OS DIFERENTES CAMINHOS PARA UMA EDUCAÇÃO BILÍNGUE (LIBRAS/PORTUGUÊS) NA REGIÃO SUL DO BRASIL

Neiva A. Albres

Resumo


Neste artigo, apresentamos algumas reflexões sobre a atual educação de surdos em escolas inclusivas baseadas na perspectiva bilíngue. Para tanto, realizamos uma breve revisão de algumas pesquisas sobre educação e apresentamos um breve histórico a respeito das diretrizes educacionais baseadas na política de educação inclusiva. Dessa forma, este estudo trata de um lado, estudo bibliográfico e, de outro, na aproximação com os demais estudos do campo científico e documentos legais/políticos. Constatamos que todas as redes apontam para a inclusão dos surdos no ensino comum, há pouco investimento em escolas bilíngues e em classes bilíngues. Por fim, concluímos impasses estabelecidos pelas escolhas do Governo Estadual e municipal para a atual política educacional efetivamente bilíngue. Os dados apontam para limites da materialização da política de educação bilíngue.


Palavras-chave


Educação bilíngue; Língua brasileira de sinais; Política educacional.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBERTON, Bruna Fagundes Antunes; CARNEIRO, Fernando Henrique Fogaça. Educação bilíngue para surdos e práticas culturais: relatos de experiência no ensino da matemática. PEM, Campo Mourão, v.5, n.9, p.286-300, jul.-dez. 2016.

BEMPARANÁ. Educação inclusiva para surdos avança no Paraná. 2015. Disponível em: . Acesso em 05 dez. 2017.

BRASIL. Decreto nº. 3.956, de 8 de outubro de 2001. Promulga a Convenção Interamericana para a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra as Pessoas Portadoras de Deficiência.

BRASIL. Lei n. 10.436, de 24 de abril 2002(2002). Dispõe sobre a língua brasileira de sinais – Libras – e dá outras providências. Brasília: Presidência da República. Disponível em: . Acesso em 05 dez. 2017.

BRASIL. Decreto nº. 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras, e o art. 18 da Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000.

BRASIL. Decreto nº. 7.612, de 17 de novembro de 2011. Institui o Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência – Plano Viver sem Limite. Disponível em: . Acesso em: 23 jun. 2016.

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. MEC/SEESP, 2008. Disponível em: . Acesso em: 10 abr. 2015.

BRASIL. Lei nº. 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 18 ago. 2016.

CHARTIER, Roger. O mundo como representação. In: _______. À beira da falésia: a história entre certezas e inquietude. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 2002.

FERNANDES, S.; MOREIRA, L.C. Desdobramentos politico pedagógicos do bilinguismo para surdos: reflexões e encaminhamentos. Revista de Educação Especial, 22 (34). p 225- 236, 2009.

FERREIRA, Simone de Mamann. Análise da política do estado de Santa Catarina para a educação especial por intermédio dos serviços: o velho travestido de novo? Dissertação. Programa de Pós Graduação em Educação, Centro de Ciências da Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, 2011. Disponível em:

. Acesso em 05 dez. 2017.

FLORES, Vinicius Martins. Um estudo sobre o perfil do professor ouvinte bilíngue que atua na educação de surdos. Dissertação de Mestrado em Letras. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 2015.

FLORIANÓPOLIS. Plano municipal de educação de Florianópolis compromisso e responsabilidade de todos. 2015. Disponível em: . Acesso em 12 fev. 2017

FORQUIN, Jean-Claude. Escola e cultura: as bases sociais e epistemológicas do conhecimento escolar. Tradução Guacira Lopes Louro. Porto Alegre: Artes Médicas, 1993.

FUNDAÇÃO CATARINENSE DE EDUCAÇÃO ESPECIAL – FCEE. Relatório de Atividades. 2015. Disponível em: . Acesso em 05 dez. 2017.

KASSAR, M.D.C.M. Educação especial na perspectiva da educação inclusiva: desafios da implantação de uma política nacional. Educar em Revista, 41, 61-79. 2011.

KARNOPP, Lodenir Becker.; KLEIN, Madalena. Narrativas de professoras sobre a(s) língua(s) na educação de surdos. Revista Educação & Realidade.

Porto Alegre, n. 2, v. 32, p. 63-78, jul./dez. 2007.

KLEIN, Madalena. A educação dos surdos no Rio Grande do Sul. In: LOPES, Maura Corcini et al. (orgs). A Educação dos Surdos no Rio Grande do Sul (Relatório de pesquisa). São Leopoldo: Universidade do Vale do Rio dos Sinos, 2009.

LEBEDEFF, T. A educação dos surdos na região do planalto médio rio-grandense: uma problematização das condições linguísticas e de escolarização. Anais da 33ª Reunião Anual da ANPED “Educação no Brasil: O balanço de uma década”. 2010. Disponível em: . Acesso em 05 dez. 2017.

LODI, A. C. B.; LACERDA, C. B. F. Uma escola, duas línguas: Letramento em língua portuguesa e língua de sinais nas etapas iniciais de escolarização. Porto Alegre: Editora Mediação, 2010.

LODI, Ana Claudia Balierio. Educação bilíngue para surdos e inclusão segundo a Política Nacional de Educação Especial e o Decreto nº 5.626/05. Educação e Pesquisa, v. 39, n. 1, p. 49-63, 2013.

LOPES, Maura Corcini; MENEZES, Eliana da Costa Pereira de. Inclusão de alunos surdos na escola regular. Cadernos de Educação. Pelotas, n. 36, maio/agosto, 2010.

MACHADO, R. Educação Especial na escola inclusiva: políticas, paradigmas e práticas. São Paulo: Editora Cortez, 2009.

MARTINS, Vanessa Regina de Oliveira; LACERDA, Cristina Broglia Feitosa. Educação inclusiva bilíngue para surdos: problematizações acerca das políticas educacionais e linguísticas. Rev. educ. Campinas, v. 21, n. 2, maio/ago, 2016.

MARTINS, V. R. O.; ALBRES, N. A.; SOUSA, W. P. A. Contribuições da Educação Infantil e do brincar na aquisição de linguagem por crianças surdas. Proposições, v. 26, p. 103-124, 2015.

MARTINS, V. R. O.; BERTHO, J. C.; CAMPOS, P. R. I.; LACERDA, C. B. F. Arte e Educação de Surdos: Trajetórias interdisciplinares para uma educação bilíngue cotidiana. In: LACERDA, C.B.F; SANTOS, L.F; MARTINS, V.R.O. (orgs). Escola e Diferença: caminhos para educação bilíngue de surdos. São Carlos: EDUFSCar, 2016, v. 1, p. 79-96.

MENDES, Eniceia. A radicalização do debate sobre inclusão escolar no Brasil. Revista Brasileira de Educação. v. 11, n. 33, set./dez. 2006.

MÜLLER, Janete Inês; KARNOPP, Lodenir Becker. Educação escolar bilíngue de surdos. 2015. Disponível em:

. Acesso em 05 dez. 2017.

NASCIMENTO, Anne Caroline e Silva Goyos; FERNANDES, Sueli. Contribuições da educação bilíngue de surdos para o projeto político pedagógico da escola pública paranaense. In: Cadernos PDE. Os desafios da escola pública paranaense na perspectiva do professor PDE. 2013. Disponível em:

. Acesso em 05 dez. 2017.

NASCIMENTO, Vinicius; BEZERRA, Tiago Coimbra. Professor bilíngue de surdos para os anos iniciais do ensino fundamental: de que formação estamos falando? In: ALBRES, N.A.; GRESPAN, S. (orgs). Libras em estudo: formação de profissionais. São Paulo: FENEIS, 2014.

NASCIMENTO, Sandra Patrícia de Faria do; COSTA, Messias Ramos. Movimentos surdos e os fundamentos e metas da escola bilíngue de surdos: contribuições ao debate institucional. Educar em Revista. Curitiba: Editora UFPR, 2014.

PARANÁ. Instrução n.º 002/2008 - SUED/SEED. Estabelece critérios para o funcionamento do Centro de Atendimento Especializado na Área da Surdez – CAES, serviço de apoio especializado, no ensino regular. 2008a. Disponível em:

. Acesso em 05 dez. 2017

_______. Instrução n.º 008/08- SUED/SEED. Estabelece normas para atuação do profissional tradutor e intérprete de Língua Brasileira de Sinais - Libras/Língua Portuguesa - TILS nos Estabelecimentos de Ensino da rede pública estadual. 2008b.

PARANÁ. Educação Curitiba. 2017. Disponível em: . Acesso em 05 dez. 2017.

PATERNO, Uéslei. A política linguística da rede estadual de ensino em Santa Catarina em relação à educação de surdos. Dissertação. Pós-Graduação em Linguística. Universidade Federal de Santa Catarina. 2007.

PROST, Antoine. Doze lições sobre a história. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2008.

QUADROS, R.M. Políticas linguísticas e educação de surdos em Santa Catarina: espaço de negociações. Cadernos Cedes, 26(69). 2006.

RODRIGUES, Evaldina. O devir da educaçâo de surdos e a perspectiva histórico-cultural do desenvolvimento da linguagem. In: Anais do VIII Encontro de produção científica e tecnológica. Disponível em: . Acesso em 05 dez. 2017.

SACHINSKI, Ivanildo. Política de educação especial nos estados do Paraná e de Santa Catarina: diferentes, mas não divergentes. Dissertação. Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Santa Catarina. 2013. Disponível em: . Acesso em 05 dez. 2017.

SANTA CATARINA, Secretaria do Estado da Educação. Política de Educação Especial do Estado de Santa Catarina. São José: FCEE, 2009a.

SANTA CATARINA, Secretaria do Estado da Educação/Fundação Catarinense de Educação Especial. Programa Pedagógico. São José: FCEE, 2009b.

SANTOS, F.; CAMPOS, M.L.I.L. Educação especial e educação bilíngue para surdos: as contradições da inclusão. In: ALBRES, N.A.; GRESPAN, S. (orgs). Libras em estudo: política educacional. São Paulo: FENEIS, 2013.

SCHUCK, Maricela. “A educação dos surdos no RS”: currículos de formação de professores de surdos. Dissertação. Universidade do Vale do Rio dos Sinos – UNISINOS. 2011.

SOUZA, R. M. & LIPPE, E. M.O. (2012). Decreto 6.949/2009: avanço ou retorno em relação à Educação dos Surdos? Caleidoscópio, v. 10, n. 1, 12-23, 2012.

STÜRMER, Ingrid Ertel. Discursos que produzem a educação de surdos no Brasil. Dissertação. Faculdade de Educação. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 2015.

STÜRMER, Ingrid Ertel; THOMA, Adriana da Silva. Políticas Educacionais e Linguísticas para Surdos: discursos que produzem a educação bilíngue no Brasil na atualidade. In: Reunião anual da associação nacional de pós-graduação e pesquisa em educação (ANPEd), 37, 2015, Florianópolis. Anais... Florianópolis, 2015.

THOMA, Adriana da Silva. Educação Bilíngue para surdos no contexto da educação inclusiva. In: MORAES, Salete Campos de (org.). Educação inclusiva: diferentes significados. Porto Alegre - RS: Editora Evangraf, 2011.

THOMA, Adriana da Silva. Educação Bilíngue nas Políticas Educacionais e Linguísticas para Surdos: discursos e estratégias de governamento. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 41, n. 3, p. 755-775, jul./set. 2016.

THOMA, Adriana da Silva; KLEIN, Madalena. Experiências educacionais, movimentos e lutas surdas como condições de possibilidade para uma educação de surdos no Brasil. Cadernos de Educação. Pelotas, n. 36, maio/agosto, 2010.

VASICKI, Marcelo Elisio. Educação e o papel da associação de surdos: direito ou dever social para fortalecimento da comunidade surda brasileira? In: XII congresso Nacional de Educação – EDUCERE. Paraná, 2015.

VILHALVA, S.; ARRUDA, C. C. C.; ALBRES, N. A. Desafios na formação continuada de profissionais para educação inclusiva de surdos? o CAS como política de ação do MEC. In: ALBRES, Neiva de Aquino; NEVES, Sylvia Lia Grespan. (orgs). Libras em estudo: formação de profissionais. São Paulo: Feneis, 2014.




DOI: https://doi.org/10.12957/riae.2017.29809

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2359-6856

 


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 

Indexada em:


 

 

Realização: