Binômio mãe-filho sustentado na Teoria do apego: significados e percepções sobre centro de educação infantil

Simone Roecker, Sonia Silva Marcon, Maria das Neves Decesaro, Maria Angélica Pagliarini Waidman

Resumo


O estudo objetivou apreender o significado do centro de educação infantil (CEI) para mães que tinham filhos ingressantes nestas instituições e analisar a percepção delas quanto aos cuidados prestados a seus filhos. Trata-se de um estudo descritivo-exploratório com abordagem quantiqualitativa, realizado por meio de entrevista semiestruturada, em junho de 2009, junto a 12 mães residentes no município de Maringá/PR, tendo como referencial a Teoria do Apego de Bowlby e os dados submetidos à análise de conteúdo temática. Percebe-se que a decisão ou necessidade em deixar a criança em CEI traz consequências positivas, como realização profissional e/ou melhor remuneração da mãe e maior socialização da criança, mas o cuidado ao filho por terceiros ainda é percebido com restrições. Conclui-se que os profissionais envolvidos no processo de cuidado em CEI precisam estar habilitados para apoiar e ajudar o binômio mãe-filho na adaptação, visando reduzir os receios e os sentimentos negativos nesse momento.

Palavras-chave


Educação infantil; afeto; relações mãe-filho; enfermagem materno-infantil

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2012 Simone Roecker, Sonia Silva Marcon, Maria das Neves Decesaro, Maria Angélica Pagliarini Waidman

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.