Sustentação pedagógica e legislação do ensino-aprendizagem: a formação em enfermagem no Brasil

Rosa Gomes dos Santos Ferreira, Jorge Luiz do Nascimento

Resumo


Produto final do curso da disciplina “Seminário sobre a problemática do ensino de enfermagem”, ofertada pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Rio de Janeiro, que teve como objetivos: Refletir a respeito da sustentação pedagógica, bases legais e inovações acerca do ensino de Enfermagem; semear ideias sobre o contexto da Educação em Enfermagem, com enfoques teóricos e educacionais; Analisar o desenvolvimento da Educação em Enfermagem no Brasil. Através da busca científica nas bases indexadas de dados LILACS, MEDLINE, PUBMED e SCIELO, bibliografia virtual e impressa de livros conceituais e legislação acerca do assunto, analisamos o tema, concluindo que Enfermagem tem fundamentado seu conhecimento em bases legais amadurecidas, por meio de longo período de discussão democrática, através da participação dos profissionais que executam a assistência e a docência, junto aos órgãos responsáveis pelo seu cumprimento. Contudo, as diretrizes representam a base norteadora no processo de construção curricular, cabendo às universidades, adequar à sua realidade, os projetos políticos e pedagógicos que serão assumidos, visto que a Lei permite essa autonomia. Ressalta-se a importância da participação e compromisso acadêmico de discentes, docentes e da população no processo das reformas curriculares, intentando a participação coletiva e a busca por uma assistência de enfermagem de qualidade.

 


Palavras-chave


Educação em enfermagem; Educação; Legislação; Educação em saúde

Texto completo:

PDF

Referências


BISCARDE, D.G dos S; PEREIRA-SANTOS, M; SILVA, L.B. Formação em saúde, extensão universitária e Sistema Único de Saúde (SUS): conexões necessárias entre conhecimento e intervenção centradas na realidade e repercussões no processo formativo. Interface (Botucatu), Botucatu, v. 18, n. 48, p. 177-186, 2014. Disponível em:. Acesso em 03 Set. 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei das Diretrizes e Bases da Educação Nacional nº. 9.394/96 de 20 de dezembro de 1996. Publicada Diário Oficial da União em 23/12/96, seção1. [s.1: s.n.], 1996.

CERVO, A.L; BERVIAN, P.A. Metodologia Científica.São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2002.

CHIZZOTTI, A.A. Pesquisa em ciências humanas e sociais. 5ª Ed. São Paulo: Cortez, 2001.p.77-104

DELORS, J; AL-MUFTI, I; AMAGI, I; CARNEIRO, R; CHUNG,F; GEREMEK,B; SAVANÉ, MA. Educação um tesouro a descobrir: Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI. 8ª ed. São Paulo: Cortez, Brasília DF: MEC: UNESCO, 2003.

ERDMANN, A.L; LANZONI, G.M.deM. Características dos grupos de pesquisa da enfermagem brasileira certificados pelo CNPq de 2005 a 2007.Esc. Anna Nery, Rio de Janeiro, v. 12, n. 2, p. 316-322, June 2008.Disponível em.Acesso em 22 Mai 2015.

FREIRE, P. Educação como prática de liberdade. 5. Ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1975.

GALLEGUILLOS, T.G.B.; OLIVEIRA, M.A.C. A gênese e o desenvolvimento histórico do ensino de enfermagem no Brasil.Rev Esc Enf USP, v.35, n. 1,p. 80-7, mar. 2001.

MARCO, M.A.De; DEGIOVANI, M.V; TOROSSIAN, M.S, WECHSLER; R, JOPPERT; SILVIA, M.H; LUCCHESE, A.C. Comunicação, humanidades e humanização: a educação técnica, ética, estética e emocional do estudante e do profissional de saúde. Interface (Botucatu) [Internet]. 2013 Sep [cited 2016 Nov 07]; 17(46):683-693.Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141432832013000300015&lng=en. Epub Aug 23, 2013.

PERRENOUD, P. Ascompetências para ensinar no século XXI: a formação dos professores e o desafio da avaliação. Porto Alegre: Artmed, 2002.

PERRENOUD, P. Construir as competências desde a escola.Porto Alegre: Artmed, 1999. 90p.

SCHWINGEL, T.C.P.G; ARAÚJO, M. C.P.; BOFF, E.T.O. A educação em saúde nos currículos de formação de professores. R. Transmutare, Curitiba, v. 1, n. 1, p. 126-140, jan./jun. 2016.

SILVA, M.J; SOUSA, E.M, FREITAS, C.L. Formação em enfermagem: interface entre as diretrizes curriculares e os conteúdos de atenção básica.Rev Bras Enferm, Brasília 2011 mar-abr; 64(2): 315-21.

SILVA, V.O; SANTANA, P.M.M.A. Curriculum content and Brazilian Health System (SUS): analytical categories, gaps and challenges. Interface (Botucatu). http://www.scielosp.org/pdf/icse/v19n52/1807-5762-icse-1807-576220140017.pdf. Acesso em 13 set 2015.

TEIXEIRA, C.F.deS.; COELHO, M.T.Á.D; ROCHA, M.N.D. Bacharelado interdisciplinar: uma proposta inovadora na educação superior em saúde no Brasil. Ciênc. saúde coletiva, Rio deJaneiro , v. 18, n. 6, p. 1635-1646, June 2013 .Disponível em . Acesso em 03 set. 2015.

ZUKOWSKY-TAVARES, C. Avaliação formativa da aprendizagem no ensino superior e o compromisso dos docentes e dos gestores. In: MASETTO, M.T. Inovação no ensino superior. São Paulo: Edições Loyola, 2012.

WALDOW, V. Reflexões sobre educação em enfermagem: enfase em um ensino centrado no cuidado. O Mundo da Saúde São Paulo: 2009;33(2):182-188.




DOI: https://doi.org/10.12957/sustinere.2017.25551

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


   Resultado de imagem para blogger icon   

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

ISSN 2359-0424

A Revista SUSTINERE está indexada/cadastrada em:

 


A partir da 7ª edição da Revista SUSTINERE (V.4, Nº2, 2016), todos os trabalhos das colunas Artigos, Comportamento e Ambiente, e Ensaios, são submetidos a um exame de confiabilidade através dos serviços do iThenticate, cujos relatórios são analisados pelos editores, para a aprovação da publicação destes.