O sintoma e suas implicações na prática clínica do enfermeiro em unidades de terapia intensiva [The symptom and its implications in nurses’ clinical practice in intensive care units] [El síntoma y sus implicaciones en la práctica clínica del enfermero en unidades de cuidados intensivos]

Petra Kelly Rabelo de Sousa, Karla Corrêa Lima Miranda, Manuela de Mendonça Figueirêdo Coelho, Arisa Nara Saldanha de Almeida

Resumo


Objetivo: discutir o sintoma e suas implicações na prática clínica do enfermeiro em unidades de terapia intensiva (UTI). Método: estudo teórico, de análise reflexiva, no qual foi abordado o conceito de sintoma a partir de como ele surgiu no campo da medicina, até a dimensão do sintoma considerada na psicanálise. Posteriormente, foi proposta uma reflexão da compreensão de sintoma que permeia a prática clínica do enfermeiro em UTI. Resultados: para se conhecer o sintoma, faz-se necessário conhecer o sujeito que é cuidado e percebê-lo em sua singularidade, por meio de uma escuta focada na sua história de vida, para que permita criar condições de aparecimento do sujeito do inconsciente. Conclusão: o enfermeiro em UTI não pode limitar o seu processo de trabalho exclusivamente à condição de adoecimento do paciente, mas deve antes de tudo se perguntar quem é esse sujeito e qual sua história de vida, considerando a dimensão do inconsciente.

ABSTRACT

Objective: to discuss the symptom and its implications in the clinical practice of nurses in intensive care units (ICUs). Method: in this theoretical, analytical reflection study, the concept of “symptom” was approached in terms of how it arose in the field of medicine, through to the dimension of symptom considered in psychoanalysis. The proposal was then to reflect on the comprehension of symptom that permeates nurses’ clinical practice in the ICU. Results: in order to know the symptom, it is necessary to know the subjects cared for, and to perceive them in their singularity, by listening focused on their life histories, so as to create the conditions in which the subject of the unconscious can appear. Conclusion: ICU nurses cannot limit their work process exclusively to the patient’s condition in terms of illness, but must first ask themselves who this subject is, and what his or her life history is, to consider the unconscious dimension.

RESUMEN

Objetivo: discutir el síntoma y sus implicaciones en la práctica clínica del enfermero en unidades de terapia intensiva (UTI). Método: estudio teórico, de análisis reflexivo, en el que se abordó el concepto de síntoma desde cómo surgió en el campo de la medicina, hasta la dimensión del síntoma considerado en el psicoanálisis. Posteriormente, se propuso una reflexión de la comprensión de síntoma que está presente en la práctica clínica del enfermero en UTI. Resultados: para conocer el síntoma, se hace necesario conocer al sujeto que objeto del cuidado y entenderlo en su singularidad, por medio de una escucha enfocada en su historia de vida, para que se pueda crear condiciones de surgimiento del sujeto del inconsciente. Conclusión: el enfermero en UTI no puede limitar su proceso de trabajo exclusivamente a la condición del enfermarse del paciente, sino debe, ante todo, preguntarse quién es ese sujeto y cuál es su historia de vida, considerando la dimensión del inconsciente.

 

DOI: http://dx.doi.org/10.12957/reuerj.2017.14480


Palavras-chave


sintomas; cuidados de enfermagem; enfermagem prática; unidades de terapia intensiva

Texto completo:

PDF(POR) HTML(eng)


DOI: https://doi.org/10.12957/reuerj.2017.14880