DA ARTE DOCÊNCIA E INQUIETAÇÕES CONTEMPORÂNEAS PARA A PESQUISA EM EDUCAÇÃO

Luciana Gruppelli Loponte

Resumo


O presente artigo tem como principal objetivo apresentar considerações em torno de uma formação docente aliada às artes, estética, e as inquietações advindas daí, em especial com um foco nas provocações que as artes visuais contemporâneas podem trazer para nossos modos de pensar e problematizar a docência, em qualquer nível de ensino ou área de conhecimento. As discussões levantadas no texto emergem das pesquisas “Arte e estética da formação docente” (concluída em 2010) e “Arte contemporânea e formação estética para a docência” (em andamento). Nestes estudos, atualiza-se a questão sobre a possibilidade de espaços para a arte e a criação na docência, que também passa a significar o indagar-se sobre “os modos de criar espaços para a arte e a criação na formação docente”, assumindo a dimensão estética (ou uma determinada dimensão estética) como fundamental para a formação docente em qualquer área, não apenas em arte. Além de ensaiar possibilidades em torno dessas temáticas, em especial, a partir de pesquisas já realizadas, o artigo pretende contribuir para processos e políticas de formação docente continuada em vários níveis de ensino. Para esta discussão, os principais interlocutores teóricos são os filósofos Michel Foucault e Friederich Nietzsche, além de outros parceiros artísticos e filosóficos que ajudam a dar mais densidade às questões levantadas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - A2 (2017/2018) 
DOI: 10.12957/teias

 

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional