DESAFIOS DA DOCÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR REMOTO: UMA EXPERIÊNCIA EM MORFOLOGIA E SINTAXE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.12957/redoc.2022.65842

Palavras-chave:

Docência no ensino superior, Ensino remoto, Morfologia, Sintaxe.

Resumo

O contexto pandêmico ocasionado pela Covid-19 trouxe consigo diversos desafios para a sociedade, em especial, no âmbito da educação em todos os níveis. Das mudanças nas relações interpessoais à gerência de um modelo de ensino aliado as tecnologias da informação e comunicação (TICs), o ensino presencial migra para a dimensão educacional remota que surge como uma estratégia educacional temporária, a fim de dirimir o impacto que a crise de saúde pública impõe. Por consequência, essa estratégia tem permitido a reflexão sobre as práticas educacionais e sobre o processo de ensino-aprendizagem em um contexto de isolamento social sem data certa para acabar. Nessa linha, neste trabalho, objetivamos relatar uma experiência desenvolvida na esfera do Ensino Superior, na graduação em Letras, a partir do componente curricular “Elementos de Morfologia e Sintaxe da Língua Portuguesa”, ofertado na modalidade presencial e adaptado à forma remota de ensino no ano de 2020. Diante disso, realizamos uma pesquisa de natureza qualitativa em que se busca discutir a experiência vivenciada no Ensino Superior nesse contexto de ensino remoto. Concluímos que o formato remoto não substitui a vivência cotidiana presencial, mas pode ser uma experiência significativa, sobretudo, quando o trabalho envolve a cooperação entre os sujeitos. 

Biografia do Autor

Jakeline Simões Gomes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN.

Mestranda em Estudos da Linguagem, na área de Linguística Teórica e Descritiva, pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (PPgEL-UFRN). Graduada em Letras - Língua Portuguesa (2021), pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (FELCS-UFRN). Atuou como Bolsista de Iniciação Científica - PIBIC/UFRN (2019-2020) na área de Linguística, desenvolvendo estudos sobre a interface entre ensino e gramática. Atuou como Bolsista de Monitoria nas disciplinas de Morfologia e Sintaxe da Língua Portuguesa - UFRN (2020-2021). Membro do Grupo de Estudos Discurso & Gramática - UFRN. 

Nedja Lima de Lucena, Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN.

Graduada em Letras - Língua Portuguesa (2007), Mestre em Estudos da Linguagem (2010) e Doutora em Estudos da Linguagem (2016), na área de Linguística - com foco em Linguística Aplicada, pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). É professora adjunta de Língua Portuguesa, na graduação (UFRN), e professora e pesquisadora, na área de Linguística, no Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem (PPgEL-UFRN). Interessa-se, em especial, por temas afetos à Linguística Funcional Centrada no Uso (interface entre Funcionalismo norte-americano e Linguística Cognitiva), tais como: transitividade; estrutura argumental; tipos semânticos de verbos; relações gramaticais; Gramática de Construções; interface sintaxe-semântica; descrição, análise e reflexão de fenômenos gramaticais e suas implicações para o ensino de Língua Portuguesa. Membro do Grupo de Estudos Discurso & Gramática - UFRN. Membro do GT Descrição do português da ANPOLL.

Referências

AVÕES, P. M. O feedback dos professores e o envolvimento dos alunos na escola: um estudo com alunos do 9º ano. Lisboa, UL. Dissertação de Mestrado, 2015. Disponível em: <http://hdl.handle.net/10451/20241>. Acesso em: 22 de julho 2021.

BRASIL. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais (Ensino Médio) - Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. Brasília, 2000. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/14 24.pdf>. Acesso em: 25 de julho 2021.

DANTAS, M. L. Material didático: História em quadrinhos. 2020. Trabalho do componente curricular Elementos de Morfologia e Sintaxe da Língua Portuguesa.

DANTAS, O. M. Monitoria: fonte de saberes à docência superior. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v. 95, p. 567-589, 2014. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/rbeped/a/HwcpZxZZjQm3rQDL33zQk8z/?lang=pt&format=pdf>. Acesso em: 27 de julho 2021.

FRISON, L. M. B. Monitoria: uma modalidade de ensino que potencializa a aprendizagem colaborativa e autorregulada. Pro-posições, v. 27, p. 133-153, 2016. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/0103-7307201607908>. Acesso em: 27 de julho 2021.

GARCIA, T. C. M.; et al. Ensino remoto emergencial: orientações básicas para elaboração do plano de aula. Natal: SEDIS/UFRN, 2020. Disponível em: <http://educapes.capes.gov.br/handle/capes/571151>. Acesso em: 22 de julho 2021.

GERHARDT, T. E.; SILVEIRA, D. T. (Orgs.). Métodos de pesquisa. Porto Alegre: EDUFRGS, 2009.

LIBÂNEO, J. C. Didática. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2013.

LUCKESI, C. C. Avaliação da Aprendizagem Escolar: estudos e proposições. 9 ed. São Paulo: Cortez, 1999.

MINAYO, M. C. S. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 21 ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

NEVES, M. H. M. Que gramática estudar na escola? Norma e uso na Língua Portuguesa. São Paulo: Contexto, 2011.

NÓVOA, A. A pandemia de Covid-19 e o futuro da Educação. Revista Com Censo: Estudos Educacionais do Distrito Federal, [S.l.], v. 7, n. 3, p. 8-12, ago. 2020. Disponível em: <http://periodicos.se.df.gov.br/index.php/comcenso/article/view/905>. Acesso em: 27 de julho 2021.

NUNES, J. B. C. Monitoria Acadêmica: espaço de formação. In: SANTOS, M. M.; LINS, N. M. A monitoria como espaço de iniciação à docência: possibilidade e trajetórias. Natal: Edufrn, 2007. p. 45-57. Disponível em: <http://arquivos.info.ufrn.br/arquivos/20132161039fe41407857a2bf7803d137/Monitoria_4.pdf>. Acesso em: 25 de julho 2021.

SILVA, M. A.; CASTRO FILHO, J. A. Trabalho Colaborativo com Suporte do Laptop: parceria entre professores e alunos. In: Anais dos Workshops do Congresso Brasileiro de Informática na Educação. 2015. p. 815-824. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.5753/cbie.wcbie.2015.815>. Acesso em: 31 de julho 2021.

SOARES, A. B.; MIRANDA, P. V.; SMANIOTTO, C. B. Potencial pedagógico do podcast no ensino superior. Redin-Revista Educacional Interdisciplinar, [S.l.], v. 7, n. 1, 2018.

PIMENTA, S. G. Formação de professores: identidade e saberes da docência. In: PIMENTA, Selma Garrido. (Org). Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez Editora, 1999. p. 15-34.

PITOMBEIRA, S. S. R; ANDRIOLA, W. B. Docência Universitária: Avaliação Diagnóstica como Instrumento Transformador da Prática Docente. [S.l.: s.n.], [2012].

POSSENTI, S. Por que (não) ensinar gramática na escola. Campinas, Mercado de Letras, 1996.

Downloads

Publicado

2022-11-07

Como Citar

GOMES, Jakeline Simões; DE LUCENA, Nedja Lima. DESAFIOS DA DOCÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR REMOTO: UMA EXPERIÊNCIA EM MORFOLOGIA E SINTAXE. Revista Docência e Cibercultura, [S. l.], v. 6, n. 1, p. 01–17, 2022. DOI: 10.12957/redoc.2022.65842. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/re-doc/article/view/65842. Acesso em: 22 maio. 2024.