NAÇÃO E REVOLUÇÃO – GARRETT, ANTERO E EDUARDO LOURENÇO NA BALANÇA DA MODERNIDADE

Silvio Cesar dos Santos Alves

Resumo


O presente trabalho tem como objetivo confrontar, à luz da História das Ideias, as diferentes posições assumidas por Almeida Garrett (1799-1854), Antero de Quental (1842-1891) e Eduardo Lourenço (1923) relativamente aos valores ligados às noções de “Pátria”, “Nação” e “Revolução” em suas respectivas épocas. Com esse propósito, abordaremos textos como O Chronista (1827), Portugal na balança da Europa (1830), o drama Frei Luis de Sousa (1843) e o romance Viagens na Minha Terra (1846), de Garrett; o artigo Portugal perante a Revolução de Espanha (1868), a conferência Causas da decadência dos povos peninsulares nos últimos três séculos (1871) e alguma poesia de Antero; bem como a obra O labirinto da Saudade – mais especificamente o ensaio intitulado “Psicanálise mítica do destino português” (1978) –, de Eduardo Lourenço.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/pr.2014.14113

Pensares em Revista no Diadorim Pensares em Revista na BASE Pensares em Revista no Diadorim Pensares em Revista no Google Scholar Pensares em Revista no Latindex Pensares em Revista no Livre Logo do Periódicos CAPES

 

R. Dr. Francisco Portela, 1470 - Patronato, São Gonçalo - RJ, CEP: 24435-005