TRABALHO INFANTOJUVENIL: notas sobre concepções e práticas.

Laura Souza Fonseca

Resumo


O trabalho infantojuvenil, parte da composição orgânica do capital, em nível mundial, garante redução de preço de mercadorias exportadas e em países como o Brasil, assegura produção imediata a baixo custo e, de forma mediata, potencializa sobrantes. O artigo analisa concepções e práticas sobre o trabalho infantojuvenil, tendo como campo políticas protetivas ao infantojuvenil, dialogando com a produção do GTTE da ANPEd sobre a temática. Para concluir apontando dificuldades de dar combate à contradição principal do fenômeno – crianças e adolescentes inseridos de forma precoce e⁄ou desprotegida no mundo do trabalho – a perda da potência ontológica do trabalho.
Palavras-chave: exploração do trabalho infantojuvenil; concepções e práticas; políticas protetivas.

Palavras-chave


Educação; Trabalho; Educação

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - A2 (2017/2018) 
DOI: 10.12957/teias

 

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional