Pela boca da criança: pensando gênero e sexualidades a partir da infância de terreiro

Autores

  • Adelson Cezar Ataide Costa Junior Universidade do Estado do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.12957/redoc.2021.56620

Palavras-chave:

Educação. Estudos com Crianças de Terreiro. Gênero. Sexualidade. Interseccionalidade.

Resumo

Esse texto visa apresentar a investigação sobre as práticas educativas imbricadas com as relações de gênero e sexualidade em um terreiro de candomblé de nação Ketu, o Ilé Asé Iyá Ogunté, em Ananindeua – Pará. Leva-se em conta os estudos feministas e de relações de sexo - gênero feitos por Rubin (2003), Yogyakarta (2006), Samara (2000) e Akotirene (2019) para buscar entender os processos pelos quais as relações de sexo/gênero servem como fatores de afirmação identitária. Salientamos a noção de cosmopercepção Oyěwùmí (2002) para compreender a forma multissensorial de perceber as relações sociais. A metodologia é baseada no “Reparar miúdo, narrar Kékeré” de Caputo (2018). Enxerga-se a existência de duas correntes principais de entendimento/atuação: a primeira nega a possibilidade de mudanças alegando questões biologizantes e associando sexo - gênero  condicionados ao corpo físico de nascimento, e uma segunda corrente que entende a necessidade de reordenação das relações sociais e práticas educativas no que toca às redesignações de sexo - gênero dos membros das comunidades de terreiro. Assim, a percepção aponta para uma participação das crianças no processo de discussão desse debate, não estando alheias ao processo como o pensamento adultocêntrico pode fazer parecer, bem como a compreensão de que as transformações das regras sociais estão em constante processo de reformatação.

Biografia do Autor

Adelson Cezar Ataide Costa Junior, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Licenciado Pleno e Bacharel em História pela Universidade Federal do Pará - UFPA.

Especialista em Educação, Cultura e Organização Social pelo PPGED- UFPA.

Mestre em Educação pela Universidade do Estado do Pará - UEPA.

Doutorando em Educação pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ.

Professor Efetivo da Secretaria Executiva de Educação do Pará. 

Referências

AKOTIRENE, Carla. Interseccionalidade. Col. Feminismos Plurais. Sueli Carneiro: Pólen, 2019.

CAPUTO, Stela Guedes. Reparar Miúdo, narrar Kékeré:Notas sobre nossa fotoetnopoética com crianças de terreiros. In: Revista Teias. PROPED/UERJ, v. 19, n. 53, Rio de Janeiro: 2018.

JAGUN, Marcio de. Candomblé em tempos de crise. Live da Arché Editora, 28 de agosto de 2020. Disponível em: https://www.facebook.com/watch/?v=2765625783681926&extid=ZqcsqbWvNEqs4l94.

JAGUN, Marcio de. Yorùbá: Vocabulário temático do Candomblé. 1ªed. Rio de Janeiro:Litteris, 2017.

LORDE, Audre. Não existe hierarquia da opressão. 1983. Versão digital: https://rizoma.milharal.org/2013/03/03/nao-existe-hierarquia-de-opressao-por-audrelorde

MARTINS, Ferdinando; ROMÃO, Lilian; LINDNER, Liandro; REIS,Toni (Orgs). Manual de comunicação LGBT. BRASIL: ABGLT, 2010.

OYĚWÙMÍ, Oyèrónkẹ́. Visualizing the Body: Western Theories and African Subjects in: COETZEE, Peter H.; ROUX, Abraham P.J. (eds). The African Philosophy Reader. New York: Routledge, 2002, p. 391-415. Tradução para uso didático de wanderson flor do nascimento. Disponível em: https://filosofia-africana.weebly.com/.

RUBIN, Gayle. “Pensando o Sexo: Notas para uma Teoria Radical das Políticas da Sexualidade”. In: Cadernos Pagu, nº. 21, 2003. pp. 01-88.

SAMARA, Eni de Mesquita. Gênero em debate: Trajetória e perspectivas na historiografia contemporânea. São Paulo. Editora Autêntica, 2000. p. 13.

SILVA, Eliana Moura da. Religião, Diversidade e Valores Culturais: conceitos teóricos e a educação para a Cidadania. In: Revista de Estudos da Religião. Nº 2/2014, pp.1-14.

Downloads

Publicado

2021-07-12

Como Citar

ATAIDE COSTA JUNIOR, Adelson Cezar. Pela boca da criança: pensando gênero e sexualidades a partir da infância de terreiro. Revista Docência e Cibercultura, [S. l.], v. 5, n. 2, p. 182–198, 2021. DOI: 10.12957/redoc.2021.56620. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/re-doc/article/view/56620. Acesso em: 13 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigo Seção Temática