POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO MUSEAL – PNEM: MUSEUS, EDUCAÇÃO E REDES

Márcia Isabel Teixeira de Vargas, Andréia von Hausen Bederode Becker

Resumo


Resumo

Este artigo apresenta uma análise do cenário emergido com a efetivação da Política de Educação Museal (PNEM), temática principal, e a participação das Redes de Educadores em Museus, vivenciadas pelos sujeitos da dinâmica educacional em instituições culturais desde a sua concepção. Relata a participação da Rede de Educadores em Museus do Rio Grande do Sul (REM-RS), na elaboração compartilhada do Programa de Educação Museal, no período de 2012 a 2017. Tem o objetivo de evidenciar tensões experimentadas pelo museu, a escola e por seus agentes nas atividades do setor educacional museológico. Sugere que as ações empreendidas para fomentar a incorporação da PNEM às instituições museológicas sejam efetivadas de forma articulada e com indispensável reconfiguração de acordo com os princípios e diretrizes da política pública voltada aos museus brasileiros, enquanto referencial para o setor. Destaca a Carta de Petrópolis, a Carta de Belém e a Carta de Porto Alegre documentos que demonstram a participação e as discussões, presenciais e em rede, geradas pelos profissionais efetivamente envolvidos nos processos de construção que resultaram na referida política.  Conclui com relatos de experiências e atividades na formação docente no espaço museológico como forma de adequar o trabalho educacional em museus ao PNEM.

Palavras-chave: Educação Museal. Redes. Rede de Educadores em Museus. Formação docente.

 

NATIONAL POLICY OF MUSEAL EDUCATION - PNEM:

Museums, Education and Networks

 

 Abstract

               This article presents an analysis of the emerged scenario with the implementation of the Museum Education Policy (PNEM), the main theme, and the participation of the Educator Networks in Museums, experienced by the subjects of the educational dynamics in cultural institutions from their conception. It reports on the participation of the Network of Educators in Museums of Rio Grande do Sul (REM-RS), in the shared elaboration of the Museum Education Program, from 2012 to 2017. Its objective is to tensions experienced by the museum, the school and its agents in the activities of the museum educational sector. It suggests that the actions undertaken to promote the incorporation of PNEM to museological institutions should be carried out in an articulated manner and with an indispensable reconfiguration in accordance with the principles and guidelines of the public policy focused on Brazilian museums, as a reference for the sector. The Petrópolis Charter, the Belém Charter and the Porto Alegre Charter emphasize the documents that demonstrate the participation and the discussions, both in person and in a network, generated by the professionals effectively involved in the construction processes that resulted in this policy. Concludes with reports of experiences and activities in teacher training in the museum space as a way to adapt the educational work in museums to the PNEM. Key words: Museum Education. Networks. Educators Network in Museums. Teacher training.

Palavras-chave


Educação Museal. Redes. Rede de Educadores em Museus. Formação docente.

Texto completo:

PDF

Referências


ALLARD, Michel; LANDRY, Anik. O Estado da Arte da Pesquisa sobre Educação Museal. In: MARANDINO, Martha. ALMEIDA, Adriana Mortara. VALENTE, Maria Esther Alvarez.(Org). Museu lugar de Público. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2009, p. 15-26.

ASSUMÇÃO, Jéferson. Uma visão sistêmica de cultura para o RS. Disponível em , acesso em: novembro de 2011.

BENJAMIN, Walter. "O narrador. Considerações sobre a obra de Nikolai Leskov" In: Magia e técnica, arte e política. Ensaios sobre Literatura e Historia da Cultura. São Paulo, Brasiliense, 1993.

BRASIL – Lei nº 11904, 2009. Disponível em: . Acesso em: março/2016.

CÂNDIDO, Manuelina Maria Duarte. Ondas do Pensamento Museológico Brasileiro. In. Cadernos de Sociomuseologia: Centro de Estudos de Sociomuseologia, v. 20. Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias. ULHT, n. 20, 2003.

_____. Teoria museológica: Waldisa Rússio e as correntes internacionais. (Org.). Waldisia Rússio Camargo Guarnieri: textos e contextos de uma trajetória profissional. V.2. São Paulo: Pinacoteca do Estado de Cultura; Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Museus, 2010, p. 145-154.

_____. Gestão de Museus, um desafio contemporâneo: diagnóstico museológico e planejamento. Porto Alegre: Medianiz, 2013. 240p.

_____. Orientações para Gestão e Planejamento de Museus. Florianópolis: FCC, 2014.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em Rede. A era da informação: economia, sociedade e cultura. São Paulo: Paz e Terra, 1999. 698p.

CASTRO, Fernanda Santana Rabello de. A experiência da Rede de Educadores em Museus e Centros Culturais do Rio de Janeiro 2003-2015. In: 7º Encontro Paulista de Museus. Educação em Museus e Acessibilidade Cultural. MAM-SP. 2015. Disponível em: . Acesso em: abril/2016.

CHAGAS, Mário de Souza. Diabruras do Saci: museu, memória, educação e patrimônio. In: MUSAS – Revista Brasileira de Museus e Museologia/Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Departamento de Museus Centros Culturais. Vol. 1, n. 1 (2004) – Rio de Janeiro. IPHAN, 2004.

CHIOVATTO, Mila Milene. Educação líquida: reflexões sobre o processo educativo nos museus a partir das experiências do Núcleo de Ação Educativa da Pinacoteca do Estado. In: CHIOVATTO, Mila Milene (coord.). Anais do Encontro Internacional Diálogos em Educação, Museu e Arte [CD-ROM]. São Paulo: Pinacoteca do Estado de São Paulo, 2010.

CHIZZOTTI, Antonio. Pesquisa Ciências humanas e sociais. 11 ed.. São Paulo, SP: Cortez, 2010.

Código de Ética do ICOM para Museus Versão Lusófona, 2010. Brasília – Disponível em: ˂http://www.mp.usp.br/sites/default/files/arquivosanexos/codigo_de_etica_do_icom.pdf˃. Acesso em: maio/2016.

CUTY, Jeniffer. A preservação das condições para construção dos direitos culturais. In: CUTY, Jeniffer e CARDOSO, Eduardo. Acessibilidade em Ambientes Culturais. Porto Alegre: Marcavisual, 2011.

DEMO, Pedro. Educar pela Pesquisa. Campinas/SP, Ed. Autores Associados, 2005.

DESVALLÉES, André; MAIRESSE, François. Conceitos-chave de Museologia. Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Museus Conselho Internacional de Museus Pinacoteca do Estado de São Paulo Secretaria de Estado da Cultura. São Paulo. 2013. Tradução e comentários: Bruno Brulon Soares e Marilia Xavier Cury.

ECKERT, Cornelia e ROCHA, Ana Luiza Carvalho da. As variações “paisageiras” na cidade e os jogos da memória. In: Antropologia da e na cidade, interpretação sobre as formas da vida urbana. Porto Alegre: Marcavisual, 2013. 304 p. p. 193. Disponível em: ˂https://www.ufrgs.br/memoriasdotrabalho/wp-content/uploads/2018/08/ECKERT-e-ROCHA-Antropologia-da-e-na-Cidade.pdf˃. Acesso em: novembro/2018.

FLORES, Lilian M. Suescun; SCHEINER, Tereza Cristina. Museologia e Meio Ambiente: homem e natureza como um todo. In: ICOFOM LAM, 2012: termos e conceitos da museologia: museu inclusivo, interculturalidade e patrimônio integral: documentos de trabalho do 21º Encontro Regional. (Org). Tereza C. M. Scheiner. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro: Museu de Astronomia e Ciências Afins, 2012. 296p. Disponível em: . Acesso em: março/2016.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996 (Coleção Leitura). 148p.

_____. Ação cultural para a liberdade. São Paulo: Paz e Terra, 2007, 176p.

GRINSPUM. Denise. Educação para o Patrimônio: Museu de Arte e Escola Responsabilidade compartilhada na formação de públicos, 2000. 157p. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-graduação da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo - FEUSP. São Paulo, 2000. Disponível em: . Acesso em: outubro/2015.

¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬

GRINSPUM, Denise; ARAUJO, Marcelo. Introdução. In: MUSEUMS & Galleries Commision. Educação em Museus. São Paulo: EDUSP Vitae, 2001. p.11-12. (Série Museologia, 3). Disponível em: . Acesso em: outubro/2015.

GUARNIERI, Waldisa Rússio Camargo. Bem e patrimônio cultural, s.d. In: BRUNO, Maria Cristina Oliveira. (Org.). Waldisia Rússio Camargo Guarnieri: textos e contextos de uma trajetória profissional. V.1. São Paulo: Pinacoteca do Estado de Cultura; Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Museus, 2010, p. 119-122.

_____. A interdisciplinaridade em Museologia, 1981. In: BRUNO, Maria Cristina Oliveira. (Org.). Waldisia Rússio Camargo Guarnieri: textos e contextos de uma trajetória profissional. V.1. São Paulo: Pinacoteca do Estado de Cultura; Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Museus, 2010, p. 123-126.

_____. Sistema da Museologia, 1983. In: BRUNO, Maria Cristina Oliveira. (Org.). Waldisia Rússio Camargo Guarnieri: textos e contextos de uma trajetória profissional. V.1. São Paulo: Pinacoteca do Estado de Cultura; Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Museus, 2010, p. 127-136.

_____. Estação Ciência, um projeto comprometido com a vida – O Projeto Mueológico, s.d.. In: BRUNO, Maria Cristina Oliveira. (Org.). Waldisia Rússio Camargo Guarnieri: textos e contextos de uma trajetória profissional. V.2. São Paulo: Pinacoteca do Estado de Cultura; Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Museus, 2010, p. 159-181.

_____. Conceito de Cultura e sua inter-relação com o patrimônio cultural e a preservação. In: BRUNO, Maria Cristina Oliveira. (Org.). Waldisia Rússio Camargo Guarnieri: textos e contextos de uma trajetória profissional. v.1. São Paulo: Pinacoteca do Estado de Cultura; Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Museus, 2010, p. 203-210.

HERNANDEZ, Fernando. Cultura Visual, mudança educativa e projeto de trabalho. Porto Alegre: Artmed, 2000.

HORTA, Maria de Lourdes Parreiras. Vinte anos depois de Santiago: A Declaração de Caracas (1992), 1995. In: BRUNO, Maria Cristina Oliveira. O ICOM/Brasil e o pensamento museológico brasileiro: documentos selecionados. V. 2. São Paulo: Pinacoteca do Estado de Cultura; Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Museus, 2010, p. 61-83.

IPHAN. Inventário nacional de referências culturais: manual de aplicação. Brasília, 2000. Disponível em: . Acesso em: março/2016.

LEMOS, André; LÉVY, Pierre. O futuro da internet: em direção a uma ciberdemocracia. São Paulo: Paulus, 2010. 258p. (Coleção comunicação)

LÉVY, Pierre. As tecnologias da inteligência. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1993, 208p.

MARTINS, Luciana Conrado. A constituição da educação em museus: o funcionamento do dispositivo pedagógico por meio de um estudo comparativo entre museus de artes plásticas, ciências e tecnologia. Tese (Doutorado). PPGE, Faculdade da USP. SP, 2011, 300p.

MEDEIROS, Karlene Roberto Braga. Descortinando Bastidores: o olhar dos usuários internos dos museus paraibanos. Dissertação (Mestrado. PPGCI, Universidade Federal da Paraíba (UFPB) João Pessoa: PB, 2013, 246p. Disponível em: ˂file:///C:/Users/M%C3%A1rcia/Downloads/arquivototal%20(4).pdf˃. Acesso em: janeiro/2016.

MENESES, Ulpiano Toledo Bezerra de. O campo do patrimônio cultural: uma revisão de premissas. In: Anais do I Fórum Nacional do Patrimônio Cultural: Sistema Nacional de Patrimônio Cultural: desafios, estratégias e experiências para uma nova gestão, Ouro Preto/MG, 2009 / Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Brasília, DF: Iphan, 2012, p. 25-39. Disponível em: . Acesso em: novembro/2015.

MOUTINHO, Mário. Sobre o Conceito de Museologia Social. In. Cadernos De Museologia. Centro de Estudos de Sociomuseologia Nº 1, 1993, p. 5-6. Disponível em: . Acesso em: março/2016.

RANGEL, Aparecida; HARDUIM, Barbara; SEIBEL, Iloni. A Rede de Educadores em Museus do Estado do Rio de Janeiro: uma contribuição ao campo da educação não-Formal, 2009. In. Anais do Encontro Internacional de educação não formal e formação de professores. MAST. 2009, p. 1-3. Disponível em: . Acesso em: agosto de 2015.

SANTOS, Maria Célia T. Moura. Processo Museológico e Educação: Contribuições e Perspectivas. In: Cadernos de Sociomuseologia. Nº7, 1996, p. 305-340. Disponível em: . Acesso em: novembro/2015.

_____. O museu e a busca de novos horizontes. In. III Fórum de Profissionais de Reservas Técnicas de Museus. (Orgs.) Conselho Federal de Museologia – COFEM e Conselho Regional de Museologia, 1a Região – COREM-BA. Salvador/BA, 2002, p. 1-22. Disponível em: . Acesso em: março/2016.

_____. A Formação do Museólogo e o seu Campo de Atuação. In. Cadernos De Sociomuseologia. Nº 18 – 2002, p. 169-198. . Acesso em janeiro/2016.

_____ (Org). Encontros Museológicos - reflexões sobre a museologia a educação e o museu. Museu: centro de educação comunitária ou contribuição ao ensino formal? Rio de Janeiro. MinC/IPHAN/DEMU, 2008, p.29-56.

_____ (Org). Encontros Museológicos - reflexões sobre a museologia a educação e o museu. Museu e Educação: conceitos e métodos. Rio de Janeiro. MinC/IPHAN/DEMU, 2008, p.125-146.

SOARES, Bruno Brulon. Quando o museu abre portas e janelas: o reencontro com o humano no museu contemporâneo. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Museologia e Patrimônio. Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO / Museu de Astronomia e Ciências Afins – MAST, 2008, p.1-13. Disponível em: . Acesso em: março/2016.

SOUZA FILHO, Carlos Frederico Marés de. Bens culturais e sua proteção jurídica. Porto Alegre, Unidade Editorial Porto Alegre, 1999.

STUDART, Denise C.. Conceitos que transformam o museu, suas ações e relações. In. ICOM/Brasil e o pensamento museológico brasileiro: documentos selecionados. (Org). Maria Cristina Oliveira Bruno. V. 1. São Paulo: Pinacoteca do Estado: Secretaria de Estado da Cultura; Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Museus, 2010, p. 148-157.

UNESCO. Convenção para a salvaguarda do patrimônio cultural imaterial. 2003. Disponível em:

. Acesso em: março/2016.

VARGAS, Márcia I. T. de; MEDEIROS, Teresinha Beatriz. A Experiência de Participação na Rede de Educadores em Museus do RS: Diálogos em Rede, 2015. In. Anais II Seminário Brasileiro de Museologia – SEBRAMUS. 2015. Recife-PE, s.n.

_____. Trilhando caminhos: Itinerários da Rede de Educadores em Museus do Rio Grande do Sul – REM-RS (2010 a 2015). UFRGS, FABICO, Porto Alegre/RS. 2016. 202 f.

VARINE, Hugues. O museu comunitário é herético? Coletânea de Artigos, Rio de Janeiro, 2005. Disponível em: http://www.abremc.com.br. Acesso em: novembro 2009.

_____. As raízes do futuro: o patrimônio a serviço do desenvolvimento local. Porto Alegre: Medianiz, 2012.




DOI: https://doi.org/10.12957/redoc.2019.44362

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores:

           


Índice de citação de artigos:


Visualizações:

 


Licença:

  Esta obra está licenciada com uma Licença  Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.