Experiências docentes de formação continuada sobre gênero e sexualidade no ensino fundamental

Aline Madalena Martins, Tânia Mara Cruz

Resumo


A presente pesquisa busca analisar de que modo uma determinada experiência de formação continuada de professores sobre relações de gênero e sexualidade pode contribuir para novas práticas docentes. Dentro de uma abordagem materialista histórica e dialética e a partir de um roteiro semiestruturado, foram entrevistados nove profissionais que participaram de uma formação continuada sobre a temática em uma escola de educação básica na cidade de Tubarão/SC no ano de 2014. Os resultados indicam a incorporação de práticas pedagógicas críticas em relação aos binarismos de gênero, mas com pouca repercussão em atividades relacionadas à sexualidade.

Palavras-chave


formação continuada de professores; ensino fundamental; práticas pedagógicas; relações de gênero; sexualidade

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Lei n.13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF., 26 jun. 2014. Disponível em: . Acesso em: dez. de 2017.

_______. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base nacional comum curricular. Brasília, DF, 2016. Disponível em: < http://basenacionalcomum.mec.gov.br/#/site/inicio>. Acesso em: dez. 2017.

CONNELL, Raelwyn W. Como teorizar o patriarcado. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 16, n. 2, p. 85-93, 1990.

______. Masculinidade Hegemônica: Repensando o Conceito. Estudos Feministas, v. 21, n. 1, 2013. ISSN 0104-026X. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2013000100014. Acesso em: fev. 2017.

FORQUIN, Jean-Claude. Escola e cultura: as bases sociais e epistemológicas do conhecimento escolar. Tradução: Guacira Lopes Louro. Porto Alegre: Artes Médicas, 1993.

FRANCO, Maria Amélia do Rosario Santoro. Prática pedagógica e docência: um olhar a partir da epistemologia do conceito. Rev. Bras. Estudos Pedagógicos. Brasília, v. 97, n. 247, set./dez. 2016. ISSN 0034-7183. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S2176-66812016000300534&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: fev. 2018.

GIROUX, Henry A. Os professores como intelectuais: rumo a uma pedagogia crítica da aprendizagem. Tradução de Daniel Bueno. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

GRAMSCI, Antonio. Concepção dialética da história. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

KONDER, Leandro. O futuro da filosofia da práxis: o pensamento de Marx no século XXI. 2 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

LOURO, Guacira Lopes. Uma leitura da história da educação sob a perspectiva de gênero. Projeto História, São Paulo, v. 11, 1994.

MARTINS, Aline Madalena. A formação continuada de professores/as sobre gênero e sexualidade: contribuições para uma nova prática pedagógica. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós graduação em Educação, Universidade do Sul de Santa Catarina. Tubarão, 153 p. 2019.

MATTOS, Amana; MAGALDI, Ana Maria Bandeira de Mello; COSTA, Carina Martins; SILVA, Conceição Firmina Seixas; PENNA, Fernando de Araújo; VELLOSO, Luciana; LEONARDI, Paula; ALBERTI, Verena. Educação e liberdade: apontamentos para um bom combate ao Projeto de Lei Escola sem Partido. In: FRIGOTTO, Gaudêncio (Org). Escola “sem” partido: esfinge que ameaça a educação e a sociedade brasileira. Rio de Janeiro: UERJ, LPP, 2017, p. 87-104.

MENDONÇA, Amanda André de; MOURA, Fernanda Pereira de. “Ideologia de gênero" e escola sem partido: a agenda privatizante moralizadora para a educação brasileira. Revista Interinstitucional Artes de Educar. Rio de Janeiro, v. 5, n. 2, ago. 2019. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/riae/article/view/44849/30394. Acesso em: 28 mar. 2021.

MIGUEL, Luis Felipe. Da “doutrinação marxista” à "ideologia de gênero" - Escola Sem Partido e as leis da mordaça no parlamento brasileiro. Revista Direito e Práxis. Universidade do Estado do Rio de Janeiro. v. 7, n. 15, 2016. Disponível em: Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=350947688019. Acesso em: 10 ju. 2021.

MOURA, Fernanda Pereira de. “Escola Sem Partido”: relações entre Estado, educação e religião e os impactos no ensino de história. 2016. 89 f. Dissertação – (Mestrado Profissional em Ensino de História) Instituto de História, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

NÓVOA, Antônio. Para uma formação de professores construída dentro da profissão. Revista Educacion. Madrid: 2009. Disponível em: http://www.revistaeducacion.educacion.es/re350/re350_09por.pdf. Acesso em: jun. 2017.

PIMENTA, Selma Garrido. Formação de professores: saberes da docência e identidade do professor. Revista da Faculdade de Educação, USP, v. 1. n. 1, p. 72-89, jul./dez. 1996.

PIMENTA, Selma Garrido; GHEDIN, Evandro. (Org.). Professor Reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. São Paulo: Cortez, 2002.

STROMQUIST, Nelly. Qualidade de ensino e gênero nas políticas educacionais contemporâneas na América Latina. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.33, n.1, p. 13-25, jan./abr. 2007. ISSN 1517-9702. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1517-97022007000100002&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: out. 2017.

THOMPSON, Edward Paul. A miséria da teoria ou um planetário de erros: uma crítica ao pensamento de Althusser. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.

VÁZQUEZ, Adolfo Sánchez. Filosofia da práxis. Tradução de Luiz Fernando Cardoso. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

WOOD, Ellen Meiksins. Democracia contra o capitalismo: a renovação do materialismo histórico. São Paulo: Boitempo, 2007.




DOI: https://doi.org/10.12957/riae.2021.63461

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2359-6856

 


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 

Indexada em:


 

 

Realização: