A MODELAGEM MATEMÁTICA NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO INFANTIL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.12957/riae.2023.70719

Palavras-chave:

Formação de professores, Prática pedagógica, Modelagem Matemática.

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar o que os professores de Educação Infantil revelam como contribuições à sua base de conhecimento ao participarem de um curso de Modelagem Matemática na perspectiva da Educação Matemática. Para obtenção dos dados, foi realizado um curso de extensão para professores de Educação Infantil sobre Modelagem Matemática na perspectiva da Educação Matemática. A metodologia da pesquisa é qualitativa e os dados foram coletados por meio de dois questionários, sendo o primeiro no início do curso e o outro ao final do mesmo. Para a análise dos dados, foi utilizada a Análise Textual Discursiva de Moraes e Galiazzi (2016). Como embasamento teórico, utilizou-se de Shulman (2014), relacionado à base de conhecimento do professor, Burak (2004, 2010) e Belo (2016) sobre Modelagem Matemática e/na Educação Infantil e Lorenzato (2011) voltado à Matemática na Educação Infantil. Através dos resultados obtidos, considera-se que o curso contribuiu na formação dos professores de Educação Infantil ampliando sua base de conhecimento. Tal fato é de extrema importância visto que a Modelagem Matemática, um conhecimento pedagógico do conteúdo, passou a ser considerada como possibilidade para o desenvolvimento de práticas pedagógicas nessa fase de ensino. Isso possibilita a abordagem de noções e conceitos matemáticos a partir da realidade das crianças.

Biografia do Autor

Cibelli Batista Belo, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e em Matemática (PPGECM-UFPR), Professora da Rede Municipal de Irati/PR

Tania Teresinha Bruns Zimer, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Professora do Departamento de Teoria e Prática de Ensino, Setor de Educação, Universidade Federal do Paraná, do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e em Matemática (PPGECM-UFPR) e do Programa de Pós-Graduação em Educação: Teoria e Prática de Ensino (PPGE:TPEn-UFPR)

Referências

ABBEG, Ana Valéria. Modelagem Matemática com crianças de 5 e 6 anos no município de Pinhais – PR. 2019. 138f. Dissertação (mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Educação: Teoria e Prática de Ensino. Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2019.

ALMEIDA, Lourdes Maria Werle de; SILVA, Karina Pessoâ; VERTUAN, Rodolfo Eduardo. Modelagem matemática na educação básica. São Paulo: Contexto, 2012.

ARAGÃO, Rosália Maria Ribeiro de. Rumo à educação do século XXI: para superar os descompassos do ensino nos anos iniciais de escolar idade. In: BURAK, Dionísio; PACHECO, Edilson Roberto; KLÜBER, Tiago Emanuel (Org). Educação Matemática: reflexões e ações. Curitiba: CRV, p.11-25, 2010.

BARBOSA, Jonei Cerqueira. Modelagem na Educação Matemática: Contribuições para o debate teórico. In: Reunião Anual da ANPED, 24, 2001. Caxambu. Anais... Caxambu: AMPED, 2001.

BASSANEZI, Rodney Carlos. Ensino-aprendizagem com modelagem matemática. São Paulo: Contexto, 2002.

BELO, Cibelli Batista. Modelagem matemática na educação infantil: contribuições para a formação da criança. 2016. 110 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências Naturais e Matemática) - Setor de Ciências Exatas e de Tecnologia, Universidade Estadual do Centro-Oeste, Guarapuava, 2016.

BELO, Cibelli Batista; BURAK, Dionísio. A Modelagem Matemática na Educação Infantil: uma experiência vivida. Educação Matemática Debate, v. 4, p.1-22, 2020.

BIEMBENGUT, Maria Salett. Modelagem Matemática nos anos iniciais do ensino fundamental: ciências e Matemática. São Paulo: Contexto, 2019.

BOGDAN, Roberta C.; BIKLEN, Sari Knopp. Investigação qualitativa em educação. Porto: Porto Editora, p. 134-301, 1994.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Lei das Diretrizes e Base da Educação Nacional (LDB). 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm. Acesso em 24 jun. 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil / Secretaria de Educação Básica. – Brasília: MEC, SEB, 2010. 36 p.: Il.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, SEB, 2018.

BURAK, Dionísio. Modelagem Matemática: ações e interações no processo de ensino-aprendizagem. 1992. 460 f. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1992.

BURAK, Dionísio. Modelagem Matemática e a sala de aula. In: Encontro Paranaense de Modelagem em Educação Matemática – I EPMEM, Londrina, 2004. Anais... Londrina: UEL, 2004.

BURAK, Dionísio. Modelagem Matemática sob um olhar de Educação Matemática e suas implicações para a construção do conhecimento matemático em sala de aula. Revista de Modelagem na Educação Matemática. v. 1, n. 1, 10-27. 2010.

BURAK, Dionísio. Modelagem Matemática nos diferentes níveis de ensino: uma perspectiva. In: XII EPREM – Encontro Paranaense de Educação Matemática. Campo Mourão, 2014. Anais:...Campo Mourão: UNESPAR, 2014, p. 1-14.

BURAK, Dionísio. A Modelagem Matemática na perspectiva da Educação Matemática: olhares múltiplos e complexos. Educação Matemática Sem Fronteiras, Chapecó, v. 1, n. 1, p. 96-111, jan./jun. 2019.

BURAK, Dionísio; KLUBER, Tiago Emanuel. Educação Matemática: contribuições para compreensão de sua natureza. Acta Scientiae (ULBRA), v.10, p. 93-106, jul-dez, 2008

CALDEIRA, Ademir Donizeti. Modelagem Matemática: um outro olhar. Alexandria. Revista de Educação em Ciência e Tecnologia. Vol.2, ano2, p. 33-54, 2009.

DALVI, Silvana Cocco; REZENDE, Oscar Luiz Teixeira de; LORENZONI, Luciano Lessa. Modelagem matemática na Educação Infantil: quanto tempo falta para o Natal? Perspectivas da Educação Matemática, v. 13, n. 33, p. 1-21, 22 set. 2020.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6ª ed. São Paulo: Editora Atlas S.A, 2008.

LORENZATO, Sérgio. Educação Infantil e percepção matemática. 3 ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2011.

MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti. Aprendizagem da docência: algumas contribuições de L.S.Shulman. Educação, Santa Maria, v. 29, n. n 02, p. 33-49, 2004.

MORAES, Roque; GALIAZZI, Maria do Carmo. Análise Textual Discursiva. 3 ed. Ijuí: Editora UNIJUI, 2016.

OLIVEIRA, Zilma de Moraes Ramos de.; FERREIRA, Marisa Vasconcelos; BARROS, Joseane Aparecida Bomfim de. Formação Continuada em Educação Infantil: A construção de uma agenda de possibilidades. In: GUIMARÃES, Célia Maria; REIS, Pedro Guilherme Rocha dos. (Org.). Professores e Infâncias: estudos e experiências. Araraquara, SP: Junqueira &Marin, p. 13-28, 2011.

SHULMAN, Lee S. Conhecimento e ensino: fundamentos para a nova reforma. Cadernos Cenpec, São Paulo, v. 4, n. 2, p. 196-229, dez. 2014.

SILVA, Francisca Janice; SOUSA, Sidnei Santos de. Formação de professores da educação infantil: A tematização da prática como estratégia formativa. In: Editora Poisson (Org.). Educação no Século XXI – Volume 35 – Leitura, Escrita, Formação Pedagógica. Belo Horizonte, MG: Poisson, p.13-18, 2019.

UJIIE, Nájela Tavares. Formação continuada de professores da educação

infantil num enfoque CTS. 2020. 207 f. Tese (Doutorado em Ensino de Ciência e

Tecnologia) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Ponta Grossa, 2020.

Downloads

Publicado

2023-03-31

Como Citar

Belo, C. B., & Zimer, T. T. B. (2023). A MODELAGEM MATEMÁTICA NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO INFANTIL. Revista Interinstitucional Artes De Educar, 9(1), 165–184. https://doi.org/10.12957/riae.2023.70719

Edição

Seção

DOSSIÊ PROCESSOS FORMATIVOS NA DOCÊNCIA DE PROFESSORES (AS) QUE ENSINAM MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL E/OU NOS ANOS IN