Fabulações imagéticas e produção de outras existências negras possíveis

Autores

DOI:

https://doi.org/10.12957/redoc.2021.60593

Palavras-chave:

Imagem. Racismo. Docência. Fotografia. Religiosidade

Resumo

O presente texto é parte da pesquisa guarda-chuva do grupo de pesquisa Currículos, Narrativas Audiovisuais e Diferença (CUNADI), no qual pretendemos problematizar a produção de um feminino atribuído à docência, por meio de ensaios fotográficos em que professoras se autoapresentaram, autorrepresentaram e se deram a ver a partir de questões que atravessam seus cotidianos nos espaçostempos das escolas e além delas. Neste trabalho, intersecciamos a questão racial e o racismo vivenciado por duas dessas docentes, refletindo sobre racismo e o rosto-professora por meio da produção de outras imagens possíveis sobre si, tendo a fotografia como dispositivo de pesquisa problematizador para pensarmos a invenção de si e do mundo. A partir de suas potências individuais, elas se colocaram a fabular outras imagens sobre ser mulher negra e professora para além da docência, a partir de elementos que também constituem suas existências enquanto mulher negra, como adereços de referência a religiões de matriz africana.

Biografia do Autor

Maíra Mello

Mestre em Educação pelo Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (PROPED/UERJ).

Maria da Conceição Silva Soares, Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ

Professora Associada da Faculdade de Educação da Uerj; Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Uerj. Doutora Em Educação.

Referências

ALVES, Nilda; GARCIA, Regina Leite. Formação de docentes e currículos para além da resistência. In: Revista Brasileira de Educação v. 22 n. 71 e227147 2017.

BARTHES, Roland. A câmara clara. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2012.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: artes de fazer. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

CAPUTO, Stela Guedes. Aprendendo yorubá nas redes educativas dos terreiros: história, culturas africanas e enfrentamento da intolerância nas escolas. In: Revista Brasileira de Educação v. 20 n. 62 jul.-set. 2015.

COLLINS, Patricia Hill. Pensamento Feminista Negro: conhecimento, consciência e a política do empoderamento. São Paulo: Boitempo, 2019.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil Platôs: Capitalismo e esquizofrenia 2. Vol. 3. São Paulo: Editora 34. 2012.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir. Rio de Janeiro: Vozes, 2014.

FOUCAULT, Michel. A Ordem do Discurso. São Paulo, Loyola, 2008.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. Rio de Janeiro: Edições Graal. 1979.

GOMES, Nilma Lino. O movimento negro educador: saberes construídos nas lutas por emancipação. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017.

KASTRUP, Virgínia. A Invenção de si e do mundo. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

NOGUEIRA, Sidnei. Intolerância religiosa. São Paulo: Sueli Carneiro; Pólen, 2020. 160p. (Feminismos Plurais/ coordenação de Djamila Ribeiro).

SOARES, Conceição; NOLASCO-SILVA, Leonardo. Diferença, identidade e ficção: tecer currículos em redes, narrar os cotidianos e inventar o presente. In: Currículo sem fronteiras, v.15, n. 3, p.588-598, 2015.

SOARES, Conceição; PAIVA, Vanessa; FONSECA, João. Selfie e a tessitura de imagens e currículos individuaiscoletivos com as redes educativas. In: Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, Salvador, v. 02. n. 06, p. 549-564, set/dez 2017.

Downloads

Publicado

2021-07-12

Como Citar

MELLO, Maíra; SOARES, Maria da Conceição Silva. Fabulações imagéticas e produção de outras existências negras possíveis. Revista Docência e Cibercultura, [S. l.], v. 5, n. 2, p. 327–343, 2021. DOI: 10.12957/redoc.2021.60593. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/re-doc/article/view/60593. Acesso em: 13 abr. 2024.

Edição

Seção

Produções Artísticas, Literárias e Culturais