Diversidade de gênero e sexual e formação docente: o PIBID como lugar de travessia e aventura

Marcos Lopes de Souza, Anderson Ferrari

Resumo


Este trabalho é fruto de uma pesquisa preocupada com a formação docente para as discussões sobre diversidade de gênero e sexual na escola, desenvolvida com três grupos do PIBID de uma Universidade pública federal de Minas Gerais. Partimos da importância desse programa para a formação e para o trabalho com as relações de gênero e sexualidade, vamos trabalhar com o PIBID na educação infantil. Um grupo que envolve licenciandas(os) e professoras(es) da educação básica tendo como pressuposto a desnaturalização e a desestabilização das visões normatizadoras e normalizadoras dos gêneros e das sexualidades. A problematização foi a metodologia de análise adotada a partir da perspectiva foucaultiana e pós estruturalista que nos possibilitou colocar sob suspeita as formas de saber e a constituição dos sujeitos atravessados por discursos e por relações de poder.

Palavras chaves: formação docente, gênero, sexualidade

DOI: https://doi.org/10.12957/teias.2017.29486


Palavras-chave


formação docente, gênero, sexualidade

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - B1 - Educação
DOI: 10.12957/teias

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional