Manipulación política y competencia política enfermera [Political manipulation and political competences in nursing] [Manipulação política e competência política de enfermeiros]

Helena Maria Scherlowski Leal David, José Ramón Martínez-Riera

Resumo


Objetivo: desarrollar una reflexión acerca del debate político en la actualidad, el cual se encuentra empobrecido y dicotomizado, y la relación con la profesión y la práctica enfermera. Contenido: el debate presentado sobrepasa la política y trasciende a la vida social cotidiana, a la que permanentemente alimenta. Aspectos como el simplismo, el individualismo, la corrosión de la ciudadanía y el pensamiento único son comentados como parte de procesos de manipulación política. La enfermería, como profesión y práctica social que se ancla en principios ético-políticos y humanísticos, ha quedado al margen del debate político y tiende a tener su actuación abducida por el discurso político engañoso. Conclusión: Es un imperativo ético que enfermeras desarrollen su competencia política a fin de participar de modo activo e imprescindible en sociedades marcadas por el pluralismo de ideas y el multiculturalismo, para la prestación de cuidados dignos. Al asumir la competencia política, se puede contribuir a los cambios sociales, a partir de los cuidados, y a través de los cuidados enfermeros.

ABSTRACT

Objective: to reflect on current political debate, which is impoverished and dichotomized, and on its relation to nursing as profession and practice. Content: the debate presented goes beyond politics and transcends everyday social life, into which it feeds constantly. Factors such as simplism, individualism, the corrosion of citizenship, and one-track thinking are commented on as forming part of processes of political manipulation. Nursing, as a profession and social practice anchored in ethical, political, and humanistic principles, has been marginal to political debate, and its activities tend to be abducted by deceitful political discourse. Conclusion: it is an ethical imperative for nurses, in order to provide decent care, to develop their political skills in order to become indispensable, active participants in societies characterized by a pluralism of ideas and multiculturalism. By developing political competence, nurses can contribute to social change on the basis of care and through nursing care.

RESUMO

Objetivo: desenvolver reflexão sobre o debate político atual, empobrecido e dicotomizado, e a relação com a profissão e a prática de enfermagem. Conteúdo: o debate apresentado ultrapassa a política e transcende a vida social cotidiana, à qual permanentemente alimenta. Aspectos como o simplismo, o individualismo, a corrosão da cidadania e o pensamento único são comentados como parte de processos de manipulação política. A enfermagem, como profissão e prática social que se ancora em princípios ético-políticos e humanísticos, tem ficado à margem do debate político e tende a ter sua atuação abduzida pelo discurso político enganoso. Conclusão: É um imperativo ético que os enfermeiros desenvolvam sua competência política a fim de participar de modo ativo e imprescindível em sociedades marcadas pelo pluralismo de ideias e pelo multiculturalismo, para a prestação de cuidados dignos. Ao assumir a competência política, se pode contribuir para as mudanças sociais, a partir dos cuidados, e por meio dos cuidados de enfermagem.


Palavras-chave


Competencia profesional; enfermería; enfermeras; política; políticas públicas



DOI: https://doi.org/10.12957/reuerj.2019.43392

Direitos autorais 2019 Helena Maria Scherlowski Leal David, José Ramón Martínez-Riera

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.