Análise arqueológica do discurso dos participantes: contribuições para a avaliação do plano estadual de educação no sistema penitenciário do Paraná

Bruna Mayara Bonatto, Mary Ângela Teixeira Brandalise

Resumo


O objetivo deste artigo consiste na exposição da contribuição da Análise Arqueológica do Discurso – AAD, fundamentada em Foucault (2012), no processo de avaliação do Plano Estadual de Educação no Sistema Prisional do Paraná (PARANÁ, 2012; 2015) no contexto das penitenciárias femininas de regime fechado. O emprego da análise arqueológica demonstra-se pertinente quando aplicado às pesquisas de avaliação de políticas educacionais centradas nos participantes ao possibilitar a aferição da influência da atuação dos sujeitos na atribuição social da política, bem como ao gerar reflexões capazes de aperfeiçoá-la de acordo com as especificidades do contexto e da população às quais se destinam, lhes atribuindo um caráter democrático.


Palavras-chave


Análise Arqueológica do Discurso; Avaliação Educacional; Avaliação de Políticas Educacionais; Educação na Prisão

Texto completo:

PDF

Referências


AFONSO, Almerindo Janela. Questões, objetos e perspetivas em avaliação. Avaliação, Campinas; Sorocaba, v. 19, n. 2, p. 487-507, jul. 2014.

AFONSO, Almerindo Janela. Avaliar a escola e a gestão escolar: elementos para uma reflexão crítica. In: ESTEBAN, Maria Teresa. (org.). Escola, Currículo e Avaliação. São Paulo: Cortez, 2003.

ARAÚJO, Inês Lacerda. Formação discursiva como conceito chave para a arqueogenealogia de Foucault. Revista Aulas, Campinas, n. 3, p. 01-24, dez./mar. 2007.

AZEVEDO, Rosemeiry Capriata de Souza; RAMOS, Flavia Regina Souza. Arqueologia e genealogia como opções metodológicas de pesquisa na enfermagem. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 56, n. 3, p. 288-291, mai./jun. 2003.

BALL, Stephen J.; MAGUIRE, Meg; BRAUN, Annette. Como as escolas fazem as políticas: atuação em escolas secundárias. Ponta Grossa: UEPG, 2016.

BRASIL. Decreto nº 7.626, de 24 de novembro de 2011. Institui o Plano Estratégico de Educação no âmbito do Sistema Prisional. Disponível em: . Acesso em: 15 abr. 2020.

COUTINHO, Raissa Regina Silva; CARLOS, Erenildo João. Currículo, charge e EJA: conexões discursivas. Educação em foco, Belo Horizonte, n. 24, p. 255-275, dez. 2014.

EWALD, François. Foucault, a norma e o direito. Lisboa: Vega, 1993.

FERNANDES, Domingues. Contributos das perspetivas orientadas por/para uma agenda social. IN: FERRÃO, João; PAIXÃO, José Manuel Pinto (org.). Metodologias de avaliação de políticas públicas. Lisboa: Imprensa da Universidade de Lisboa, 2018. p. 49-67.

FERNANDES, Domingues. Acerca da articulação de perspectivas e da construção teórica em avaliação educacional. In: ESTEBAN, Maria Teresa; AFONSO, Almerindo Janela. Olhares e interfaces: reflexões críticas sobre a avaliação. São Paulo: Cortez, 2010.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012.

FOUCAULT, Michel. As palavras e as coisas. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2015.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: nascimento da prisão. Petrópolis: Vozes, 1999.

MACHADO, Roberto. Ciência e Saber – A Trajetória da Arqueologia de Foucault. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1981.

MACHADO, Eusébio André. Avaliar é ser sujeito ou sujeitar-se? Elementos para uma genealogia da avaliação. Ramada: Edições Pedago, 2013.

MAINARDES, Jefferson. A pesquisa sobre a organização da escolaridade em ciclos no Brasil (2000-2006): mapeamento e problematizações. Rio de Janeiro, Revista Brasileira de Educação, v. 14, n. 40, p. 7-23, 2009.

MAINARDES, Jefferson. Entrevista com o Professor Stephen J. Ball. Olh@res, Guarulhos, v. 3, n. 2, p. 161-171, 2015.

MAINARDES, Jefferson. Reflexões sobre o objeto de estudo da política educacional. Laplage em revista, Sorocaba, v. 4, n. 1, p. 186-201, 2018.

MAINARDES, Jefferson; MARCONDES, Maria Inês. Entrevista com o professor Stephen J. Ball: um diálogo sobre Justiça Social, Pesquisa e Política Educacional. Educ. Soc., Campinas, v. 30, n. 106, p. 303-318, jan.-abr. 2009.

PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação. Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania do PARANÁ. Plano Estadual de Educação no Sistema Prisional do Paraná. Curitiba: DEPEN, 2015.

PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação. Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania do Paraná. Plano Estadual de Educação no Sistema Prisional do Paraná. Curitiba: DEPEN, 2012.

RODRIGUES, Pedro. As três lógicas da avaliação de dispositivos educativos. In: RODRIGUES, Pedro; ESTRELA, Albano. (org.). Para uma fundamentação da avaliação em educação. Lisboa: Edições Colibri, 1995. p. 93-120.

WORTHEN, Blaine R.; SANDERS, James R.; FITZPATRICK, Jody L. Avaliação de programas: concepções e práticas. São Paulo: Editora Gente, 2004.

YAZBEK, André Constantino. 10 lições sobre Foucault. Petrópolis: Vozes, 2013.




DOI: https://doi.org/10.12957/riae.2020.54594

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2359-6856

 


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 

Indexada em:


 

 

Realização: