HETEROTOPIAS DO CUIDADO: ESPAÇOS OUTROS PARA A INFÂNCIA NA ESCOLA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.12957/riae.2022.70209

Palavras-chave:

infância, cuidado, cartografia, heterotopias.

Resumo

Este texto constitui-se como uma narrativa reflexiva de experimentações ético-estético-afetivas. Escrevemos a partir de uma experiência implicada com a produção de inteligibilidades sobre práticas de cuidado da infância em uma comunidade escolar. A cartografia, que reivindica a inseparabilidade entre fazer e conhecer, constitui-se como o dispositivo metodológico por nós eleito para a realização desta pesquisa-intervenção-experimentação. O Núcleo de Estudos e Acolhimento às Questões Escolares - NEAQUE foi o nosso ponto de partida, é o lugar desde onde ocupamo-nos com a tarefa de descolonização psicopedagógica das infâncias. Neste núcleo investimos no engendramento de heterotopias desnormatizadoras de ações voltadas para a educação e o cuidado das crianças nas instituições educacionais, na clínica e na comunidade. Nesta escrita cartográfica, subscrevemos que a escola tomada como território de disputas maniqueístas, produz apenas vida ou morte. Mas, para além do bem e do mal, como território ético-estético-político-afetivo, pode produzir micro-revoluções: heterotopias de uma infância bela, acontecimentalização da existência. 

Biografia do Autor

Rogério Machado Rosa, Universidade Federal de Santa Catariana - UFSC

Professor do Departamento de Metodologia de Ensino/MEN, no Centro de Ciências da Educação/CED, da Universidade Federal de Santa Catarina/UFSC. Graduado em Psicologia (Bacharelado e Licenciatura). Mestre e Doutor em Educação. Integrante do Núcleo Vida e Cuidado: estudos e pesquisas sobre violências - NUVIC/CED/UFSC. Pesquisador Associado ao Laboratório de Relações de Gênero e Família - LABGEF, da Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC. Principais temas e áreas de interesse: Corpo. Gênero. Sexualidade. Violências. Infância. Ética. Cuidado de si. Filosofia da Diferença/Esquizoanálise. Cartografia/pesquisa. Psicologia Escolar e Educacional.

Letícia Teles de Sousa, Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC

Letícia Teles de Sousa, Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC; E-mail: leticiatelesdesousa@gmail.com; Graduada em Psicologia pela Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL), mestranda em Psicologia Social na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) .

Maria Eduarda de Souza, Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

Psicóloga pela Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL), especialista em Educação e Segurança Humana e mestranda em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina. Atualmente exclusivo do Núcleo Vida e Cuidado: estudos e pesquisas sobre violências - NUVIC/CED/UFSC. Atua como psicóloga clínica e educadora do Centro de Integração Empresa-Escola Santa Catarina. Principais áreas de interesse: Processos de negócio do. Infância. Psicologia Escolar e Educacional. Violência. Criações estéticas. 

Fernanda Karoliny Gonçalves Rieg, Universidade do Sul de Santa Catariana - UNISUL

Graduada em Psicologia pela Universidade do Sul de Santa Catarina. Atua como psicóloga clínica.

Referências

BUTLER, Judith. Corpos que pesam: sobre os limites discursivos do sexo. In: LOURO, Guacira Lopes (Org.). O Corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2002. p. 151-172

DAL MOLIN, Fábio. Rizomas e fluxos molares e moleculares da máquina-escola: confissões de um cartógrafo. Psicologia & Sociedade, v. 23, n. 2, p. 303-311, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/psoc/v23n2/a11v23n2.pdf. Acesso em: 30 ago. 2019.

DELEUZE, Gilles. Conversações (1972-1990) / Gilles Deleuze; tradução de Peter Pál Pelbart. - São Paulo: Ed. 34, 1992 (7º Reimpressões), 2º Edição - 2010.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs: Capitalismo e esquizofrenia. Vol. I. São Paulo: Editora 34, 1995.

______________________________. Mil platôs: Capitalismo e esquizofrenia. Vol. IV. São Paulo; Editora 34, 1997.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. 23. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1999.

FOUCAULT, Michel. A escrita de si. In: FOUCAULT, Michel. O que é um autor? Lisboa: Passagens. 1992.

_________________. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Tradução de Raquel Ramalhete. Petrópolis: Vozes, 2002.

_________________. Ditos e escritos. Tradução de Elisa Monteiro. Rio de Janeiro: Forense Universitária, v. V (Ética, sexualidade, política), 2004.

_________________. Outros espaços. In: ______. Estética: literatura e pintura, música e cinema (Ditos e escritos III). 2. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009. p. 411-422.

_________________. Hermenêutica do sujeito: curso dado no Collège de France (1981-1982) / Michel Foucault; edição estabelecida sob a direção de François Ewald e Alessandro Fontana, por Frédéric Gros; Tradução Márcio Alves da Fonseca, Salma annus Muchail. 3 ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2010.

HERNÁNDEZ, Jimena de Garay; GUILHON, Flavio Lopes. A movimentação das palavras: devir-construção no feminino da escrita. Fractal: Revista de Psicologia, Niterói, v. 31, n. 1, p. 43-50, 2019. Disponível em: http://periodicos.uff.br/fractal/article/view/5556/16385. Acesso em: 30 ago. 2019.

KOHAN, Walter Omar. Infância: entre educação e filosofia. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

MOURA, Carla Borin; HERNANDEZ, Adriane. Cartografia como método de pesquisa em arte. In: SEMINÁRIO DE HISTÓRIA DA ARTE, 17, 2012, Pelotas. Anais… Pelotas: UFPel. Disponível em: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/Arte/article/viewFile/1694/1574. Acesso em: 28 set. 2019.

NIETZSCHE, Friedrich. Para além do bem e do mal: prelúdio a uma filosofia do futuro. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

PATTO, Maria Helena Souza. A produção do fracasso escolar: histórias de submissão e rebeldia. São Paulo: T.A Queiroz, 1996.

_______________________. Para uma Crítica da Razão Psicométrica. Psicologia USP, São Paulo , v. 8, n. 1, p. 47-62, 1997 . Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-65641997000100004&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 31 ago. 2019.

PASSOS, Eduardo; BARROS, Regina Benevides de. A cartografia como método de pesquisa-intervenção. In: PASSOS, Eduardo; KASTRUP, Virgínia; ESCÓSSIA, Liliana da (Org.). Pistas do método da cartografia. Porto Alegre: Sulina, 2010, p. 17-31.

ROMAGNOLI, Roberta Carvalho. A cartografia e a relação pesquisa e vida. Psicologia & Sociedade, v. 21, n.2, p. 166-173, 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/psoc/v21n2/v21n2a03.pdf. Acesso em: 30 ago 2019.

Downloads

Publicado

07-12-2022

Como Citar

ROSA, Rogério Machado; DE SOUSA, Letícia Teles; DE SOUZA, Maria Eduarda; RIEG, Fernanda Karoliny Gonçalves. HETEROTOPIAS DO CUIDADO: ESPAÇOS OUTROS PARA A INFÂNCIA NA ESCOLA. Revista Interinstitucional Artes de Educar, [S. l.], v. 8, n. 3, p. 978–990, 2022. DOI: 10.12957/riae.2022.70209. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/riae/article/view/70209. Acesso em: 21 jun. 2024.