Imagem para capa

CORPOS SINGULARES: AUTOBIOGRAFIA, DECOLONIALIDADE E EDUCAÇÃO SOMÁTICA NO ENSINO DA DANÇA

Neila Cristina Baldi, Oneide Alessandro Silva dos Santos, Fabiana Andréia Mors, Cinara Neujahr dos Santos

Resumo


No texto, é apresentada a investigação do Grupo de Pesquisa (Es)(Ins)critas do/no Corpo (Corpografias) do Curso de Dança-Licenciatura da Universidade Federal de Santa Maria. De março de 2018 a dezembro de 2020, o projeto desenvolve procedimentos para a Dança com a utilização da Autobiografia, Decolonialidade e Educação Somática. Para isso, na metodologia, foram utilizados: leituras de artigos, mapas conceituais com o levantamento de palavras disparadoras para criar os procedimentos que são testados no grupo de pesquisa e em projetos sociais e escolas. Concluiu-se que as práticas promovem discussões sobre pertencimento, interpretação, significação e democracia corporal, permitindo a construção de um sujeito autônomo e crítico, confrontando colonialidades constituídas, o pensamento e o ensino de Arte.


Palavras-chave


Ensino de Dança; Decolonialidade; Educação Somática; Autobiografia; Metodologia.

Texto completo:

PDF

Referências


ACHINTE, Adolfo Albán. Prácticas creativas de re-existencia basadas en lugar: más allá del arte... el mundo de lo sensible. Ciudade Autónoma de Bueno Aires: Del Signo, 2017.

BALDI, Neila. (Ins)(Es)critas no/do corpo dançante. In: CONGRESSO CONFAEB. Anais..., XXIV, Londrina, 2014.

CHIENÉ, Adéle. A narrativa de formação e a formação de formadores. In: NÓVOA, António. FINGER, Matheus. O método (auto)biográfico e a formação. São Paulo: Paulus. Natal: Editora da UFRN, 2010. p. 129-141.

CUNHA, Jorge Luiz da. Pesquisas com (auto)biografias: interfaces em tempos de individuação. In: PASSEGGI, Maria da Conceição; ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto. (orgs.). Dimensões epistemológicas e metodológicas da pesquisa (auto)biográfica. Tomo I. Natal: EDUFRN; Porto Alegre: EDIPUCRS; Salvador: EDUNEB, 2012. p. 95-114.

DELORY-MOMBERGER, Christine. A pesquisa biográfica: projeto epistemológico e perspectivas metodológicas. In: PASSEGI, Maria da Conceição; ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto. (Orgs.). Dimensões epistemológicas e metodológicas da pesquisa (auto)biográfica. Tomo I. Natal: EDUFRN; Porto Alegre: EDIPUCRS; Salvador: EDUNEB, 2012. p. 71-94.

ESPINOSA, Yuderkys; GÓMEZ, Diana; LUGONES, María; OCHOA, Karina. Reflexiones pedagógicas en torno al feminismo descolonial. In: WALSH, Catherine. Pedagogías decoloniales: práticas insurgentes de resistir, (re)existir y (re)vivier. Tomo I. Quito: Ediciones Abya-Yala, 2013. p.403-442.

FORTIN, Sylvie. Transformação de práticas de dança. In: PEREIRA, Roberto e SOTER, Silvia. Lições de dança 4. Rio de Janeiro: UniverCidade, 2004.

FORTUNA, Tânia Ramos. Ludobiografia: uma invenção metodológica em pesquisa (auto)biográfica em educação. In: PASSEGI, Maria da Conceição; ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto. (Orgs.). Dimensões epistemológicas e metodológicas da pesquisa (auto)biográfica. Tomo II. Natal: EDUFRN; Porto Alegre: EDIPUCRS; Salvador: EDUNEB, 2012. p. 165-202.

FOUCAULT, Michel. A escrita de si. In: FOUCAULT, Michel. O que é um autor? Lisboa: Passagens. 1992. p. 129-160.

GREBLER, Betti. Pina Bausch e Maguy Marin: teatralidade e corporeidade contemporânea. In: XAVIER, Jussara; MEYER, Sandra; TORRES, Vera. Coleção Dança Cênica: Pesquisas em dança, vol. 1. Joinville: Letradágua, 2008.p. 101-107.

JOSSO, Marie-Christine. Da formação do sujeito...Ao sujeito da formação. In: NÓVOA, António. FINGER, Matheus. O método (auto)biográfico e a formação. São Paulo: Paulus. Natal: Editora da UFRN, 2010. p.59-80.

JOSSO, Marie-Christine. Experiências de vida e formação. São Paulo: Cortez, 2004.

MARÍN, Pilar Cuevas. Memoria colectiva: Hacia un proyecto decolonial. In: WALSH, Catherine. Pedagogías decoloniales: prácticas insurgentes de resistir, (re)existir y (re)vivir. Tomo I. Quito: Ediciones Abya-Yala, 2013.

MIGNOLO, Walter. VÁSQUEZ, Rolando. Pedagogía y (de)colonialidad.In: WALSH, Catherine. Pedagogías decoloniales: práticas insurgentes de resistir, (re)existir y (re)vivier. Tomo II. Quito: Ediciones Abya-Yala, 2017. p.489-508.

MILLER, Jussara. Dança e educação somática: a técnica na cena contemporânea. In: WOSNIAK, Cristiane. MARINHO, Nirvana (Org.) Seminários de Dança: O avesso do avesso do corpo, educação somática como práxis. Joinville: Nova Letra, 2011. 147-161

OLIVEIRA, Luiz Fernandes de Oliveira. CANDAU, Vera Maria Ferrão Candau Pedagogia decolonial e educação antirracista e intercultural no Brasil. Educação em Revista, Belo Horizonte, v.26, n.01, abr. 2010, p.15-40.

OLIVEIRA, Valeska Fortes. A escrita como dispositivo na formação de professores. In: : PERES, Lúcia Maria Vaz; ZANELLA, Andrissa Kemel (org). Escritas de autobiografias educativas: o que dizemos e o que elas nos dizem? Curitiba: CRV, 2011.

PASSEGGI, Maria da Conceição; ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto; DELORY-MOMBERGER, Christine. Reabrir o passado, inventar o devir: a inenarrável condição biográfica do ser. In: PASSEGI, Maria da Conceição. ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto. (org.). Dimensões epistemológicas e metodológicas da pesquisa (auto)biográfica: Tomo II. Natal: EDUFRN; Porto Alegre: EDIPUCRS; Salvador: EDUNEB, 2012. p. 29-58.

PERES, Bruna Bellinazzi. Desvelando memórias: afetos e autobiografia cênica. Rascunhos,Uberlândia, v. 1 n. 1 p. 76-88, jan.jun. 2014.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidad del poder, eurocentrismo y América Latina. In: LANDER, Edgardo (org). La colonialidade del saber: eurocentrismo y ciencias sociales, perspectivas latinoamericanas.Buenos Aires: CLACSO, 2000. p. 193-238.

RIBEIRO, António Pinto. Por exemplo a cadeira: ensaio sobre as artes do corpo. Lisboa: Cotovia, 1997.

ROSEVICS, Larissa. Do pós-colonial à decolonialidade. In: CARVALHO, Glauber.

__________ (Org.). Diálogos Internacionais: reflexões críticas do mundo contemporâneo. Rio de Janeiro: Perse, 2017.

SILVA, Claudilene. SANTIAGO, Eliete. Pensamento negro e educação intercultural no Brasil. Interterritórios - Revista de Educação, Recife, v.2, n.3, p. 78-100, p. 2016.

STRAZZACAPPA – As técnicas de educação somática In: BOLSANELLO, Débora Pereira (org). Em pleno corpo – educação somática, movimento e saúde. Curitiba: Juruá Psicologia, 2009a.

STRAZZACAPPA, Márcia. Educação somática: princípios e possíveis desdobramentos. Repertório – Teatro e Dança, Salvador, ano 12, número 13, p. 48-54, 2009.2.

TERRA, Ana. Saberes sensíveis no trânsito somático-dançante. In: WOSNIAK, Cristiane. MARINHO, Nirvana (Org.) Seminários de Dança: O avesso do avesso do corpo, educação somática como práxis. Joinville: Nova Letra, 2011. p. 163-183.

VIEIRA, Marcílio de Souza. História das ideias do ensino da dança na educação brasileira. Curitiba: Appris, 2019.

WALSH, Catherine. Interculturalidad, plurinacionalidad y decolonialidad: las insurgencias político-epistémicas de refundar el Estado. Tabula Rasa. Bogotá - Colombia, No.9: 131-152, julio-diciembre 2008.

WOODRUFF, Diane. Treinamento na dança: visões mecanicistas e holísticas. Cadernos do GIPE-CIT, Salvador, n. 2, p. 17-30, fev. 1999.




DOI: https://doi.org/10.12957/riae.2020.45288

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2359-6856

 


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 

Indexada em:


 

 

Realização: