/teias.2016.25520


Palavras-chave


inclusão escolar; deficiência intelectual; coletividade; colaboração; experiência.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/teias.2016.25520

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - A2 (2017/2018) 
DOI: 10.12957/teias

 

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional