RECONSTRUÇÃO DO FAZER DOCENTE: PSICANÁLISE E SOCIEDADE

Maria Angélica Augusto de Mello Pisetta

Resumo


Resumo:
Mudanças nas relações sociais nas últimas décadas tem gerado um impacto indisfarçável em todas as esferas da cultura. Fala-se em pós-modernidade (Bauman, 1998), queda das identificações patriarcais; perda do valor social atribuído à autoridade institucional e desautorização docente (Esteve, 1999 e Pereira, 2012). Pretendemos discutir este impacto na docência, através da análise do que vem a ser conhecer em Vigotski, Wallon e Freud, bem como discutir a necessidade de (re)construção do fazer docente na perspectiva das mudanças vigentes. Abordaremos a necessidade de reformulações do vínculo educativo, de modo a proporcionar a aprendizagem da convivência (Nicolescu, 1999) tendo em vista a perda dos referenciais modernos em torno das relações sociais, que balizavam as relações entre professores e alunos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - A2 (2017/2018) 
DOI: 10.12957/teias

 

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional