PARA PENSAR O APRENDERENSINSAR DANÇA A PARTIR DE UMA PERSPECTIVA DECOLONIAL

Neila Cristina Baldi

Resumo


Este artigo apresenta uma proposta para o aprenderensinsar dança a partir de uma perspectiva decolonial. O texto sugere que uma prática pedagógica decolonial em dança pode surgir a partir dos pressupostos epistemológicos da Educação Somática, do Construtivismo Pós-Piagetiano e da Autobiografia. Esses campos de conhecimento têm em comum princípios como a processualidade e a valorização da singularidade dxs sujeitxs. As práticas educativas em dança têm se pautado por pensamentos coloniais, tanto do ponto de vista da proposição de que estéticas seriam fundamentais quanto da perspectiva metodológica, com predominância de modos de praticar a dança e de saberes específicos a serem vivenciados. Neste sentido, a proposição de uma prática pedagógica decolonial na dança vai contra o status quo.


Palavras-chave


Pedagogias da dança; Educação Somática; Construtivismo Pós-Piagetiano; Autobiografia; Pedagogias decoloniais.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto (org). Dimensões epistemológicas e metodológicas da pesquisa (auto)biográfica: Tomo II. Natal: EDUFRN; Porto Alegre: EDIPUCRS; Salvador: EDUNEB, 2012.

ACHINTE, Adolfo Albán. Pedagogías de la re-existencia. Artistas indígenas y afrocolombianos. In: WALSH, Catherine. Pedagogías decoloniales: práticas insurgentes de resistir, (re)existir y (re)vivier. Tomo I. Quito: Ediciones Abya-Yala, 2013.

BALDI, Neila. Es(ins)critas do corpo dançante: narrativas singulares e plurais. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica, Salvador, v. 02, n. 04, p. 41-56, jan./abr. 2017.

BECHER, Fernando. Aprendizagem: reprodução, destino ou construção. In: MONTOYA, Adrían Oscar Dongo. SHIMIZU, Alessandra de Morais. MARÇAL, Vicente Eduardo Ribeiro.

MOURA, Josana Ferreira Bassi. (org). Jean Piaget no século XXI: escritos de epistemologia e psicologia genéticas. São Paulo: Cultura Acadêmica; Marília: Oficina Universitária, 2011.

CUMES, Aura. CARIÑO, Carmen. CURIEL, Ochy. GARZÓN, María Tereza. MENDONZA, Bienvenida. OCHOA, Karina. LONDOÑO, Alejandra. Pensar, sentir y hacer pedagogías feministas descoloniales: Diálogos y puntadas. In: WALSH, Catherine. Pedagogías decoloniales: práticas insurgentes de resistir, (re)existir y (re)vivier. Tomo II. Quito: Ediciones Abya-Yala, 2017.

CUNHA, Jorge Luiz da. Pesquisas com (auto)biografias: interfaces em tempos de individuação. In: PASSEGGI, Maria da Conceição; ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto. (orgs.). Dimensões epistemológicas e metodológicas da pesquisa (auto)biográfica. Tomo I. Natal: EDUFRN; Porto Alegre: EDIPUCRS; Salvador: EDUNEB, 2012.

DELORY-MOMBERGER, Christine. A pesquisa biográfica: projeto epistemológico e perspectivas metodológicas. In: PASSEGI, Maria da Conceição; ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto. (Orgs.). Dimensões epistemológicas e metodológicas da pesquisa (auto)biográfica. Tomo I. Natal: EDUFRN; Porto Alegre: EDIPUCRS; Salvador: EDUNEB, 2012.

DOMENICI, Eloisa. O encontro entre dança e educação somática como uma interface de questionamento epistemológico sobre as teorias do corpo. Pro-Posições, Campinas, v. 21, n. 2 (62), p. 69-85, maio/ago. 2010.

DOMINICÉ, Pierre. O processo de formação e alguns dos seus componentes relacionais. In: FINGER, Mathias; NÓVOA, António. O método (auto)biográfico e a formação. São Paulo: Paulus; Natal: EDUFRN, 2010.

EDYY, Martha. A brief history of somatic practices and dance: historical development of the field of somatic education and its relationship to dance. Journal of Dance and Somatic Practices. Coventry, v. 1, n. 1, 2009.

ESPINOSA, Yuderkys. GÓMEZ, Diana. LUGONES, María. OCHOA, Karina. Reflexiones pedagógicas en torno al feminismo descolonial. In: WALSH, Catherine. Pedagogías decoloniales: práticas insurgentes de resistir, (re)existir y (re)vivier. Tomo I. Quito: Ediciones Abya-Yala, 2013. p.403-442.

FERNANDES, Ciane. O corpo em movimento: o sistema Laban/Bartenieff na formação e na pesquisa em artes cênicas. 2ª Ed. São Paulo: Annablume, 2006.

FERREIRO, Emília. TEBEROSKY, Ana. Psicogênese da língua escrita. Porto Alegre: Artmed, 1999.

FERREIRO, Emília. Atualidade de Jean Piaget. Porto Alegre: Artmed Editora, 2001.

FORTIN, Sylvie. LONG, Walter. Percebendo diferenças no ensino e na aprendizagem de técnicas de dança contemporânea. Movimento em foco, Porto Alegre, v. 11, n. 2, p.9-29, mai-ago, 2005.

FORTIN, Sylvie. Living in movement. Development of somatics practices in different cultures. Journal of Dance Education. v. 2, n. 4, 2002.

FORTUNA, Tânia Ramos. Ludobiografia: uma invenção metodológica em pesquisa (auto)biográfica em educação. In: PASSEGI, Maria da Conceição; ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto. (Orgs.). Dimensões epistemológicas e metodológicas dapesquisa (auto)biográfica. Tomo II. Natal: EDUFRN; Porto Alegre: EDIPUCRS; Salvador: EDUNEB, 2012. p. 165-202.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

_______. Pedagogia do oprimido. 17ª Ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GROSSI, Esther Pillar. Aspectos pedagógicos do construtivismo pós-piagetiano In: GROSSI, Esther Pillar. BORDINI, Jussara (org). Construtivismo pós-piagetiano. Petrópolis: Vozes, 1993.

JOLY, Yvan. L’Education somatique: au delà du discours de methodes 2002 Yvan Joly. Disponível em: . Acesso em 14 jul. 2015.

JOSSO, Marie-Christine. Experiências de vida e formação. São Paulo: Cortez, 2004.

HANNA, Thomas. The somatic healers and the somatic educator. In: SOMATICS: Magazine-Journal of the Bodily Arts and Sciences. v. I, n. 3. 1977. Disponível em: . Acesso em 02 fev. 2014.

_______. The field of somatics. SOMATICS: Magazine-Journal of the Bodily Arts and Sciences, Volume I, No. 1, Outono 1976.

LIMA, José Antônio. Educação somática: diálogos entre educação, saúde e arte no contexto da proposta da Reorganização Postural Dinâmica. 2010. 184 fls. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2010.

MARQUES, Isabel. Trajetórias do ensino da dança. In: MARQUES, Isabel. Ensino da dança hoje: textos e contextos. 4ª Ed. São Paulo: Cortez, 2007.

MIGNOLO, Walter. VÁSQUEZ, Rolando. Pedagogía y (de)colonialidad. In: WALSH, Catherine. Pedagogías decoloniales: práticas insurgentes de resistir, (re)existir y (re)vivier. Tomo II. Quito: Ediciones Abya-Yala, 2017.

OLARTE, Rosana. El eterno aprendizaje del soma: análises de la Educación Somática y de la comunicación del movimiento en la danza. Cuadernos de música, artes visuales y artes escénicas. Bogotá, v. 3, n. 1, p. 105-159, out-mar, 2007.

OLIVEIRA, Valeska Fortes. A escrita como dispositivo na formação de professores. In: PERES, Lúcia Maria Vaz; ZANELLA, Andrisa Kemel. (Orgs.). Escritas de autobiografias educativas: o que dizemos e o que elas nos dizem? Curitiba: CRV, 2011.

PALERMO, Zulma. Irrupcion de saberes “otros” en el espacio pedagógico: hacia una “democracia decolonial” In: BORSANI, María Eugenia. QUINTERO, Pablo. (orgs.). Los desafíos decoloniales de nuestros días: pensar en colectivo. Neuquén: Educo Editorial de la Universidad Nacional del Comahue, 2014.

PÉREZ, Carmen Lúcia Vidal. SAMPAIO, Carmen Sanches. Conversas sobre aprenderensinar a ler a escrever (nos) alfabetizando com crianças e sem cartilhas... In: LIBÂNEO, José Carlos.

ALVES, Nilda (org). Temas de pedagogia: diálogos entre didática e currículo. São Paulo: Cortez, 2012.

PIAGET, Jean. O nascimento da inteligência na criança. 4ª Ed. Rio de Janeiro: LTC, 1987.

PULASKI, Mary Ann Spencer. Compreendendo Piaget: uma introdução ao desenvolvimento cognitivo da criança. Rio de Janeiro: LTC, 1986.

RAMOZZI -CHIAROTTINO, Zelia. Psicologia e epistemologia genética de Jean Piaget. São Paulo: EPU (Editora Pedagógica e Universitária Ltda), 1988.

RIBEIRO, Darcy. La universidad nueva: un proyecto. Caracas: Fundacion Biblioteca Ayacucho, 2006.

SANCHIS, Isabelle de Paiva; MAHFOUD, Miguel. Construtivismo: desdobramentos teóricos e no campo da educação. Revista Eletrônica de Educação. São Carlos, UFSCar, v.4, no. 1, p. 18-33, mai. 2010.

_______. Interação e construção: o sujeito e o conhecimento no construtivismo de Piaget. Revista Ciências & Cognição, 2007, v. 12. Disponível em: . Acesso em: 18 jul. 2015.

SHAPIRO, Sherry. Em direção a professores transformadores: perspectivas feminista e crítica no ensino da dança. Pro-posições, Campinas, v. 9, n. 2, p. 35-53, jun. 1998.

SÖOT, Anu. VISKUS, Ele. Teaching dance in the 21st century: A literature review. The European Journal of social& Behavioural sciences, v. VII, 2013.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Para além do Pensamento Abissal: das linhas globais a uma ecologia dos saberes. In: SANTOS, Boaventura de Sousa. MENESES, Maria Paula. (orgs). Epistemologias do Sul. Coimbra: Edições Almedina, 2009.

_______. Para uma sociologia das ausências e uma sociologia das emergências. Revista Crítica de Ciências Sociais, Coimbra, 63, p. 237-280, out. 2002.

STINSON, Susan. Uma pedagogia feminista para a dança da criança. Pro-posições, Campinas, v. 6, n. 3, 1995.

STRAZZACAPPA, Márcia. Educação somática: princípios e possíveis desdobramentos. Repertório – Teatro e Dança, Salvador, ano 12, número 13, p. 48-54, 2009.

VIANNA, Angel; CASTILHO, Jacyan. Percebendo o corpo. In: GARCIA, Regina Leite. (org). O corpo que fala dentro e fora da escola. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

WALSH, Catherine. Introdução: Lo pedagógico y lo decolonial: Entretejiendo caminhos. In: WALSH, Catherine. (org). Pedagogías decoloniales: Prácticas insurgentes de resistir, (re)existir y (re)vivir. Tomo I. Quito: Ediciones Abya-Yala, 2013.

WOODRUFF, Dianne. Treinamento na dança: visões mecanicistas e holísticas. Cadernos do GIPE-CIT, Salvador, n. 2, p. 17-30, fev. 1999.




DOI: https://doi.org/10.12957/riae.2017.29738

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2359-6856

 


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 

Indexada em:


 

 

Realização: