AVALIAÇÃO DE PROGRAMA DE FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DE DOCENTES: QUESTÕES INTRODUTÓRIAS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.12957/redoc.2022.66794

Palavras-chave:

Avaliação. Formação Docente. Políticas educacionais. Metodologias Ativas. Aprendizagem.

Resumo

O presente artigo é fruto dos estudos realizados ao longo de um curso de pós- graduação em alinhamento com a atuação docente dos autores. Reflete- se sobre a importância de se lançar luz sobre a avaliação de impacto do denomina- se Programa de Formação e Desenvolvimento Profissional de Docentes (PFDPD), o qual objetiva- se a subsidiar novas ações e reformulações das políticas educacionais. O trabalho está organizado didaticamente em duas grandes seções, sendo que na primeira discorre- se sobre o processo de formação na busca do saber, ressaltando em subseções quem é o professor, como ocorre o desempenho do subsistema de desenvolvimento e gestão de pessoas voltado para a formação de professores, uma conceituação e diferenciação entre formação continuada e permanente, bem como a perspectiva das Metodologias Ativas aliadas à Formação Continuada. A segunda seção versa sobre a avaliação de programas de Formação e Desenvolvimento, na qual apresenta- se uma proposta de diretrizes para a avaliação de impacto de PFDPD, a ser desenvolvido por instituições educativas que realizam Formação Continuada, buscando contribuir com a melhoria da prática docente e o consequente fortalecimento para a aprendizagem dos alunos.

Biografia do Autor

Vânia Maria de Araújo Passos, Universidade Federal do Tocantins

Doutora em Educação pela Universidade Federal de Goiás (2011). Mestre em Educação pela Universidade de Brasília (1995). Especialista em Avaliação Educacional (UnB - 1998). Especialista em Administração Educacional: política, planejamento e gestão (UnB/UNITINS - 1992). Graduada em Pedagogia pela Faculdade de Ciências Filosofia e Letras de Araguari, MG (1988). Atuou como Coordenadora de Cursos de Graduação: Normal Superior e Pedagogia, nos câmpus de Palmas e Miracema e como Pró-reitora de Graduação (2017-2020). Atualmente é professora do Curso de Pedagogia, câmpus de Miracema, professora do Programa de Pós-Graduação Profissional em Educação, Câmpus de Palmas e Pró-reitora de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas/UFT (2020 - atual) da Fundação Universidade Federal do Tocantins - UFT. Atua na área Educacional, atuando principalmente nos seguintes temas: formação, profissionalização e prática docente; avaliação educacional e avaliação institucional.

Martha Helena Rodrigues de Souza, Universidade Federal do Tocantins

Doutora em Psicologia Social pela Universidad John F. Kennedy Buenos Aires Argentina(2018) Revalidado no Brasil via Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRS(2021). Especialização em Administração pela Fundação Armando Álvares Penteado, FAAP (1997); e, especialização em Gestão em Educação Superior pela Universidade Federal de Santa Maria, UFSM (2010). Graduação em Administração de Empresas Públicas e Privada pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (1989). Administradora concursada da Fundação Universidade Federal do Tocantins. Professora do curso de Administração e Ciências Contábeis da Faculdade Serra do Carmo. Vice Presidente do Conselho de Administração do Estado do Tocantins, Presidente da Comissão Acadêmica do CRA-TO.

Ana Carmen de Sousa Santana, Universidade Federal do Tocantins

Pedagoga formada pela Universidade Federal do Ceará- UFC em 2003. Mestre e Doutora em Educação Brasileira, na Linha de Pesquisa Educação, Currículo e Ensino (LECE), também na UFC. Professora Assistente- DE da Universidade Federal do Tocantins, no Curso de Pedagogia- Campus de Arraias desde 2010, é pesquisadora e colaboradora do Laboratório de Pesquisas Mulltimeios- Faced/ UFC e sócia da ABPeducom. Foi bolsista Cnpq na categoria extensão, pelo projeto Centros Rurais de Inclusão Digital- CRID, coordenando as ações educomunicativas. Tem interesse nas areas de ensino, currículo, metodologias e tecnologias.

Referências

ALVES, R. Conversas com quem gosta de ensinar. São Paulo: Cortez, 1981.

AMANTE, L.; OLIVEIRA, I.; PEREIRA, A.. Cultura da Avaliação e Contextos Digitais de Aprendizagem: O Modelo Pract. Revista Docência e Cibercultura. Rio de Janeiro: RJ. v.1 n.1 Set/Dez.2017. pp. 135-150.

ANDRADE JUNIOR, J. M.; SOUZA, L. P.; SILVA, N. L. C. Metodologias ativas: práticas pedagógicas na contemporaneidade. Campo Grande: Editora Inovar, 2019.

BARRETO, V.. Formação permanente e continuada. Formação de educadores de jovens e adultos. Belo Horizonte: Autêntica, p. 93-101, 2006.

BAUER, A. Avaliação de impacto de formação docente em serviço: o Programa Letra e Vida. Tese de Doutorado – Programa de Pós-Graduação em Educação. Área de Concentração: Estado, Sociedade e Educação; Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo. Orientação: Sandra Maria Zákia Lian Sousa. São Paulo: s.n., 2011.

BAUER, A.; SOUSA, S. Z. L. Indicadores para avaliação de programas educacionais: desafios metodológicos. Revista Ensaio. Rio de Janeiro, v. 23, n. 86, p. 259-284, jan./mar. 2015.

BERBEL, N. A. N. A problematização e a aprendizagem baseada em problemas: diferentes termos ou diferentes caminhos? Interface-Comunicação, Saúde, Educação, v. 2, p. 139-154, 1998.

BRASIL. Presidência da República. LDB 9.394/96. Brasília: DF. 1996.

CAMILLO, J.; MATTOS, C. Educação em Ciências e a Teoria da Atividade Cultural Histórica: contribuições para reflexões sobre tensões na prática educativa. Revista Ensaio, n.01, v. 16, p.

CASTRO, M. M. C.; AMORIM, R. M. de A. A formação inicial e a continuada: diferenças conceituais que legitimam um espaço de formação permanente de vida. Cadernos Cedes, v. 35, n. 95, p. 37-55, 2015.

CODO, W.; VASQUES-MENEZES, I. O que é burnout? In: CODO, W. (org.) Educação: carinho e trabalho. UnB/CNTE, Petrópolis: Vozes, 2006. pp. 237-254.

CUNHA, M. I. Docência na universidade, cultura e avaliação institucional: saberes silenciados em questão. In: Rev. Bras. Educ. v.11 n.32 Rio de Janeiro maio/ago. 2006

DIAS SOBRINHO, J. Avaliação: políticas educacionais e reformas da educação superior. São Paulo: Cortez, 2003.

DEWEY J. A escola e a sociedade: a criança e o currículo. Lisboa: Relógio d’Água; 2002.

ENGESTRÖM, Y. Expansive Learning at Work: toward an activity theoretical reconceptualization. Journal of Education and Work.v.14, n.1, p. 133-156, 2001.

GUIMARÃES ROSA, João. Grande sertão: veredas. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. Originalmente publicado em 1956.

GUIMARÃES, V. S. Formação de Professores: saberes, identidade e profissão. 3ª Ed. Campinas, SP: Papirus, 2006.

GUSDORF, G.. Professores para quê? Para uma Pedagogia da Pedagogia. São Paulo: Martins Fontes, 1985-213p.

HAMELINE, D. O educador e a acção sensata. In: NÓVOA, A. Profissão professor. Porto: Porto, 1992. p. 35-62.

IMBERNÓN. F. Formação Docente e Profissional: formar-se para a mudança e a 121 incerteza. 6ª Ed. São Paulo: Cortez, 2006.

KANAANE, Roberto; ORTIGOSO, Sandra Aparecida F. Manual de Treinamento. 1ª ed. - São Paulo: Grupo GEN, 2018.

LIMA, V. V. Espiral construtivista: uma metodologia ativa de ensino-aprendizagem. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, v. 21, p. 421-434, 2016.

NÓVOA, A. Formação de professores e profissão docente. 1992.

____________ Firmar a posição como professor, afirmar a profissão docente. Cadernos de pesquisa, v. 47, p. 1106-1133, 2017.

PAIVA, M. R. F. et al. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem: revisão integrativa. SANARE-Revista de Políticas Públicas, v. 15, n. 2, 2016.

PORTILHO, E. M. L.; BATISTA, G.; REAL, H. R.; BRANCO, L. G. Avaliação de um Programa de Formação Continuada na Perspectiva Metacognitiva. EDUCERE. XIII Congresso nacional de Educação. Anais: formação de Professores: Contextos, sentidos e práticas. pp. 13342-13354.

TARDIF, M. Apresentação. Educ. Soc., Campinas, v. 22, n. 74, p. 11-26, abr., 2001.

VEIGA. I. P. A. Docência como atividade profissional. In: VEIGA. I. P. A; D’AVILA C. Profissão Docente: novos caminhos e novas perspectivas. Campinas, SP: Papirus. 2008. pp 13-21.

Downloads

Publicado

2022-11-07

Como Citar

PASSOS, Vânia Maria de Araújo; SOUZA, Martha Helena Rodrigues de; SANTANA, Ana Carmen de Sousa. AVALIAÇÃO DE PROGRAMA DE FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DE DOCENTES: QUESTÕES INTRODUTÓRIAS. Revista Docência e Cibercultura, [S. l.], v. 6, n. 1, p. 01–21, 2022. DOI: 10.12957/redoc.2022.66794. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/re-doc/article/view/66794. Acesso em: 21 maio. 2024.