EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSÃO: O QUE MOSTRAM AS INICIATIVAS DE FORMAÇÃO CONTINUADA?

Giselle Coutinho Ferreira, Alexandre Toman

Resumo


Um conjunto de diretrizes políticas e documentos legislativos orienta a Educação Especial em nosso país, hoje, fundamentada sob a perspectiva da Educação Inclusiva. No entanto, se por um lado o sistema escolar se alinha com posturas mais avançadas em relação aos direitos dos alunos com deficiência, por outro apresenta limitações para viabilizar esses direitos. Motivado por esse contexto, o presente artigo tem como objetivo sinalizar a falta de alinhamento entre o que preveem as políticas educacionais voltadas para perspectiva inclusiva e o cotidiano de nossas escolas, além de apontar as possibilidades representadas pela formação continuada diante desse cenário. Para tanto, através de uma revisão do tipo integrativa, selecionamos artigos que apresentam propostas de formação continuada. Levantamos nesses estudos as dificuldades observadas no cotidiano das escolas e os resultados alcançados através das propostas de formação. Em seguida, apresentamos uma análise desses dados. Os resultados obtidos evidenciam o potencial das iniciativas voltadas para formação continuada de professores para atender às demandas relacionadas à proposta educacional inclusiva e para lidar com as dificuldades observadas no cotidiano das escolas. Reforça-se, assim, a importância desse recurso diante das dificuldades observadas em relação ao projeto educacional inclusivo.


Palavras-chave


Educação Inclusiva. Cotidiano escolar. Formação continuada.

Texto completo:

PDF

Referências


ALCANTARA, J. N. A Formação Continuada de Professores na Perspectiva da Educação Inclusiva: Desvelando os Fios dessa Trama. 2014. 230 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal do Sergipe. São Cristóvão, 2014.

ALMEIDA, V. A. M. Educação Inclusiva: A Trajetória entre a Formação Docente e o Cotidiano Escolar. 2017. 267 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade do Grande Rio. Duque de Caxias, 2017.

ALVES, D. S. S.; AGUILAR, L. E. A Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva em Jundiaí: Uma Análise do Processo de Implementação. Rev. bras. educ. espec., Bauru, v. 24, n. 3, p. 373 – 388, set. 2018.

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. MEC/SEESP, Brasília, 1994.

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: MEC/SEESP, 2008.

CAMPOS, E. C. A. Formação Continuada e Permanente de Professores do Atendimento Educacional Especializado para Práticas Pedagógicas Inclusivas. 128 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade do Planalto Catarinense. Lages, 2016.

CRUZ, I. D. Interfaces entre Inclusão e Educação Especial: Com a Palavra... Os professores!. 187 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Seropédica, 2018.

CRUZ, G. C.; GLAT, R. Educação inclusiva: desafio, descuido e responsabilidade de cursos de licenciatura. Educar em Revista, n. 52, sem volume, p. 257 – 273, abr./jun. 2014.

DUEK, V. P. Formação Continuada: análise dos recursos e estratégias de ensino para a educação inclusiva sob a ótica docente. Educação em Revista, v. 30, n. 2, p. 17 – 42, jun. 2014.

GLAT, R. Educação Inclusiva para alunos com necessidades especiais: processos educacionais e diversidade. In: LONGHINI, M. D. (Org.). O uno e o diverso na Educação. Uberlândia: EDUFU, 2011, sem volume, p. 75 – 92, 2011.

GÓES, M. C. R.; LAPLANE, A. L. F. Políticas e práticas de educação inclusiva. 4. Ed. Rev. Campinas, SP: Autores Associados, 2013.

JESUS, D. M. Inclusão Escolar, Formação Continuada e Pesquisa-Ação Colaborativa. In: BATISTA, C. R. (Org.). Educação e escolarização: múltiplas perspectivas. Porto Alegre: Mediação, p. 17 – 29, 2015.

KASSAR, M. C. M. Escola como Espaço para a Diversidade e o Desenvolvimento Humano. Educação e Sociedade [Online], vol. 37, n. 137, pp.1223 – 1240, out./dez. 2016.

LAPLANE, A. L. F. Condições para o ingresso e permanência de alunos com deficiência na escola. Caderno Cedes, v. 34, n. 93, p. 191 – 205, mai./ago. 2014.

GIL, F. G.; MARTIN, P. S. Uma experiencia internacional de formação de professores. Revista Lusófona de Educação, sem volume, n. 19, p. 25 – 36, sem mês, 2011.

MONICO, P. A.; MORGADO, L. A.; ORLANDO, R. M. Formação inicial de professores na perspectiva inclusiva: levantamento de produções. Revista Psicologia Escolar e Educacional, v. 22, número especial, p. 41 – 48, ago./jan. 2018.

NUNES, F. S. F. Formação continuada na Perspectiva Inclusiva: O Projeto Portas Abertas para Inclusão no Município de Fortaleza. 113 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Estadual do Ceará. Fortaleza, 2018.

PEIXINHO, M. A. A. Formação de professores na perspectiva colaborativa para professores que atuam com alunos público-alvo da Educação Especial. 142 f. Dissertação de mestrado - Universidade Estadual de Santa Cruz. Ilhéus, 2016.

PLETSCH, M. D. A formação de professores para a educação inclusiva: legislação, diretrizes, políticas e resultados de pesquisas. Educar em Revista, sem volume, n. 33, p. 143 – 156, sem mês, 2009.

PLETSCH, M. D.; PAIVA, C. Por que as escolas continuam “laudando” alunos com deficiência intelectual?. Revista Educação Especial, v. 31, n. 63, p. 1039 – 1054, out. 2018.

RABELO, L. C. C. Casos de Ensino na Formação Continuada à distância de Professores do atendimento Educacional Especializado. 305 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal da São Carlos. São Carlos, 2016.

SANTOS, D. A. N. S.; SCHLÜNZEN, E. T. M.; SCHLÜNZEN, K. Formação para a educação inclusiva e especial. Journal of Research in Special Educational Needs, v. 16, sem número, p. 539 – 543, sem mês, 2016.

SOUZA, M. T.; SILVA, M. D.; CARVALHO, R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein, v. 8, n. 1, p. 102 – 106, dez./jun. 2010.

TOLEDO, E. H.; VITALIANO, C. R. Formação de professores por meio de pesquisa colaborativa com vistas à inclusão de alunos com deficiência intelectual. Revista Brasileira de Educação Especial [online], v. 18, n. 2, p. 319 – 336, abr./jun. 2012.




DOI: https://doi.org/10.12957/redoc.2020.54811

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Indexação:

           


 

Google Acadêmico::

 

(Citações /Métricas)

 

Visualizações:

 


Licença:

  Esta obra está licenciada com uma Licença  Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.