Educação e Foucault: um debate sobre sexualidade no conto literário de chapeuzinho vermelho

Autores

DOI:

https://doi.org/10.12957/riae.2020.54595

Palavras-chave:

Educação, contos literários, Foucault, sexualidade.

Resumo

Este artigo objetiva compreender sobre o conceito de sexualidade em Foucault a fim de identificar suas relações com o conto literário de Chapeuzinho Vermelho. O estudo se justifica pela necessidade do ensino do conceito de sexualidade em relação ao processo de como os corpos são normalizados na escola a partir da educação para infância, seja pela identificação e reprodução da repressão sexual e ou por intermédio de contos literários pré-estabelecidos. A metodologia é de cunho teórico em torno do referencial foucaultiano e, de autores que dialogam com a temática sobre a sexualidade e, ainda análise do conto literário infantil. Este texto é um recorte da dissertação de Mestrado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Londrina e da participação no Projeto de Pesquisa intitulado “Semiformação e educação no contexto da sociedade danificada” da respectiva universidade. Os resultados direcionam para a necessidade de uma melhor compreensão dos contos literários utilizados nas instituições educativas voltadas à infância, em específico o de Chapeuzinho Vermelho, no sentido de propiciar estratégias de ensino mobilizadoras para o desenvolvimento do pensar e agir crítico à luz da construção de subjetividades operantes e, ainda, ampliar o olhar e discussão acerca da diversidade sexual a partir do direito e da vontade de ser e saber nos espaços escolares.

Biografia do Autor

Ravelli Henrique de Souza, Universidade Estadual de Londrina

Mestre em Educação pela Universidade Estadual de Londrina. 

Marta Regina Furlan de Oliveira, Universidade Estadual de Londrina

Pós-Doutora em Educação pela Universidade Paulista Julio de Mesquita Filho. Professora Associada do Departamento de Educação e do Programa de Pós-Graduação Mestrado e Doutorado em Educação da Universidade Estadual de Londrina. Coordenadora da Comissão de Pesquisa do Depto de Educação da UEL. Líder do GEPEITC - Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação, Infância e Teoria Crítica da UEL 

Geiva Carolina Calsa, Universidade Estadual de Maringá

Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas. Docente adjunta da Universidade Estadual de Maringá no programa de Pós-Graduação em Educação.

Referências

CANDIOTTO, Cesar. Foucault e a crítica da verdade. 2. Ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora; Curitiba: Champagnat, 2013.

CARNEIRO; Cassiana Ximenes; GÉMES, Márton Tamás. A subversão do estereótipo Chapeuzinho Vermelho no conto A Companhia dos Lobos de Angela Carter. Revista Homem, Espaço e Tempo, v. 12, n. 2. Ceará, 2018.

CORSO, D. L. e CORSO, M. Fadas no divã: psicanálise nas histórias infantis. Porto Alegre: Artmed, 2006.

FILHA, Constantina Xavier. Era uma vez uma princesa e um príncipe...: representações de gênero nas narrativas de crianças. Estudos Feministas, p. 591-603, 2011.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Tradução Luiz Felipe Baeta Neves. 8ª edição, Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2017.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. Edições Loyola, 24ª edição, São Paulo, 2014.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade. v. 1. A vontade de saber. In: História da sexualidade. v. 1. A vontade de saber. Paz & Terra, 2015.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: nascimento da prisão. 20º edição. Tradução de Raquel Ramalhete. Petrópolis: Vozes, 1996.

GROS, Frédéric. Desobedecer. Tradução: Célia Euvaldo. Ubu Editora, 224 pp. Coleção Exit. São Paulo, 2018.

GRIMM, Irmãos. Contos maravilhosos infantis e domésticos/ Jacob Grimm e Wilhelm Grimm; tradução de Christine Röhrig; posfácio de Marcus Mazzari – São Paulo: editora 34, 2018 (1ª edição). 624 p. (coleção fábula). 2018.

ORENSTEIN, Catherine. As múltiplas vidas de “Chapeuzinho Vermelho”. Estudos Feministas, Florianópolis, 2003.

REDEL, Elisângela; MARTINY, Franciele Maria. Da palavra à imagem: a temática da sexualidade e sua função formadora em Rotkäppchen. Revista Trama, v. 11, nº. 21. Marechal Cândido Rondon – Paraná, 2015.

ROCHA, Waldyr Imbroisi. As várias histórias de Chapeuzinho Vermelho: repressão e moral nos contos de fadas. Revista Anagrama: Revista Científica Interdisciplinar da Graduação. 4ª ed. – São Paulo, 2010.

SILVA, Ivaneide Vieira. Complexo de cinderela: A imagem da mulher no conto de Perrault. ComSertões – Revista de Comunicação e Cultura no Semiárido, [S. l.], v. 1, n. 4, jan. 2017.

SOARES, Michelle Gomes. RINCON, Neire Márzia. Marcas do erotismo no conto Chapeuzinho Vermelho. Mediação, Pires do Rio – GO, v. 12, n. 1, p. 171-182, 2017.

SOUZA, Liliane Lima de. FERNANDES, Francisco Felipe Paiva. A performatividade do gênero nos enunciados fílmicos infantis: o efeito de um discurso heteronormativo. II Congresso Nacional de Educação. Campina Grande – PB, 2015.

PINTO, Célia Regina Jardim. Elementos para análise de discurso político. Revista Barbarói, 24ª edição. Santa Cruz do Sul, 2006.

TAQUETTE, S.R. Homossexualidade e adolescência: Sob a ótica da Saúde. Editora da Universidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2015.

WITZEL, Denise Gabriel. Discurso, poder e a moralidade (in) desejada da Chapeuzinho Vermelho na mídia. Caderno Espaço Feminino. Uberlândia, MG. 2012.

Downloads

Publicado

23-09-2020

Como Citar

SOUZA, Ravelli Henrique de; OLIVEIRA, Marta Regina Furlan de; CALSA, Geiva Carolina. Educação e Foucault: um debate sobre sexualidade no conto literário de chapeuzinho vermelho. Revista Interinstitucional Artes de Educar, [S. l.], v. 6, n. 3, p. 1058–1075, 2020. DOI: 10.12957/riae.2020.54595. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/riae/article/view/54595. Acesso em: 12 jul. 2024.