Coreografias didáticas e cenários inovadores na educação superior

Maria Auxiliadora Soares Padilha, Miguel Angel Zabalza Beraza, César Vinícius de Souza

Resumo


O objetivo deste artigo é discutir sobre coreografias didáticas e cenários inovadores na educação superior. Para isso apresentamos dois estudos realizados no contexto de uma universidade pública federal. Um deles com a aplicação de atividades gamificadas e outro com a integração de tecnologias como recursos didáticos em atividades de ensino e aprendizagem, seja na sala de aula ou em outros espaços, seja presencialmente ou virtualmente. Os referenciais principais que fundamentam os estudos são as discussões sobre inovação pedagógica de Cunha (2008), Zabalza (2006) e Silva (2011). A metodologia principal dos dois estudos foi a análise dessas coreografias didáticas. Os cenários propostos e a colocação em cena ultrapassaram as quatro paredes da sala de aula. A ruptura com o paradigma tradicional pôde ser constatada em várias das atividades realizadas e também no processo de idealização e planejamento das mesmas. O protagonismo dos alunos foi a categoria de inovação mais destacada nas duas experiências e o professor como coreógrafo estratégico, provocando oportunidades para esse protagonismo e para aprendizagens profundas e significativas.


Palavras-chave


Coreografias didáticas; Inovação pedagógica; Educação superior; Cenários inovadores.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/redoc.2017.30492

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores:

           


Índice de citação de artigos:


Visualizações:

 


Licença:

  Esta obra está licenciada com uma Licença  Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.