IDENTIDADE TEXTUAL E LITERATURA NEGRO-BRASILEIRA: PROCESSOS DE FORMAÇÃO DE LEITORES LITERÁRIOS E ESCRITORES E A LEI 10.639/03

Autores

DOI:

https://doi.org/10.12957/riae.2024.73589

Palavras-chave:

literatura negro-brasileira, identidade textual, imaginário.

Resumo

O presente artigo discute os processos de identificação com o texto e a literatura negro-brasileira, enquanto criação da população negra, que se constituiu fora do continente africano, configurando uma experiência brasileira. A subjetividade é simultaneamente negra e brasileira, caminhando para a discussão a respeito da luta participativa da população negra nos destinos da nação, especialmente os literários. A literatura é uma instância discursiva importante uma vez que atua no imaginário das pessoas, antes mesmo de ser lida, por conta dos filtros a que é submetida. Os procedimentos metodológicos para a realização do estudo, apontam uma pesquisa bibliográfica que dialoga com as práticas docentes em literatura realizadas em unidades públicas de educação na rede municipal de Niterói. A respeito do referencial teórico, este estudo possui dois pilares: o conceito de representação do Stuart Hall e a literatura negro-brasileira de Cuti. Como resultado da pesquisa, é possível apontar que as experiências negro-literárias foram percebidas enquanto disparadoras de reflexões a respeito das mais diversas questões da existência humana, tanto as raciais, como as de gênero.

Biografia do Autor

Renata de Oliveira Batista Rodrigues, FME - Fundação Municipal de Educação de Niterói

Sou doutora em Letras Vernáculas/ Literatura Brasileira (UFRJ) e mestra em Educação, Cultura e Comunicação em periferias urbanas (UERJ - FEBF). Possuo graduação em Letras e Pedagogia (UERJ), além de especialização em Leitura e Produção de Textos (UFF) e Literatura Infanto-Juvenil (UFF). Atuo como professora da graduação em curso de Pedagogia na rede privada, professora de Incentivo à Leitura e Produção Textual na Prefeitura Municipal de Nova Iguaçu e professora de Sala de Recursos Multifuncionais e atuo na equipe da Coordenação da Educação na diferença na Fundação Municipal de Educação de Niterói. Pesquiso os processos de aquisição de leitura e escrita, a Literatura Infantil e Juvenil, a Literatura Periférica, a Literatura negro-brasileira e os processos de identificação através da literatura. Atualmente, faço parte dos grupos de pesquisa Laboratório de Estudos Negros – PACC/ UFRJ e Pensar a diferença: narrativas da deficiência na literatura - UFRJ

Referências

ADICHIE, C. N. O perigo de uma única história. Disponível em https://www.ted.com/talks/chimamanda_adichie_the_danger_of_a_single_story/transcript?language=pt-br , Acesso em: 15 jan. 2019.

ARRAES, J. As lendas de Dandara. Liro: Editora Livre, 2015.

CUTI. Literatura negro-brasileira. São Paulo: Selo Negro, 2010.

GOMES, N. L. O movimento negro educador: saberes construídos nas lutas por emancipação. Rio de Janeiro: Vozes, 2017.

HALL, S. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Tradução de Adelaine La Guardia Resende. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2009.

HALL, S. Cultura e representação. Tradução de Daniel Miranda e William Oliveira. Rio de Janeiro: Editora da PUC-Rio, 2016.

ISER, W. A interação do texto com o leitor. In: LIMA, L. C. (org.). A literatura e o leitor: textos de estética da recepção. Tradução de Luiz Costa Lima. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

ISER, W. O fictício e o imaginário: perspectivas de uma antropologia literária. Tradução de Johannes Kretschmer. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2013.

RANCIÈRE, J. A partilha do sensível: estética e política. Tradução de Mônica Costa Netto. São Paulo: EXO/Editora 34, 2009.

SERRES, A. Mandela: o africano de todas as cores. São Paulo: Editora Pequena Zahar, 2013.

SPIVAK, G. C. Pode o subalterno falar? Tradução de Sandra Regina Goulart Almeida, Marcos Pereira Feitosa e André Pereira Feitosa. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

TRINDADE, A. L. da (org.). Africanidades brasileiras e educação: salto para o futuro. Rio de janeiro: TV escola /MEC, 2013. https://revistacult.uol.com.br/home/quem-e-e-sobre-o-que-escreve-o-autor-brasileiro/ Acesso em: 11 mai. 2019.

Downloads

Publicado

09-01-2024

Como Citar

RODRIGUES, Renata de Oliveira Batista. IDENTIDADE TEXTUAL E LITERATURA NEGRO-BRASILEIRA: PROCESSOS DE FORMAÇÃO DE LEITORES LITERÁRIOS E ESCRITORES E A LEI 10.639/03. Revista Interinstitucional Artes de Educar, [S. l.], v. 10, n. 1, p. 164–178, 2024. DOI: 10.12957/riae.2024.73589. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/riae/article/view/73589. Acesso em: 20 jul. 2024.

Edição

Seção

DOSSIÊ - 20 ANOS DA LEI 10.639: CONVERSAS CURRICULARES ENTRE SABERES, PRÁTICAS E POLÍTICAS ANTIRRACISTAS