O LÚDICO E SUA RELAÇÃO COM AS METODOLOGIAS ATIVAS: REFLEXÃO ACERCA DAS POSSIBILIDADES DO FAZER PEDAGÓGICO

Juliana Marques Paiva de Souza, Marco Antonio Santoro Salvador

Resumo


O presente artigo é um recorte de uma investigação de mestrado já finalizada e tem como objetivo proporcionar uma reflexão acerca da relação entre o lúdico e as metodologias ativas no que tange às práticas educativas. Para tal, apresenta os aspectos inerentes aos conceitos de lúdico e metodologias ativas de modo a viabilizar o debate sobre as práticas pedagógicas. Com base na revisão bibliográfica concluiu-se que a pesquisa acerca do lúdico e das metodologias ativas no contexto pedagógico poderá estimular a incorporação de práticas ativas nas aulas das diversas disciplinas da Educação Básica, tornando a aprendizagem mais prazerosa, promovendo a construção de propostas de ensino que visem a superação da passividade dos alunos, permitindo a construção coletiva e a expressão das identidades ali presentes.


Palavras-chave


Lúdico; Educação; Aprendizagem ativa; Metodologias ativas

Texto completo:

PDF

Referências


ALTHAUS, M; BAGIO, V. As metodologias ativas e as aproximações entre o ensino e a aprendizagem na prática pedagógica universitária. Rev. Docência Ens. Sup., Belo Horizonte, v.7, n.2, p. 79-96, jul./dez. 2017. Disponível em: file:///C:/Users/Seven/Downloads/4698-22543-2-PB.pdf Acesso em: 05 jun. 2018.

BACICH, L.; MORAN, J. (Orgs.) Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre: Penso, 2018.

BETTI, I. O prazer em aulas de educação física escolar: a perspectiva discente. 1992. 101 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1992. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/bitstream/REPOSIP/274846/1/Betti_IreneConceicaoRangel_M.pdf Acesso em: 25 jan. 2019.

CAMARGO F; DAROS, T. A sala de aula inovadora: estratégias pedagógicas para fomentar o aprendizado ativo. Porto Alegre: Penso, 2018.

COSTA, V. A ludicidade como estratégia didática para o ensino de matemática. In: ENDIPE, 16., 2012, Campinas. Livro 3. Campinas: UNICAMP, 2012, p. 001163-001174. Disponível em: http://www.infoteca.inf.br/endipe/smarty/templates/arquivos_template/upload_arquivos/acervo/docs/1660b.pdf Acesso em: 18 out. 2018.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir: nascimento da prisão. 20.ed. Petrópolis: Vozes, 1999.

GOMES, C. Brinco, logo existo: o papel da ludicidade na educação escolar. In: GRANDO, B. (Org.). Corpo, educação e cultura: práticas sociais e maneiras de ser. Ijuí: Unijuí, 2009. p. 111-118.

KILPATRICK, W. Educação para uma sociedade em transformação. Petrópolis: Vozes, 2011.

LIBÂNEO, J. Democratização da escola pública: a pedagogia crítico-social dos conteúdos. 12.ed. São Paulo: Edições Loyola, 1994.

LIBÂNEO, J.; OLIVEIRA, J.; TOSCHI, M. Educação escolar: políticas, estrutura e organização. 10.ed. São Paulo: Cortez, 2012.

LUCKESI, C. Ensinar, brincar e aprender. Aprender – Cad. de Filosofia e Psic. da Educação, Vitória da Conquista, ano IX, n. 15, p. 131-136, 2015. Disponível em: periodicos.uesb.br/index.php/aprender/article/viewFile/5484. Acesso em: 23 jul. 2018

______. Ludicidade e atividades lúdicas: uma abordagem a partir da experiência interna. In: PORTO, B. (Org). Educação e ludicidade - Ensaios 02, GEPEL, FACED/UFBA, 2002, p.22-60.

______. Ludicidade e formação do educador. Revista Entreideias, Salvador, v.3, n.2, p. 13-23, jul./dez. 2014. Disponível em: https://rigs.ufba.br/index.php/entreideias/article/viewFile/9168/8976. Acesso em: 23 jul. 2018.

MASSA. M. Ludicidade: da etimologia da palavra à complexidade do conceito. Aprender – Cad. de Filosofia e Psic. da Educação, Vitória da Conquista, ano IX, n. 15, p.111-130, 2015. Disponível em: periodicos.uesb.br/index.php/aprender/article/viewFile/5484. Acesso em: 23 jul. 2018

MATTAR, J. Metodologias ativas: para a educação presencial, blended e a distância. São Paulo: Artesanato Educacional, 2017.

MORAN, J. Mudando a educação com metodologias ativas. In: SOUZA, C.; MORALES, O. (Orgs.). Convergências midiáticas, educação e cidadania: aproximações jovens (Coleção Mídias Contemporâneas.), v. 2. Ponta Grossa: UEPG/PROEX, 2015. p. 15-33. Disponível em: http://rh.unis.edu.br/wp-content/uploads/sites/67/2016/06/Mudando-a-Educacao-com-Metodologias-Ativas.pdf Acesso em: 08 ago. 2018.

MORIN, E. A cabeça bem feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. 21. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2014.

OLIVEIRA, L. Violência, corpo e escolarização. Apontamentos a partir da teoria crítica da sociedade. In: OLIVEIRA, M. (Org.). Educação do corpo na escola brasileira. Campinas: Autores Associados, 2006.

OLIVEIRA, M. Vygotsky e o processo de formação de conceitos. In: TAILLE, Y; OLIVEIRA, M; DANTAS, H. (Orgs.). Piaget, Vygotsky, Wallon: teorias psicogenéticas em discussão. 21.ed. São Paulo: Summus, 1992. p. 23-34.

RAU, M. A ludicidade na educação: uma atitude pedagógica. 20.ed. Curitiba: Ibpex, 2007.

SALVADOR, M.A.S. Corpo e controle no cotidiano escolar: desafios na construção do conhecimento. In: ENFEFE, 11., Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: UFF, 2007, p. 246-256.

STOLTZ, T. As perspectivas construtivista e histórico-cultural na educação escolar. 2.ed. Curitiba: Ibpex, 2008.

VIAL, J. Jogo e educação: as ludotecas. Petrópolis: Vozes, 2015.




DOI: https://doi.org/10.12957/riae.2019.45451

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2359-6856

 


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 

Indexada em:


 

 

Realização: