PASSA DEMAQUILANTE NO TEU PRECONCEITO: TUTORIAIS DE MAQUIAGEM COMO PERFORMANCE QUEER NO YOUTUBE

Autores

  • Elisângela Bertolotti Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - URI/ Frederico Westphalen
  • Rosângela Fachel de Medeiros Universidade Federal de Pelotas - UFPel

DOI:

https://doi.org/10.12957/redoc.2019.40792

Palavras-chave:

Youtube. Queer. Tutoriais de maquiagem.

Resumo

O Youtube é, atualmente, um espaço privilegiado de trocas e de interações no ambiente virtual, no qual reconhecemos uma crescente visibilidade e sucesso de performancesque apresentam estéticas e/ou sensibilidades Queer, as quais, de maneira geral, transcendem o limite de um nicho de público LGBTTTQIA[1] e, cada vez mais, são assistidas por um público heterogêneo. Neste artigo propomos uma leitura do “#TUTORIAL | Olho tudo + Boca tudo | Esfumado preto com glitter”, do famoso maquiador youtuber/influencer Antonio Campagna, enquanto performance Queer que subverter o discurso heteronormativo, que associa a maquiagem ao feminino e à mulher, e possibilita uma fruição lúdica da indeterminação que o Queer promove e celebra.


[1] A sigla originalmente criada como LGBT – Lesbicas, Gays, Bissexuais e Trans, e em uso desde 1990, com o passar do tempo e a maior atenção a esses indivíduos e as suas questões, foi sofrendo adequações, sendo essa sua versão mais recente, que identifica: Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais, Transgêneros, Queer, Intersexo e Assexual.

Biografia do Autor

Elisângela Bertolotti, Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - URI/ Frederico Westphalen

Mestra em Literatura Comparada pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - URI/ Frederico Westphalen. E-mail: elisangelabertolotti@gmail.com

Rosângela Fachel de Medeiros, Universidade Federal de Pelotas - UFPel

Doutora em Literatura Comparada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, professora visitante do Mestrado em Artes Visuais da Universidade Federal de Pelotas - UFPel. e-mail:rosangelafachel@gmail.com 

Referências

#TUTORIAL | OLHO TUDO + BOCA TUDO | ESFUMADO PRETO COM GLITTER. 9min. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=h4F1SsLmxGw> Acesso em: 10 jan. 2018.

AMORIM, Lauro Maia. Tradução & identidade. In: AMORIM, LM.; RODRIGUES, CC.; STUPIELLO, ÉNA. (Orgs.). Tradução & perspectivas teóricas e práticas [online]. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2015, pp. 155-182. Disponível em: <http://books.scielo.org/id/6vkk8/pdf/amorim-9788568334614-08.pdf > Acesso em: 29 abr. 2018.

ANDACHT, Fernando. Uma abordagem semiótica e indicial da identidade na era de YouTube. Intexto. Porto Alegre, Porto Alegre, UFRGS, n. 34, p. 79-98, set./dez. 2015. Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/290220995_Uma_abordagem_semiotica_e_indicial_da_identidade_na_era_de_YouTube/fulltext/56996feb08aea1476943485f/290220995_Uma_abordagem_semiotica_e_indicial_da_identidade_na_era_de_YouTube.pdf 4> Acesso em: 10 jan. 2018.

BUBER, M. Do diálogo e do dialógico. São Paulo: Perspectiva. 2014.

BURGUESS, Jean; GREEN, Joshua. YouTube e a Revolução Digital: como o maior fenômeno da cultura participativa está transformando a mídia e a sociedade. São Paulo: Aleph, 2009.

BUTLER, Judith. Problemas de Gênero: Feminismo e Subversão da Identidade; tradução Renato Aguiar. 2 ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.

COSTA, Bruno. Personagens de si nas videogra as do Youtube. Revista Eco-Pós, Rio de Janeiro, v.12, n.2, p. 206-219, maio-ago. 2009

COSTA, Milane do Nascimento; SILVA JÚNIOR Claudio Gomes da. “Que Bicha É Essa?” Uma Análise da Cultura Gay na Internet: Comportamentos, Subjetividades e Linguagens. 2014. Disponível em: <http://eventos.livera.com.br/trabalho/98-1020785_01_07_2015_00-40-40_9276.PDF >. Acesso em: 29 abr. 2018.

ELLIS, Rowan. 2017. O YouTube é anti-LGBTQ? Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=Zr6pS07mbJc> Acesso em: 29 abr. 2018.

JENKINS, Henry. O que aconteceu antes do YouTube? In: BURGESS, Jean; GREEN, Joshua. YouTube e a Revolução Digital: como o maior fenômeno da cultura participativa transformou a mídia e a sociedade. Tradução Ricardo Giassetti. São Paulo: Aleph, 2009

JORNALISMO UCDB 2017. DEU CERTO MULTIMÍDIA – ANTONIO CAMPAGNA. UCDB, 2017. 40min. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=6d65pMTXhFA&t=672s> Acesso em: 11 jan. 2018.

KOTLER, Philip. La mejor publicidad es la que hacen los clientes satisfechos. Disponível em: <https://www.unav.edu/documents/4889803/13079787/62_Orvalle+-+La+evoluci%C3%B3n+del+Marketing+tradicional+al+de+influencia+Los+influencers.pdf/5d9ee093-ff02-1d1a-c20f-714e021e9c5d> Acesso em: 30 abr. 2018.

LOPES, Denílson. O homem que amava rapazes e outros ensaios. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2002.

LOPES, Mariana. Com efeitos extravagantes, maquiador faz tutoriais para conquistar a internet. Disponível em: < https://www.campograndenews.com.br/lado-b/comportamento-23-08-2011-08/com-efeitos-extravagantes-maquiador-faz-tutoriais-para-conquistar-a-internet> Acesso em: 29 abr. 2018.

LOURO, Guacira L. Um corpo estranho: ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2013.

MACCEDO, Paulo. Camilo Coutinho Revela: 14 coisas que você precisa saber antes de começar o seu canal no Youtube. 2018. Disponível em: < https://paulomaccedo.com/camilo-coutinho/> . Acesso em: 10 abr. 2018.

MENEGON, Érika Nogueira. Imagens e Narrativas midiáticas: Análise dos Vídeos do YouTube. (Dissertação) Programa de Pós-graduação em Educação da Faculdade de Filosofia e Ciências, da Universidade Estadual Paulista – UNESP – Campus de Marília. 152f. Disponível em:<https://www.marilia.unesp.br/Home/PosGraduacao/Educacao/Dissertacoes/menegon_en_me_mar.pdf> Acesso em: 12 jan. 2018.

MONTANHA, Fausto Amaro Ribeiro Picoreli. Por um estudo dos vlogs: apontamentos iniciais e contribuições teóricas de Marshall McLuhan. Contemporânea. 2011. Disponível em <http://www.contemporanea.uerj.br/pdf/ed_18/contemporanea_n18_12_Fausto_Amaro_Ribeiro_Picoreli_Montanha.pdf>. Acesso em: 02 abr. 2018.

WESCH, Michael. No texto Youtube and youexperiences of self-awareness in the context collapse of the recording webcam. EME, 2009. Disponível em: <https://krex.k-state.edu/dspace/bitstream/handle/2097/6302/WeschEME2009.pdf > Acesso em: 29 abr. 2018.

MORTON, Donald. El nacimiento de lo ciberqueer. In: JIMÉNEZ, Rafael M. Mérida. Sexualidades transgresoras. Una antología de estudios queer. Barcelona: Icária editorial, 2002, p. 111-140.

MOTTA, Bruna Seibert; BITTENCOURT, Maíra; VIANA, Pablo Moreno Fernandes. A influência de Youtubers no processo de decisão dos espectadores: uma análise no segmento de beleza, games e ideologia. Revista da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação E-compós, Brasília, v.17, n.3, set./dez. 2014. Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/274898622_A_influencia_de_Youtubers_no_processo_de_decisao_dos_espectadores_uma_analise_no_segmento_de_beleza_games_e_ideologia> Acesso em: 11 jan. 2018.

SCHECHNER, Richard. Performance teoria y prácticas interculturales. Buenos Aires: Libros del Rojas – Universidade de Buenos Aires, 2000; p. 13.

SANTAELLA, Lucia. Culturas e artes do pós-humano: da cultura das mídias à cibercultura. São Paulo: Paulus, 2003.

SANTAELLA, Lucia. Linguagens líquidas na era da mobilidade. São Paulo: PAULUS, 2007.

SCOLARI, Carlos. LIBRO BLANCO – Alfabetismo Transmedia en las nuevas Ecología de los Medios. Disponível em: <https://repositori.upf.edu/bitstream/handle/10230/33910/Scolari_TL_whit_es.pdf > Acesso em: 27 abr. 2018.

SIBILIA, Paula. O Show do eu. A intimidade como espetáculo. Rio de Janeiro. Editora Nova Fronteira, 2008.

SONTAG, Susan. Notes On “Camp”, 1964. Disponível em: <https://faculty.georgetown.edu/irvinem/theory/Sontag-NotesOnCamp-1964.html >. Acesso em: 29 abri. 2018.

THOMPSON, John B. A nova visibilidade. MATRIZES, USP, São Paulo, v. 1, n. 2, abr. 2008, p. 15-38. Disponível em: <http://www.periodicos.usp.br/matrizes/article/view/38190/40930 > Acesso em: 25 abr. 2018.

TUDO SOBRE MAKE. 'Baking', técnica de contorno que é dica para um acabamento perfeito, é a sensação de maquiagem do momento. Disponível em: <http://www.tudosobremake.com.br/noticia/-baking-tecnica-de-contorno-que-e-dica-para-um-acabamento-perfeito-e-a-sensacao-de-maquiagem-do-momento_a5618/1> Acesso em: 10 jan. 2018.

WOODWARD, Kathryn. Identidade e diferença: uma introdução teórica e conceitual. In: SILVA, T. T. da (Org). Identidade e diferença: a perspectiva dos Estudos Culturais. 1 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1999. (p.7-72).

Downloads

Publicado

2019-06-02

Como Citar

BERTOLOTTI, Elisângela; MEDEIROS, Rosângela Fachel de. PASSA DEMAQUILANTE NO TEU PRECONCEITO: TUTORIAIS DE MAQUIAGEM COMO PERFORMANCE QUEER NO YOUTUBE. Revista Docência e Cibercultura, [S. l.], v. 3, n. 1, p. 151–176, 2019. DOI: 10.12957/redoc.2019.40792. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/re-doc/article/view/40792. Acesso em: 13 abr. 2024.