ENSINO DE LÍNGUA INGLESA E CULTURA DIGITAL EM TEMPOS DE PANDEMIA: O DESAFIO DE SUPERAR O CURTO ESPAÇO DE TEMPO ENTRE O DITO E O VIVIDO

Carlos Henrique Andrade de Sousa, Francisco Thiago Chaves de Oliveira, Elcimar Simão Martins

Resumo


Considerando o contexto da Pandemia do Covid-19 e os desafios para a implantação do ensino remoto de modo emergencial, o presente texto objetiva compreender o ensino e a aprendizagem de língua inglesa mediados pelas tecnologias digitais no contexto da pandemia do Covid-19. De abordagem qualitativa, metodologicamente o estudo se utilizou das tecnologias digitais de informação e da comunicação para coletar os dados. Assim, foram analisadas as respostas de quarenta e quatro estudantes de língua inglesa do Centro Cearense de Idiomas – CCI. Para tanto, foi utilizado um questionário online disponibilizado no Google Formulários. O estudo contou ainda com a participação do professor dos referidos discentes, que registrou suas impressões por meio de um diário de formação digital. O conjunto de dados revela que, inicialmente, as aulas foram paralisadas e os estudantes ficaram na ansiedade da retomada. Com o ensino remoto implantado de modo emergencial surgiram desafios como: o estudo e o trabalho nas limitações do ambiente familiar, desconsiderando aspectos e situações pessoais, profissionais e contextuais que influenciam discentes e docentes; a baixa qualidade de equipamentos tecnológicos de boa parte dos discentes para a efetivação das atividades; a constatação de que a formação tecnológica dos docentes não seria suficiente para as exigências do ensino remoto no CCI, desencadeando um movimento de solidariedade entre os pares. Conclui-se que, a despeito das dificuldades enfrentadas, do desgaste físico e mental, os discentes apresentam esperança, satisfação e tranquilidade em relação à vida pessoal e estudantil e os docentes conseguiram motivar e acompanhar os estudantes nesse processo.


Palavras-chave


Tecnologias Digitais de Informação e da Comunicação. Centro Cearense de Idiomas. Covid-19.

Texto completo:

PDF

Referências


ALCICI, Sonia Aparecida Romeu. In: Almeida, Nanci Aparecida de. Tecnologia na Escola: abordagem pedagógica e abordagem técnica. São Paulo: Cengage Learning, 2014.

ANADÓN, Marta. A pesquisa dita “qualitativa”: sua cultura e seus questionamentos. Senhor do Bomfim, BA: UNEB/UQAC, 2005.

BARBOSA, Lidiane Gonçalves. Como promover a interatividade por meio das mídias nas aulas de Língua Inglesa. 2012. Disponível em: http://www.educacaopublica.rj.gov.br/suavoz/0151.html Acesso em 17 jul. 2020.

BEAUGRANDE, Robert de. Cognition and technology in education: knowledge and

information – language and discourse. International Journal of Cognitive Technology.

Vol. 1, n. 2, 2002.

BELLONI, Maria Luiza; GOMES, Nilza Godoy. Infância, mídias e aprendizagens, autodidaxia e colaboração. Educ. Soc., Campinas, vol. 29, n. 104 - Especial, p. 717-746, out. 2008.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Brasília: MEC. 2017. Disponível em: Acesso em: 7 jul. 2020.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, LDB. 9394/1996. Brasília, 1996.

BRASIL. Resolução 510/2016. Conselho Nacional de Saúde. Ministério da Saúde, 2016.

BRASIL. Lei Nº. 13.982, de 2 de abril de 2020. Secretaria Geral. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Brasília, 2020.

BRITISH COUNCIL. Demandas de aprendizagem de inglês no Brasil: elaborado com exclusividade para o British Council pelo Instituto de Pesquisa Data Popular. São Paulo, SP: British Council Brasil, 2014. Disponível em: . Acesso em 18 jul. 2020.

BRITO, Glaucia da Silva; PURIFICAÇÃO, Ivonélia da. Educação e novas tecnologias: um repensar. Curitiba: IBPEX, 2011.

CEARÁ. Edital de seleção nº 01/2020. Portaria nº 1493/2019. Edital de Seleção de estudantes no CCI Maracanaú, destinado ao ingresso no módulo I. Disponível em: Acesso em: 03 ago. 2020.

DAY, Kelly Cristina Nascimento; SAVEDRA, Mônica Maria Guimarães. O ensino de línguas estrangeiras no Brasil: Questões de ordem político-linguísticas. Disponível em: Acesso em: 28 jul. 2020.

EDUCATION FIRST. EF English Proficiency Index A Ranking of 100 Countries and Regions by English Skills Disponível em: . Acesso em 01 ago. 2020.

GHEDIN, Evandro; ALMEIDA, Maria Isabel de; LEITE, Yoshie Ussami Ferrari. Formação de Professores: Caminhos e Descaminhos da Prática. Brasília: Líber Livro, 2008.

KEARSLE, Greg. Educação online: aprendendo e ensinando. São Paulo: Cengage Learning, 2011.

KENSKI, Vani Moreira. Tecnologias e tempo docente. Campinas: Papirus, 2013.

LAPA, Andréa Brandão; LACERDA, Andreson Lopes; COELHO, Isabel Colucci. A cultura digital como espaço de possibilidade para a formação de sujeitos. Inclusão Social, v. 10, n. 1, Disponível em < http://revista.ibict.br/inclusao/article/view/4170> Acesso em :15 jul. 2020

LEFFA, Vilson José. O ensino de línguas estrangeiras no contexto nacional. Contexturas, APLIESP, n. 4, p. 13-24, 1999.

LEMOS, André. Cibercultura: tecnologia e vida social na cultura contemporânea. Porto Alegre: Sulina, 2003.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 2009.

LISTER, Martin; DOVEY, Jon; GIDDINGS, Seth; GRANT, Iain; KELLY, Kieran. New Media: a critical introduction. 2. ed. New York: Routledge, 2009.

LOPES, Diana Vasconcelos. As Novas Tecnologias e o Ensino de Línguas Estrangeiras. Revista Científica Tecnologus, 2012. Disponível em: http://www.unibratec.edu.br/tecnologus/wp-content/uploads/2012/08/tecnologus_edicao_06_artigo_01.pdf Acesso em 01 jun. 2020.

OLIVEIRA NETTO, Alvim Antônio. Novas tecnologias & universidade: da didática tradicionalista à inteligência artificial: desafios e armadilhas. Petrópolis: Vozes, 2005.

OLIVEIRA, Neide Aparecida Arruda de; CAMPOS, Francini Mengui. Tecnologia na Educação: a aprendizagem da Língua Inglesa por meio da rede social LiveMocha. Educação, Cultura e Comunicação, Lorena, v. 4, n. 7, p.49-62, jan./jun. 2013. Disponível em: http://unifatea.com.br/seer3/index.php/ECCOM/article/view/565. Acesso em: 25 jul. 2020

POLIDÓRIO, Valdomiro. O ensino de língua inglesa no Brasil. Travessias, Cascavel, v. 8, n. 2, nov. 2014. ISSN 1982-5935. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2020.

PRETTO, Nelson de Luca. BONILLA, Maria Helena Silveira. SENA, Ivânia Paula Freitas de Souza. Educação em tempos de pandemia: reflexões sobre as implicações do isolamento físico imposto pela COVID-19. Edição do autor, Salvador, 2020.

SILVA, Elizabeth Lavalle Farah. Abordagem comunicativa para o ensino da segunda língua – uma análise da sua aplicabilidade. Dissertação. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2001. Disponível em: teses.eps.ufsc.br/defesa/pdf/7583.pdf

SILVA, Leo Victorino da. Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação na Educação: três perspectivas possíveis. Revista de Estudos Universitários - REU. Sorocaba, V.46, p.143-159. Nº 1. Junho de 2020. Disponível em : http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/reu/article/view/3955 Acesso em 05 ago. 2020.

SCHÜTZ, Ricardo. Motivação e Desmotivação no Aprendizado de Línguas. English Made in Brazil. 2003. Disponível em: Acesso em: 31 jul. 2020.




DOI: https://doi.org/10.12957/redoc.2020.53901

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Indexação:

           


 

Google Acadêmico::

 

(Citações /Métricas)

 

Visualizações:

 


Licença:

  Esta obra está licenciada com uma Licença  Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.