ESTRATÉGIAS VISUAIS PARA DISCENTES SURDOS EM ESCOLAS INCLUSIVAS NO CAMPO: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA DE TESES E DISSERTAÇÕES.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.12957/riae.2022.69707

Palavras-chave:

estratégias visuais, surdos, inclusão e escolas no campo

Resumo

Após o reconhecimento linguístico das línguas de sinais, a educação de surdos tem avançado no país e despertado atenção de pesquisadores acerca das práticas pedagógicas mais adequadas para garantir o processo de aprendizagem desses discentes. O presente trabalho teve como objetivo identificar pesquisas realizadas acerca da importância do uso de estratégias visuais para discentes surdos em escolas inclusivas no campo. Realizamos uma pesquisa bibliográfica que adotou como procedimento metodológico a Revisão Sistemática no catálogo de Teses e Dissertações da CAPES para localizarmos trabalhos realizados entre os anos de 2017 a 2021. Foram usados os descritores “Estratégias visuais”, “Surdos”, “Surdo”, “Surdez” “Inclusão”, “Educação Inclusiva”, “Escolas no Campo”. Os primeiros resultados indicaram 934 pesquisas, após os critérios de exclusão esse número reduziu para 16 e por fim, 8 trabalhos foram analisados. A análise dos estudos apontou que apesar do avanço no campo educacional dos discentes surdos, ainda é necessário entendermos como o surdo apreende o mundo ao seu redor. Precisamos de mais investirmos em formação de professores para que possamos conhecer a importância do campo da visualidade para o processo de aprendizagem do surdo além de reelaborar nossas práticas utilizando diversas estratégias visuais.

Biografia do Autor

Aline Carvalho Novais, Universidade do Estado da Bahia - UNEB

Discente do Mestrado Profissional em Educação e Diversidade. Area de Inclusão e Libras.

Osni Oliveira Noberto da Silva, Universidade do Estado da Bahia - UNEB

Doutor em Educação pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação e Diversidade da Universidade do Estado da Bahia (UNEB).

Referências

AMARAL, Fábio Costa do. O ensino de Matemática: uma abordagem do MDC com alunos surdos. 2019. 88 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Matemática) - Fundação Universidade Federal do Tocantins, Arraias, 2019.

BRASIL. Lei nº10.436 de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 25 abr. 2002. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil/leis/2002/L10436.htm. Acesso em: 10 de julho de 2022.

BRASIL. Decreto 5.626. Regulamenta a Lei nº10.436 de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS, e o art. 18 da Lei nº10.098 de 19 de dezembro de 2000. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 23 dez. 2005. Acesso em: 10 de julho de 2022.

BARRAL, Julia; SILVA, Flavio Eduardo Pinto; RUMJANEK, Vivian M. Vendo e Aprendendo. In: LEBEDEFF, T. B. (Org.). Letramento visual e surdez. Rio de Janeiro: WAK Editora, 2017, p. 95-121.

CAMPELLO, A. R. S. Aspectos da visualidade na educação de surdos. 2008. 245 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis-SC, 2008

CAMPOS, M. L. I. L. Cultura Surda: Possível sobrevivência no campo da inclusão na escola regular? Dissertação (Mestrado) Programa de Pós-graduação em Educação. Centro de Ciências e Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2008.

DANTAS, E. V. do N.; ALMEIDA, W. G. Argumentatividade Visual dos Surdos: perspectiva de letramento. In: SANSÃO, W.V.S.; VILELA, C. N. V.; SANTOS, A. C. (Orgs) Educação de Surdos Olhares Multidisciplinares. Belo Horizonte: Editora Dialética, 2020.

GOMES, Ellen Midia Lima da Silva. Pedagogia Visual na educação de surdos: análise dos recursos visuais inseridos em um livro didático digital acessível. 2019. 118 f. Dissertação (Programa em Educação, Cultura e Comunicação em Periferias Urbanas). Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Duque de Caxias, 2019.

LACERDA, C. B. F. A inclusão escolar de alunos surdos: o que dizem alunos, professores e intérpretes sobre esta experiência. Cad. Cedes: Educação, Surdez e Inclusão Social, Campinas, v. 26, n. 69, p. 163-184, 2006

LACERDA, C. B. F. de; SANTOS, L. F. dos; CAETANO, J. F. Estratégias metodológicas para o ensino de alunos surdos. In: LACERDA, C. B. F. de; SANTOS, L. F. dos (Org.) Tenho um aluno surdo, e agora?: Introdução à LIBRAS e educação de surdos. São Carlos: EdUFSCar, 2014. Cap. 11, p.185-200

LEBEDEFF, T. B. O povo do olho: uma discussão sobre a experiência visual e surdez. In: LEBEDEFF, T. B. (Org.). Letramento visual e surdez. Rio de Janeiro: WAK Editora, 2017, p. 226-251.

MACHADO, P. C. Integração/inclusão na escola regular: um olhar do egresso surdo. In: QUADROS, R.M. (Org.) Estudos surdos I. Petropólis: Arara Azul, 2006.

MELO, Rosangela Ferreira de. Ensino de Sociologia e Estratégias Pedagógicas para alunos surdos no Ensino Médio. 2020. 129 f. Dissertação (Ensino de Sociologia) Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, 2020.

PEREIRA, Janaí de Abreu. Imagem também se sinaliza: uma experiência de ensino de Artes Visuais para surdos. 2018. 181 f. Tese (Doutorado em Artes Visuais) CENTRO DE ARTES, Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2018.

PERLIN, Gladis; MIRANDA, Wilson. Surdos: o narras e a política. Revista de Educação e processos Inclusivos, UFSC/CED/NUP, Florianópolis, n.5, 2003.

QUEIROZ, Suzana Regina Braga. Imagens em materiais didáticos impressos de ensino de física para surdos. 2020.70 f. Dissertação (Ciência, Tecnologia e Educação) - Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca, CEFET, Rio de Janeiro, 2020.

REIS, Karina Vieira dos. O uso da imagem durante o processo de letramento de crianças surdas. 2017. 77 f. Dissertação. (Mestrado em SAÚDE, Interdisciplinaridade e Reabilitação), Universidade Estadual de Campinas, 2017.

SILVA, Paulo Roberto Martins da. Ensinando História para educandos para surdos em uma escola inclusiva: um ensino possível. 2020. 279 f. Dissertação (Ensino de História), Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2020.

SOARES, Suzana Alves de Souza. Proposta bilíngue de material didático para ampliação lexical de surdos sinalizantes. 2021. 105 f. Dissertação (Diversidade e Inclusão) – Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2021.

STOKOE, W. C. Sign language structure: an outline of the visual communication systems of the American deaf. Studies in Linguistics, Buffalo, 1960. (Occasional papers, n.8)

STROBEL, K. As imagens do outro sobre a cultura surda. 2. ed. Florianópolis: Ed. da UFSC, 2009.

Downloads

Publicado

07-12-2022

Como Citar

NOVAIS, Aline Carvalho; NOBERTO DA SILVA, Osni Oliveira. ESTRATÉGIAS VISUAIS PARA DISCENTES SURDOS EM ESCOLAS INCLUSIVAS NO CAMPO: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA DE TESES E DISSERTAÇÕES. Revista Interinstitucional Artes de Educar, [S. l.], v. 8, n. 3, p. 742–755, 2022. DOI: 10.12957/riae.2022.69707. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/riae/article/view/69707. Acesso em: 13 jun. 2024.