CONCEPÇÕES SOBRE ALGAS NA EDUCAÇÃO BÁSICA COMO PONTO DE PARTIDA PARA REFLEXÕES NO ENSINO DE CIÊNCIAS E BIOLOGIA

Lúcia Cristina da Cunha Aguiar, Cristina dos Santos Bianchi, Yollanda Carolina da Silva Ferreira, Marisa Magalhães da Silva, Rachell Ramalho Correia Thimóteo

Resumo


DOI: 10.12957/e-mosaicos.2013.9900

Este trabalho tem por objetivo contribuir com a prática docente de Ciências e Biologia a partir de reflexões e resultados de um questionário aplicado a alunos do Ensino Fundamental e Médio, com questões sobre as algas. O foco dos resultados se relaciona aos conteúdos sobre fotossíntese e taxonomia, pois se observou que grande parte dos alunos teve dificuldade em compreender o modo de vida autótrofo, e denominou algas como sendo “plantas”. Isto nos direcionou à História da Ciência, onde é notório que até os dias atuais não há um consenso sobre a classificação das algas, ajudando-nos assim, a superar uma visão de ciência superior e inquestionável. Estes dois conteúdos não têm sido explorados adequadamente na sala de aula, por isso, incentivamos a aprendizagem significativa no ensino de Ciências e Biologia, propondo neste trabalho, a busca para superar um modelo linear de currículo baseado na educação do século passado, ao apropriar-se da crítica como ferramenta indispensável à educação.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/e-mosaicos.2013.9900



ISSN: 2316-9303 | Indexada em: