FORMAÇÃO DOCENTE E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS INCLUSIVAS

Paula Almeida de Castro, Cleidiane de Oliveira Sousa Alves

Resumo


Com o advento do Paradigma Inclusivo o profissional docente passou a ter o seu papel ressignificado, abandonando as práticas tradicionais de ensino que privilegiavam um ideal de aluno e uma pedagogia conteudista baseada na transmissão mecânica do conhecimento. Do professor é exigida a capacidade de articular saberes teóricos e práticos, que proporcione uma pedagogia comum e ao mesmo tempo diferenciada e que atenda incondicionalmente todos os educandos. Discutir a formação inicial de professores para a proposição de práticas pedagógicas inclusivas é sem dúvida nenhuma o cerne deste trabalho. A relevância da pesquisa se assenta no argumento de que para que a inclusão escolar se efetive, faz-se necessária uma política de formação de professores que lhes forneça subsídios teóricos para trabalhar pedagogicamente as demandas de nossa sociedade. Para tal foi realizada uma pesquisa bibliográfica e documental, explorando o ordenamento jurídico e obras que abordassem a temática.


Palavras-chave


Formação de professores; Profissional docente; Inclusão; Saberes; Práticas pedagógicas.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/e-mosaicos.2018.38786


ISSN: 2316-9303 | Indexada em: