A EDUCAÇÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES: UMA ANÁLISE DE TESES E DISSERTAÇÕES PUBLICADAS NA CAPES (2003-2020)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.12957/riae.2023.72760

Palavras-chave:

Formação de Professores/as, Relações Étnico-Raciais, Currículo, Estado da Questão.

Resumo

A Educação das Relações Étnico-Raciais (ERER) se apresenta como assunto relevante dentro dos currículos brasileiros, sobretudo pela diversidade na composição da nossa população. A introdução dessa temática nas escolas e nas universidades tornou-se mais urgente com a promulgação das Leis 10.639/03 e 11.645/08, que alteraram a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDBEN (BRASIL, 1996), incluindo a obrigatoriedade do ensino da História da África e da Cultura Afro-brasileira e Indígena no Ensino Fundamental e Médio, nas escolas públicas e privadas. Desse modo, o presente trabalho tem como proposta analisar as produções científicas sobre a implementação da ERER em cursos de formação inicial de professores/as publicadas no Catálogo de Teses e Dissertações da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), no período de 2003 a 2020. O levantamento das publicações no portal da Capes culminou em um “Estado da Questão” acerca da temática, que nos permitiu refletir sobre a implementação das leis, a partir da análise dos trabalhos que compõem o corpus da pesquisa. Para este artigo, destacamos duas categorias de análise: I) relações étnico-raciais e formação de professores/as; II) a temática indígena nos cursos de licenciatura. O resultado encontrado aponta para a necessidade de um maior debate acerca das relações étnico-raciais no contexto educacional. Também identificamos que a inclusão da ERER nos cursos de formação de professores/as tornou-se instrumento fundamental para a construção de uma educação antirracista.

Biografia do Autor

Samara Moço Azevedo, Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro

Professora dos Cursos de Licenciatura do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense - IFF Campus Campos Centro. Doutoranda em Políticas Sociais pela Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro - UENF (Bolsista Capes). Integrante do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas - NEABI/UENF e da Coletiva Corpos Insubmissos. Mestra em Cognição e Linguagem pela Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro - UENF. Especialista em Literatura, Memória Cultural e Sociedade pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense - IFF Campus Campos Centro. Graduada em Pedagogia pela Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro - UENF.

Vera Lúcia Vasconcelos, Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro

Possui Graduação em História pela Faculdade de Filosofia de Campos (1991) e Mestrado em Ciência Política (Ciência Política e Sociologia) pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro, IUPERJ - UCAM (2003). Tem experiência na área de Educação com ênfase em Relações Étnico-Raciais e de Gênero e História da Educação. Foi Professora do Curso de Pedagogia e Psicologia na Universidade Estácio de Sá (2002 e 2012). Professora na Prefeitura Municipal de Campos dos Goytacazes (1999 - 2019). Professora do Instituto Superior de Educação Professor Aldo Muylaert, ISEPAM/FAETEC ( desde 2005), Coordenadora do Curso Normal Superior - ISEPAM (2006), Coordenadora de Pesquisa e Extensão - ISEPAM (2013-2015) e Coordenadora do Curso de Licenciatura em Pedagogia (2015 - 2017). Coordenadora Adjunta do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (NEABI/Uenf) (2013 - 2021). Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Políticas Sociais pela Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (Uenf) (início 2020).

Silvia Alicia Martínez, Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro

Professora Associada da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro. Graduada em Ciências da Educação (Mar del Plata,1986), Mestre e Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1993; 2000). Fez Estágio de Pós Doutoramento na Universidade de Lisboa. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Política e História da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores, profissão docente, cultura material escolar, juventude e memória. Também atua e pesquisa na área da Educação Ambiental crítica. Atua na linha EDUCAÇÃO, CULTURA, POLÍTICA E CIDADANIA do Programa de Pós-Graduação em Políticas Sociais (Mestrado e Doutorado Acadêmico), sendo Coordenadora entre os anos de 2012 e 2016. É líder do Grupo de Pesquisa Educação, Sociedade e Região. Foi chefe do Laboratório de Estudos de Educação e Linguagem -LEEL-CCH-UENF (chefe de departamento de Educação) de 2007 a 2012. Foi coordenador de IC do CCH no período 2007-2008. Entre 2006 e 2018 foi membro do colegiado do Mestrado em Políticas Sociais da UENF. Entre 2007 e 2012 foi membro do Colegiado do Centro de Ciências do Homem; membro do Colegiado Acadêmico; Membro do Conselho Universitário. Entre 2012 e 2016 foi membro da Câmara de Pesquisa e Pós-Graduação. Tem desenvolvido pesquisas financiadas pela FAPERJ, pelo CNPq e pelo FUNBIO. É membro fundadora da diretoria da ANINTER-SH (Ass. Nac. de Pesquisa e Pós-Grad. Interdisciplinar em Sociais e Humanidades) e Coordenadora de GT do CONINTER - Congresso Internacional Interdisciplinar em Sociais e Humanidades (2012 e 2013, 2015-2018). Foi presidente da Comissão para elaboração de APCN para o curso de Doutorado em Políticas Sociais, apresentado à CAPES no ano de 2014, aprovado em 21 de dezembro de 2014. Membro da comissão para elaboração de projeto institucional de Internacionalização CAPES/PrInt (2018). Foi bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq entre 2014 e 2022.

Maria Clareth Gonçalves Reis, Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro

Possui graduação em Letras pela Universidade Federal de Viçosa, graduação em Pedagogia pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Montes Claros, mestrado em Educação pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e doutorado em Educação pela Universidade Federal Fluminense (UFF/Niterói/RJ). Atualmente é professora associada da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (Uenf), no Laboratório de Estudos da Educação e Linguagem (LEEL). Atua como docente no Programa de Pós-Graduação em Políticas Sociais (PPGPS/Uenf); coordenadora do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas (NEABI/Uenf). coordenadora da Área Científica "Quilombos, Territorialidades e Saberes Emancipatórios" da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN); coordenadora e professora da disciplina Educação e Relações Étnico-Raciais (ERER/Uenf). Membro do Grupo de Trabalho ? GT 21 ? ?Educação e Relações Étnico-Raciais?, da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPEd). Participou como bolsista pesquisadora, contemplada no II Concurso Negro e Educação (fruto da parceria entre Ação Educativa e ANPED, com apoio da Fundação Ford). Autora do livro ?Mulheres, Negras e professoras: suas Histórias de Vida?. Atua na área de Educação e Relações Étnico-Raciais; Educação Infantil. Brinquedoteca. Educação Escolar Quilombola.

Referências

ALMEIDA, Silvio Luiz de. Racismo. Enciclopédia jurídica da PUC-SP. Celso Fernandes Campilongo, Alvaro de Azevedo Gonzaga e André Luiz Freire (coords.). São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2017, p. 1-26. Disponível em: <https://enciclopediajuridica.pucsp.br/verbete/92/edicao-1/racismo>. Acesso em: 30 mar. 2021.

_______. Racismo Estrutural. São Paulo: Editora Jandaíra, 2021.

BERGAMASCHI, Maria Aparecida, DALLA ZEN, Maria Isabel Habckost, XAVIER, Maria Luisa Merino de Freitas (Orgs.). Povos Indígenas & Educação. Porto Alegre: Mediação, 2012.

BOMENY, Helena. Os Intelectuais da Educação. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

BRASIL. Lei 9.934, de 24/12/1996: Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: Ministério da Educação.

_______. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Brasília, DF: MEC/SEPPIR, 2004.

_______. Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira", e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.639.htm>. Acesso em: 03 mar. 2020.

_______. Plano nacional de implementação das diretrizes curriculares nacionais para educação das relações étnico-raciais e para o ensino de história e cultura afro-brasileira e africana. Brasília: MEC, SECADI, 2013.

_______. Portaria nº 52, de 24 de janeiro de 2014. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 27 de jan. Seção 2, n. 18, p. 10.

CARTH, John Land. A Base Nacional Comum Curricular e a aplicação da política de Educação para Educação das Relações Étnico-Raciais (afro-brasileira, quilombola, cigana). Brasilía: MEC, SECADI, 2017. Disponível em: <http://etnicoracial.mec.gov.br/images/pdf/artigos/A-BNCC2018-e-a-ERER.pdf>. Acesso em: 20 nov. 2021.

FERES JÚNIOR, João; ZONINSEIN, Jonas (Orgs). Ação afirmativa e universidade: experiências nacionais comparadas. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2005.

GOMES, Nilma Lino. A Questão Racial na Escola: desafios colocados pela implementação da Lei 10.639/03. In: MOREIRA, Antônio Flávio, CANDAU, Vera Maria (orgs.). Multiculturalismo: diferenças culturais e práticas pedagógicas. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

_______. Diversidade étnico-racial: por um projeto educativo emancipatório. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 2, n. 2-3, p. 95-108, jan/dez 2008. Disponível em: <https://doi.org/10.22420/rde.v2i2/3.127>. Acesso em: 20 fev. 2021.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Os indígenas no Censo Demográfico 2010: primeiras considerações com base no quesito cor ou raça. Rio de Janeiro: IBGE, 2012. Disponível em: <https://indigenas.ibge.gov.br/images/indigenas/estudos/indigena_censo2010.pdf>. Acesso em: 26 abr. 2022.

INEP, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Resumo técnico do Censo da Educação Superior 2017. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2019. Disponível em: <https://download.inep.gov.br/educacao_superior/censo_superior/resumo_tecnico/resumo_tecnico_censo_da_educacao_superior_2017.pdf>. Acesso em: 26 abr. 2022.

MARTINEZ, Silvia Alicia; AMARAL, Shirlena Campos de Souza; GANTOS, Marcelo Carlos. Políticas de Inserção de Alunos Negros e Carentes na Universidade Pública Brasileira: os desafios das cotas. InterMeio: revista do Programa de Pós-Graduação em Educação, Campo Grande, MS, v.20, n.39, p. 13-32, jan./jun. 2014.

MEDEIROS, Juliana Schneider. Povos Indígenas e a Lei Nº. 11.645: (in) visibilidades no ensino da História do Brasil. In: BERGAMASCHI, Maria Aparecida, DALLA ZEN, Maria Isabel Habckost, XAVIER, Maria Luisa Merino de Freitas (Orgs.). Povos Indígenas & Educação. Porto Alegre: Mediação, 2012.

MONTEIRO, Rosana Batista. A Educação Para as Relações Étnico-Raciais em um Curso de Pedagogia: estudo de caso sobre a implantação da Resolução CNE/ CP 01 01/2004. Tese de Doutorado. São Carlos: São Paulo, 2010.

MOREIRA, Antônio Flávio Barboza; SILVA, Tomaz Tadeu da. Sociologia e Teoria Crítica do Currículo: uma introdução. In: _______ (Orgs.). Currículo, Cultura e Sociedade. São Paulo: Cortez, 2001, p. 7-47.

MUNANGA, Kabengele. Apresentação. In: _______ (Org.). Superando o Racismo na escola. 2ª ed. revisada. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2005, p. 15-20.

RUSSO, Kelly; DINIZ, Edson Araújo. Trajetórias indígenas na universidade: O direito ao ensino superior no Rio de Janeiro. Arquivos Analíticos de Políticas Educativas, Arizona/USA, v. 28, n. 73, p. 1-25, Dossiê Especial: Educação e Povos Indígenas: Identidades em Construção e Reconstrução. Disponível em: <https://epaa.asu.edu/ojs/index.php/epaa/article/view/4708/2438>. Acesso em: 26 abr. 2022.

SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves e. Aprender, ensinar e relações étnico-raciais no Brasil. Educação, Porto Alegre/RS, v. 30, n. 3, p. 489-506, set./dez. 2007. Disponível em: <https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/2745>. Acesso em: 20 nov. 2021.

NÓBREGA-THERRIEN, S. M.; THERRIEN, J. Trabalhos científicos e o estado da questão. Estudos Em Avaliação Educacional, vol. 15, n. 30, p. 5–16, jul.-dez., 2004. Disponível em: <https://doi.org/10.18222/eae153020042148>. Acesso em: 05 set. 2021.

Downloads

Publicado

20-11-2023

Como Citar

AZEVEDO, Samara Moço; VASCONCELOS, Vera Lúcia; MARTÍNEZ, Silvia Alicia; REIS, Maria Clareth Gonçalves. A EDUCAÇÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES: UMA ANÁLISE DE TESES E DISSERTAÇÕES PUBLICADAS NA CAPES (2003-2020). Revista Interinstitucional Artes de Educar, [S. l.], v. 9, n. 2, p. 242–264, 2023. DOI: 10.12957/riae.2023.72760. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/riae/article/view/72760. Acesso em: 19 jun. 2024.

Edição

Seção

DOSSIÊ - 20 ANOS DA LEI 10.639: CONVERSAS CURRICULARES ENTRE SABERES, PRÁTICAS E POLÍTICAS ANTIRRACISTAS