PEDAGOGIA DOS MULTILETRAMENTOS NAS AULAS DE LÍNGUA INGLESA: DIÁLOGOS EM EXPERIÊNCIA EM ESTÁGIO

Carolina Fernanda Cunha Campos, Mariana Lettieri Ferreira

Resumo


O presente artigo configura-se, em termos metodológicos, como um estudo qualitativo de caráter exploratório que integra uma experiência de estágio da pesquisadora e estagiária licencianda em língua inglesa, primeira autora deste artigo, realizada em uma escola municipal da cidade de São Paulo sob a supervisão da pesquisadora e professora-formadora, segunda autora deste artigo. A proposta de estágio envolveu-se nos pressupostos teóricos da pedagogia dos multiletramentos, conforme proposta pelo Grupo de Nova Londres em 1996, além de também terem sido encontrados pontos de convergência com a pedagogia da autonomia conforme proposta por Freire (2016). A vivência formativa aqui relatada, uma sequência de quatro aulas, possibilitou a criação de atividades relevantes para os alunos, pautadas na estrutura da sala de aula, com discussões sobre suas necessidades e análise de diferentes cenários. Além disso, a experiência possibilitou às autoras debates sobre a própria pedagogia dos multiletramentos, a pedagogia da autonomia, as demandas do ensino de inglês na escola e os efeitos do estágio na formação de professores.


Palavras-chave


Multiletramentos. Formação de professores. Ensino de língua inglesa. Escola pública.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm . Acesso em: 17 jul. 2020.

BRASIL. lei nº 12.014, de 6 de agosto de 2009. Altera o art. 61 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, com a finalidade de discriminar as categorias de trabalhadores que se devem considerar profissionais da educação. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2009/Lei/L12014.htm#art1. Acesso em: 17 jul. 2020.

BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Trad. Maria João Alvarez, Sara Bahia dos Santos, Telmo Mourinho Baptista. Porto: Porto Editora, 1994. (Coleção Ciências da Educação).

COPE, Bill; KALANTZIS, Mary (orgs.). Multiliteracies: Literacy Learning and the Design of Social Futures. New York: Routledge, 2000.

COPE, Bill; KALANTZIS, Mary. “Multiliteracies”: New Literacies, New Learning. Pedagogies: An International Journal, 4:3, p.164-195. 2009. Disponível em: Acesso: 30/10/2019

DUBOC, Ana Paula Martinez. Gentilezas brutas acolá.. e aqui!: por uma pedagogia da interrupção na formação docente. In: Letramentos em prática: na formação inicial de professores de inglês[S.l: s.n.], 2018.

______. “Avaliação da aprendizagem de línguas e os multiletramentos”. In: Est. Aval. Educ., São Paulo, v. 26, n. 63, p. 664-687, Sept./Dec, 2015.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 54. ed. - Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2016.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. - São Paulo: Atlas, 2002.

JORGE, Miriam. As estradas menos seguidas: trajetória de uma linguista aplicada crítica. In: PESSOA, R. R., SILVESTRE, V. P. V, MONTE MÓR, W. (Org) Perspectivas críticas de educação linguística no Brasil: trajetórias e práticas de professoras(es) universitárias(os) de inglês. São Paulo: Pá de palavra, 2018.

PESSOA, R. R.. “O livro didático na perspectiva da formação de professores”. In: Trab. linguist. apl., Campinas , v. 48, n. 1, p. 53-69, June de 2009. Disponível em . Acesso em março de 2019.

ROJO, R. Pedagogia dos multiletramentos: diversidade cultural e de linguagens na escola. In: ROJO, R.; MOURA, E. (orgs.). Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola Editorial, 2012. 264p.

SÃO PAULO (SP). Secretaria Municipal de Educação. Coordenadoria Pedagógica: Currículo da Cidade: Ensino Fundamental: Língua Inglesa. São Paulo: SME/COPED, 2017. 96p.

THE NEW LONDON GROUP. A Pedagogy of multiliteracies: designing social futures. In: COPE, B.; KALANTZIS, M. (orgs.). Multiliteracies: Literacy learning and the design of social futures. New York: Routledge, 2000. p.9 - 37




DOI: https://doi.org/10.12957/redoc.2020.52897

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Indexação:

           


 

Google Acadêmico::

 

(Citações /Métricas)

 

Visualizações:

 


Licença:

  Esta obra está licenciada com uma Licença  Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.