A MOBILIZAÇÃO POPULAR E COMUNITÁRIA PARA A IMPLANTAÇÃO DE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Antonia Brito Rodrigues, Nadja Maria Castilho da Costa

Resumo


Este trabalho visa discutir os mecanismos que poderão conduzir as comunidades em geral, particularmente as que habitam encostas favelizadas, a se mobilizarem e se organizarem em trabalho comunitário, educando sua população para o exercício da cidadania. A organização de um trabalho comunitário e a sobrevivência das entidades (associações, conselhos etc.) dependem da mobilização e participação comunitárias, quer dizer, da ação cooperativa dos seus membros. Objetiva-se também o reconhecimento e a conscientização da população sobre a importância de valorizar o lugar onde se vive, participando ativamente para a promoção de uma vida coletiva e próspera. A mudança de comportamento contribuirá, não somente para a melhoria da qualidade de vida da população nelas residentes, como também conduzirá à conservação efetiva dos recursos naturais que ainda restam nas áreas protegidas, principalmente do Parque Estadual da Pedra Branca, segunda mais importante Unidade de Conservação do Município do Rio de Janeiro.

Palavras-chave


educação ambiental; educação popular; organização comunitária

Texto completo:

Texto completo [PDF]

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - A2 (2017/2018) 
DOI: 10.12957/teias

 

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional