PROCESSOS DE IMAGINAÇÃO/CRIAÇÃO MEDIADOS PELA LINGUAGEM DE COMPUTAÇÃO NUMA PERSPECTIVA INCLUSIVA

Mariana Corrêa Pitanga de Oliveira

Resumo


As marcas do humano conduziram esse trabalho sobre imaginação e criação. Assim, este estudo tem por objetivo analisar os processos de colaboração/interação mediados pela linguagem de computação para a aprendizagem e o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores de sujeitos da Educação Especial; sobretudo a relação entre imaginação e criação no processo de construção colaborativa de um jogo digital. Em termos teórico-metodológicos, seguimos os pressupostos da pesquisa com abordagem histórico-cultural. Essa investigação esteve articulada ao projeto de pesquisa interdisciplinar (Educação e Ciência da Computação) - Computação para Todos. Para fins desse trabalho, foram analisados os dados coletados de três (3) crianças público-alvo da Educação Especial (deficiência intelectual, autismo e altas habilidades/superdotação) durante as aulas de linguagem de programação com uso do Python, realizadas no Instituto Multidisciplinar (IM) da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Na pesquisa de campo, empregou-se como procedimentos de coleta de dados: a observação participante com registros em diário de campo; aplicação de roteiro de observação sistematizado para acompanhamento das atividades e análise das filmagens. Nessa direção, questionou-se qual o papel da inclusão digital frente os desafios da Educação na contemporaneidade? Após a apresentação de dados que ressaltaram a elaboração do conhecimento com uso da linguagem de computação por meio da imaginação e da criação colaborativa, destacam-se os seguintes resultados: 1) o caráter criativo da linguagem de computação afetou significativamente a aprendizagem por meio da imaginação e; 2) as cooperações dialógicas entre as crianças afetaram suas vivências, entrelaçadas a marcas de aprendizagem e indícios de desenvolvimento.


Palavras-chave


Educação Inclusiva; Linguagem de computação; Processos psicológicos superiores; Imaginação e criação

Texto completo:

PDF

Referências


COSTA, M. T. M. de S.; SILVA; D. N. H.; SOUZA, F. F. de. Corpo, atividades criadoras e letramento (Coleção imaginar e criar na educação infantil). São Paulo: Summus, 2013.

CRUZ, M. N. da. Imaginação, linguagem e elaboração de conhecimento na perspectiva da psicologia histórico-cultural de Vigotski. In: SMOLKA, A. L. B.; NOGUEIRA, A. L. H. Emoção, Memória, Imaginação: a constituição do desenvolvimento humano na história e na cultura. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2011. p. 85-104.

DINIZ, D. et al. Deficiência, direitos humanos e justiça. SUR - Revista Internacional de Direitos Humanos. v. 6, n. 11, dez. p. 65-77 2009.

FACCI, M. G. D.; BRANDÃO, S. H. A. A importância da mediação para o desenvolvimento das funções psicológicas superiores de alunos da educação especial: contribuições da psicologia histórico-cultural. Curitiba: Secretaria de Estado da Educação do Paraná, 2008 (produção didático-pedagógica PDE/UEM).

FONTES, F. F. et al. Psicologia histórico-cultural, perezhivanie e além: uma entrevista com Nikolai Veresov. Educ. Soc., Campinas, v.40, e0184797, 2019.

JEREBTSOV, S. Gomel - A cidade de L.S. Vigotski: Pesquisas científcas contemporâneas sobre instrução no âmbito da teoria histórico-cultural de L.S. Vigotski. In: Veresk- Cadernos Acadêmicos Internacionais: Estudos sobre a perspectiva histórico-cultural de Vigotski, Brasília, UniCEUB, v. 1, p.7-27, 2014.

OLIVEIRA, M. C. P. de. Imaginar e criar: o uso da linguagem de computação numa perspectiva inclusiva. 150f. Tese. PPGEduc (Doutorado em Educação). Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. 2020.

SAWAIA, B.; SILVA, D. N. H. Pelo reencantamento da psicologia: em busca da positividade epistemológica da imaginação e da emoção no desenvolvimento humano. Cad. Cedes, Campinas, v. 35, n. Especial, p. 343-360, out., 2015.

SMOLKA, A. L. B. Comentários do livro (obra comentada). In: Imaginação e criação na infância (Org. SMOLKA, A. L. B.). São Paulo: Ática, 2009.

SMOLKA, A. L. B. Experiência e discurso como lugares de memória: a escola e a produção de lugares comuns. Pro-Posições, v. 17, n. 2 (50) - maio/ago. 2006.

SMOLKA, A. L. B. A memória em questão: uma perspectiva histórico-cultural. Educação & Sociedade, ano XXI, nº 71, p.166-193, Julho/ 2000.

SPINOZA, B. de. Ética. Tradução de Tomaz Tadeu. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009.

SOUZA, F. F. de. Políticas de educação inclusiva: análise das condições de desenvolvimento dos alunos com deficiência na instituição escolar. Tese (doutorado). 277f. Campinas, SP: 2013.

TOASSA, G.; SOUZA, M. P. R. de. As vivências: sentidos e fontes epistemológicas no legado de Vigotski. Psicologia USP, São Paulo, 2010, 21(4), p.757 -779.

VIGOTSKI, L. S. Sete aulas de L.S. Vigotski sobre os fundamentos da pedologia (1896-1934). Organização e Tradução: Zoia Prestes; Elizabeth Tunes - 1. ed. - Rio de Janeiro: EPapers, 2018.

VIGOTSKI, L. S. Obras escogidas III: problemas del desarrollo de la psique (1995). Madrid: Machado, 2012.

VIGOTSKI, L. S. Obras escogidas V: fundamentos de defectologia (1997). Madrid: Machado, 2012b.

VIGOTSKI, L. S. Imaginação e criação na infância (Org. SMOLKA, A. L. B.). São Paulo: Ática, 2009.

VIGOTSKI, L. S. A formação social da mente. (Org. COLE, M. et al.). 7º ed. - São Paulo: Martins Fontes, 2007.

VINCIGUERRA, L. Marca, imagem, signo: uma abordagem semiótica de Espinoza. Galaxia (SP), ISSN 1982-2553, n. 35, mai-ago., 2017, p. 05-20. http://dx.doi.org/10.1590/1982-2554130815.




DOI: https://doi.org/10.12957/redoc.2020.49525

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores:

           


Índice de citação de artigos:


Visualizações:

 


Licença:

  Esta obra está licenciada com uma Licença  Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.