O SUBLIME FERRABRÁS: O BAIXO EM UM SONETO DE BOCAGE

Giuliano Lellis Ito Santos

Resumo


O artigo pretende analisar um soneto de cunho erótico-satírico de Manuel Maria de Barbosa Du Bocage com o objetivo de estabelecer as referências claras ao sentimento do sublime destacado por alguns filósofos contemporâneos ao poeta. A análise seguiu o poema verso a verso, buscando destacar os elementos mais consistentes para confirmar a hipótese de que o sublime figura como presença essencial no poema. As alusões ao falo e o efeito de sua visão aproximam-se de modo fundamental ao sublime apresentado pelos filósofos Immanuel Kant e Edmund Burke em obras consagradas como Observações sobre o sentimento do Belo e do Sublime e Uma investigação filosófica sobre a origem de nossa idéias do sublime e do belo. As reflexões desses pensadores trouxeram contribuição indiscutível para o aprofundamento na análise do soneto, que se configura um bom exemplo para a leitura da poesia bocageana.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/pr.2014.14114

Pensares em Revista no Diadorim Pensares em Revista na BASE Pensares em Revista no Diadorim Pensares em Revista no Google Scholar Pensares em Revista no Latindex Pensares em Revista no Livre Logo do Periódicos CAPES

 

R. Dr. Francisco Portela, 1470 - Patronato, São Gonçalo - RJ, CEP: 24435-005