MODOS DE SUBJETIVAÇÃO DO TIPO SUJEITO E DO TIPO INTENSIDADE: MOVIMENTOS COTIDIANOS EM INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO INFANTIL

Autores

  • Maritza Maciel Castrillon Maldonado UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO - UNEMAT

DOI:

https://doi.org/10.12957/riae.2016.25693

Palavras-chave:

Estágio, Educação Infantil, Subjetivação

Resumo

Professoras. Estagiárias. Crianças. Como nos tornamos o que somos? Ou, o que estamos fazendo de nós mesmos e dos outros que estão aos nossos cuidados? Analisar essas questões é o que nos movimenta neste texto. Analisá-las não apenas no sentido de problematizar “o” sujeito professora, ou “o” sujeito estagiária, ou “o” sujeito criança, em suas identidades ou identificações, criando-lhes uma pretensa verdade. Analisar essas questões no sentido de interpelar alguns processos de subjetivação que constituem os sujeitos ou seus modos de existência e pensar uma nova forma de subjetividade, que recuse a individualidade, que seja singular, que potencialize a vida. Esse é nosso propósito neste texto. Como faremos isso? Narrando acontecimentos cotidianos que movimentam espaçostempos de instituições de Educação Infantil e constituem, ora sujeitos, ora intensidades. Esses acontecimentos foram percebidos a partir de práticas da disciplina Estágio Supervisionado I do curso de Pedagogia da Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT), campus Universitário de Cáceres.

Biografia do Autor

Maritza Maciel Castrillon Maldonado, UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO - UNEMAT

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade do Estado de Mato Grosso (1993), mestrado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2001) e doutorado em Educação pela Universidade Federal Fluminense (2009). Concluiu estágio sanduíche na Universidade Complutense de Madrid, Espanha. Concluiu em 2015 estágio de pós-doutorado no PROPEd/UERJ/CNPq. É professora titular da Universidade do Estado de Mato Grosso, atuando no Programa de Pós-Graduação em Educação como professora e coordenadora e no curso de Pedagogia. É Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Escola, Currículo, Cultura e Sociedade contemporâneos, vinculado ao diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq, ao GT Currículo da ANPED e ao Laboratório Educação e Imagem da UERJ. Tem experiência na área de Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: educação infantil, currículo, cotidiano, subjetivação, cinema, tempo.

Referências

BARROS, Manoel. Memórias Inventadas: a Infância. São Paulo: Planeta, 2003.

BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas: Magia e Técnica, Arte e Política. 6 ed. São Paulo: Brasiliense, 1993.

CALVINO, Ítalo. Seis propostas para o próximo Milênio: lições americanas. Tradução Ivo Barroso. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

DELEUZE, Gilles. Diferença e Repetição. Rio de janeiro, Graal: 1988.

DELEUZE, Gilles. Conversações. Tradução Peter Pál Pelbart. Rio de Janeiro, Ed. 34: 1992.

DELEUZE, Gilles & GUATTARI, Félix. Mil Platôs. Capitalismo e esquizofrenia. Vol. 1. Tradução de Aurélio Guerra Neto e Célia Pinto Costa. – Rio de Janeiro: Ed. 34, 1995.

GUATTARI, Félix & ROLNIK, Suely. Micropolítica: Cartografias do desejo. 7 ed. Petrópolis: Vozes, 2005.

FOUCAULT, Michel. Dois ensaios sobre o poder. In: Michel Foucault: Un Parcours Philosophique (Dreyfus, Hubert e Rabinow Paul), Paris. Ed Gallimard (tradução Lília Vale e Sílvia Aguiar, UFF, 1989, mimeo).

Downloads

Publicado

31-01-2017

Como Citar

MALDONADO, Maritza Maciel Castrillon. MODOS DE SUBJETIVAÇÃO DO TIPO SUJEITO E DO TIPO INTENSIDADE: MOVIMENTOS COTIDIANOS EM INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO INFANTIL. Revista Interinstitucional Artes de Educar, [S. l.], v. 2, n. 3, p. 38–47, 2017. DOI: 10.12957/riae.2016.25693. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/riae/article/view/25693. Acesso em: 13 jul. 2024.