O ENSINO DO TEATRO COMO EDUCAÇÃO ANTIRRACISTA: A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE NEGRA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.12957/riae.2023.73671

Palavras-chave:

Educação Básica, Teatro, Drama, Racismo

Resumo

Neste artigo apresenta-se o processo de criação teatral dos estudantes do curso de teatro livre, realizado no contraturno escolar, no Centro Municipal de Educação Cultural - CMEC, em Araucária, Paraná, tendo como tema o racismo e o antirracismo. Com o objetivo de compreender o processo de construção da identidade negra dos estudantes com base no ensino do Drama fundamentado em Cabral (2006) e Desgranges (2017), juntamente com Boal (1991, 1993) que utiliza exercícios de improvisação teatral. Na discussão sobre o racismo adota-se como base teórica os autores Almeida (2018), Gomes (2005, 2019), Devulsky (2021), Kilomba (2019). O curso teve 19 encontros, incluindo a apresentação para comunidade escolar e acadêmica, sendo realizado no primeiro e segundo semestre de 2019. Os cursos livres da unidade escolar foram ministrados pelos professores da docência II, do ensino Fundamental Anos Finais, desde 2017, resultado do processo de estadualização das aulas do município de Araucária. Na prática realizada, a partir do texto dramático criado coletivamente, evidenciou-se as questões de racismo vivenciadas na escola e no ambiente familiar dos estudantes, e o impacto na autoestima dos estudantes negros. Também se verificou que por meio do drama, o ensino do teatro, possibilitou aos estudantes a sua autoidentificação como negro/a.

Biografia do Autor

Genice de Fátima Fortunato da Silva Fiaschi, Professora de arte na Escola Municipal Professora Maria Neide Gabardo Betiatto em Curitiba/PR e Formadora em Educação para as Relações Étnico-Raciais no Departamento de Ensino Fundamental em Araucária/PR.

Mestrado em Educação pela Universidade Federal do Paraná -UFPR (2022); Especialista em arte-educação pela IBPEX- Uninter (2006) e graduada em Educação Artística com Habilitação em Artes Cênicas pela Faculdade de Artes do Paraná (2005).

Adriana Vaz, Universidade Federal do Paraná

Graduada em Educação Artística. Mestrado e doutorado em Sociologia. E pós-doutorado em Educação. Professora do Departamento de Expressão Gráfica da UFPR.

Referências

ALMEIDA, Sílvio Luiz de. O que é racismo estrutural? Editora: Belo Horizonte (MG): Letramento, 2018.

BANDEIRA, Pedro. O fantástico mistério de Feiurinha. 3 ed. São Paulo: Ed. Moderna, 2009.

BERTH, Joice. Empoderamento. São Paulo: Sueli Carneiro; Pólen, 2019.

BOAL, Augusto. Teatro do Oprimido e Outras Poéticas Políticas. 6. Edição. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1991.

BOAL, Augusto. 200 exercícios e jogos para o ator e o não ator com vontade de dizer algo através do teatro. 11a. Edição. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1993.

BOAL, Augusto. A Estética do Oprimido. Rio de Janeiro: Garamond, 2009.

CABRAL, Beatriz ngela Vieira. Drama como método de ensino. São Paulo: Hucitec, 2006.

CABRAL, Beatriz ngela Vieira. Dorothy Heathcote – Mediação e intervenção na construção da narrativa teatral em grupo. In: TELLES, Adilson F. Narciso; et al. (org.). Cartografias do ensino do teatro. Uberlândia: EDUFU, 2009, p.37-48.

CABRAL, Beatriz Biange; PEREIRA, Diego de M. O espaço de jogo no contexto do Drama. Urdimento, v.1, n.28, p.285-301, jul. 2017.

DAMACENO, Janaína. Por que você deve parar de afirmar que o racismo reverso existe? Portal Geledés.03 de fevereiro de 2016. Disponível em: <https://www.geledes.org.br/por-que-voce-deve-parar-de-afirmar-que-o-racismo-reverso-existe/>. Acesso em 02 de jan. 2022. Entrevista concedida a Michelli Oliveira e Nathalia.

DESGRANGES, Flávio. O drama: Construção coletiva de uma narrativa teatral. Pedagogia do teatro: provocação e dialogismo. 4ª. Ed. São Paulo: Hucitec Editora, 2017.

DEVULSKY, Alessandra. Colorismo (Feminismos Plurais). São Paulo: Editora Jandaíra. 1ª Edição do Kindle, 2021.

FIASCHI, Genice de Fátima Fortunato da Silva. Narrativas de uma professora negra sobre a educação antirracista e as pedagogias do teatro na educação básica. 211f. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-graduação em Educação: Teoria e Prática de Ensino, Setor de Educação, Universidade Federal do Paraná, Curitiba (PR), 2022.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 1. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013.

GOMES, Nilma Lino. Alguns termos e conceitos presentes no debate sobre relações raciais no Brasil: uma breve discussão. In: BRASIL. Educação Anti-racista: caminhos abertos pela Lei federal nº 10.639/03. Brasília, MEC, Secretaria de educação continuada e alfabetização e diversidade, 2005, p. 39-62.

GOMES, Nilma Lino. O Movimento Negro educador: saberes construídos nas lutas por emancipação. Petrópolis, RJ: Vozes, 2019. ISBN 978-85-326-6148-7 – Edição digital

KILOMBA, Grada. Memórias da plantação Episódios de racismo cotidiano. Tradução de Jess Oliveira. 1ª.ed. Rio de Janeiro Cobogó, 2019.

RIBEIRO, Raquel Martins. Doze vezes em que Paula foi preconceituosa no BBB19. Metrópolis. Brasília, 27 de março de 2019.Disponível em: <https://www.metropoles.com/entretenimento/bbb/videos-veja-todos-comentarios-preconceituosos-de-paula-no-bbb19>. Acesso em: 20 abr. 2020.

RIBEIRO, Djamila. Pequeno manual antirracista. Editora: Companhia das Letras. Edição do Kindle, 2019.

ROSSETO, Robson. Jogos e improvisações teatrais. Guarapuava: Unicentro, 2012.

ROSSI, Amanda; COSTA, Camila. Muito além da princesa Isabel, 6 brasileiros que lutaram pelo fim da escravidão no Brasil. BBC NEWS, São Paulo, 13 de maio 2018. Disponível em: <https://www.bbc.com/portuguese/brasil-44091469>. Acesso em: maio 2019.

ROSSI, Amanda. Abolição da escravidão em 1888 foi votada pela elite evitando a reforma agrária, diz historiador. BBC NEWS, São Paulo, 13 de maio 2018. Disponível em: <https://www.bbc.com/portuguese/brasil-44091474>. Acesso em: maio 2019.

SCHUCMAN, Lia Vainer. Entre o encardido, o branco e o branquíssimo. São Paulo: Editora Veneta, 2020.

VAQUER, Gabriel. - Paula é indiciada por intolerância religiosa contra Rodrigo no BBB19. Notícias da TV, UOL. São Paulo, 18 de abril de 2019. Disponível em: < https://noticiasdatv.uol.com.br/noticia/bbb/paula-e-indiciada-por-intolerancia-religiosa-contra-rodrigo-no-bbb19-26156?cpid=txt> Acesso em: 16 de Outubro 2019.

VAZ, Adriana; FIASCHI, Genice de Fátima Fortunato da Silva; SCHUINDT, Silvana Mendes. Na escola vejo cores: identidades de mulheres negras, reflexões sobre o ‘eu’ e os ‘outros’! Revista Teoria e Cultura. Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais (UFJF), v.17, n.3, p.32-45, dez. 2022. Disponível em: . Acesso em: 16 jan.2023.

XAVIER, João Paulo. Racismo Estético: Decolonizando os corpos negros. Projeto editorial: João Paulo Xavier. 2020. Edição do Kindle.

XONGANI, Ana Paula; SCHWARCZ, Lili. O mimimi do racismo reverso. 4 de dezembro de 2018. Disponível em: <https://youtu.be/cRCxiDEjZdE> Acesso em: abr. 2019.

Downloads

Publicado

20-11-2023

Como Citar

FIASCHI, Genice de Fátima Fortunato da Silva; VAZ, Adriana. O ENSINO DO TEATRO COMO EDUCAÇÃO ANTIRRACISTA: A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE NEGRA. Revista Interinstitucional Artes de Educar, [S. l.], v. 9, n. 2, p. 80–101, 2023. DOI: 10.12957/riae.2023.73671. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/riae/article/view/73671. Acesso em: 13 jul. 2024.

Edição

Seção

DOSSIÊ - 20 ANOS DA LEI 10.639: CONVERSAS CURRICULARES ENTRE SABERES, PRÁTICAS E POLÍTICAS ANTIRRACISTAS