EDUCAR ATRAVÉS DA(S) MEMÓRIA(S)

Helena Maria Marques Araújo

Resumo


Esse texto pretende conceituar e problematizar memória vista como um instrumento de empoderamento identitário através de processos educativos outros, quer sejam na escola, ou em espaços educativos não formais, ou até mesmo espaços educativos informais. Analiso especificamente como os “lugares de memória” educam, ou seja, são espaços educativos não formais.  Para isso, pretendo diferenciar os conceitos de educação formal, não formal e informal relacionando-os aos possíveis fortalecimentos de identidades locais de diferentes grupos sociais através da construção da(s) memória(s) e da ressignificação das histórias locais, principalmente através dos chamados “lugares de memória”. Os museus são guardiões e divulgadores de culturas e ideologias de grupos sociais específicos. Sendo assim, me concentro na compreensão e correlações da missão educativa dos museus e dos “lugares de memória” em geral. Porém, interessa-me sobremaneira os museus contra hegemônicos.


Palavras-chave


lugares de memória; espaços educativos não formais; memórias contra hegemônicas; memória; espaços educativos formais

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/e-mosaicos.2017.30260


ISSN: 2316-9303 | Indexada em: