Fotos etnográficas como prática de pesquisa na pandemia – O que dizem as imagens?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.12957/redoc.2021.60504

Palavras-chave:

Etnografia, Infância, Pandemia.

Resumo

O presente trabalho busca dialogar, através das imagens feitas pela etnografia no campo de pesquisa Quilombo Cafundá Astrogilda, e a partir de uma nova percepção (MAGNANI 2009), onde observaremos não só o campo, mas o que está por trás dele, tentando entender como um  pesquisador inicia uma pesquisa, em um momento que somos todos atravessados pela pandemia causada pelo vírus da Covid-19 e mesmo com todas as medidas de precaução orientadas pela OMS, o que se torna possível, o que temos de palpável, o que muda não somente na nossa prática, mas na forma como nos relacionamos com o campo, com as fotos e com nós mesmos? talvez, uma movimentação parecida com a descrita acima pelo autor. Como se trata de uma pesquisa que está dando seus primeiros passos, não garantimos que todas as perguntas sejam respondidas, mas que as imagens possam reverberar pensamentos e ideias outras sobre o nosso ofício de ser pesquisador em tempos tão desafiadores. 


Biografia do Autor

Juliana Braga Teperino, Universidade Federal Fluminense

Graduada em Pedagogia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2018). Atualmente sou professora EBTT substituta da Universidade Federal Fluminense e sou Mestranda em educação no PoPEd/UERJ, como bolsista CAPES e com a orientação da professora Maristela Gomes de Souza Guedes. Também fui bolsista Proatec e de Extensão no projeto: Em Caxias, a filosofia en-caixa? Da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Estudo e desenvolvo artigos na área de Educação, com ênfase principalmente no seguinte tema: infância descoloniais 

Referências

BÂ, Amadou Hampaté. A palavra, memória viva na África. 2010

CAPUTO, Stela Guedes; SANT’ANNA, Cristiano ETNOGRAFIAS E AUDIOVISUALIDADES NAS PESQUISAS COM CRIANÇAS. Rio de Janeiro. 2021

SANT’ANNA, Cristiano. A FORÇA ANCESTRAL FEMININA NO MAR DE IEMANJÁ - UM FOTOARTIGO. Redoc Rio de Janeiro v. 3 n.3 p. 271 Set/Dez 2019 2019

MAGNANI, José Guilherme. ETNOGRAFIA COMO PRÁTICA E EXPERIÊNCIA. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 15, n. 32, p. 129-156, jul./dez. 2009~b

OYĚWÙMÍ, Oyèrónkẹ́. Visualizing the Body: Western Theories and African Subjects in: COETZEE, Peter H.; ROUX, Abraham P.J. (eds). The African Philosophy Reader. New York: Routledge, 2002, p. 391-415. Tradução para uso didático de wanderson flor do nascimento.

Downloads

Publicado

2021-07-12

Como Citar

TEPERINO, Juliana Braga. Fotos etnográficas como prática de pesquisa na pandemia – O que dizem as imagens?. Revista Docência e Cibercultura, [S. l.], v. 5, n. 2, p. 344–351, 2021. DOI: 10.12957/redoc.2021.60504. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/re-doc/article/view/60504. Acesso em: 25 maio. 2024.

Edição

Seção

Produções Artísticas, Literárias e Culturais