A DIDÁTICA A SERVIÇO DA INCLUSÃO DE ESTUDANTES COM DEFICIÊNCIA NA ESCOLA COMUM

Susana Couto Pimentel

Resumo


Este artigo objetiva abordar como a didática pode estar a serviço da inclusão de estudantes com deficiência inseridos na escola comum numa educação emancipadora. Esta discussão foi desenvolvida a partir de estudos realizados sobre o tema. A escola, como um espaço onde se encontram as diferenças, precisa ser um espaço de transformação social, no qual as práticas que são cotidianamente construídas podem contribuir para uma educação transformadora. Os resultados desta reflexão apontam o princípio da inclusão educacional requer compromisso com o desenvolvimento de uma didática inclusiva, que favoreça a criação de condições para que todos tenham na escola o direito de aprender e o acesso aos conhecimentos necessários para o exercício da cidadania e autonomia na sociedade.

Palavras-chave


Didática – Inclusão – Estudantes com deficiência

Texto completo:

PDF

Referências


ATISANO, Regiane Aparecida. A educação sob o enfoque de Émile Durkheim. In: CARVALHO, Alonso Bezerra de; SILVA, Wilton Carlos Lima da. (Orgs.). Sociologia e Educação: leituras e interpretações. São Paulo: Avercamp, 2006. p. 27-37.

BOURDIEU, Pierre (Coord.). A miséria do mundo, Petrópolis, RJ: Ed. Vozes, 2011.

BRASIL, Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência).In: Diário Oficial da União, Brasília, DF, 7 de julho de 2015. Disponível em: . Acesso em: 3 jul. 2017.

BRASIL. Lei nº 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional In: Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 de dezembro de 1996. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm>. Acesso em: 4 jul. 2017.

BRASIL, Constituição da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 1988. Disponível em: . Acesso em: 28 jun. 2017.

BUSETTO, Áureo. A Sociologia de Pierre Bourdieu e sua análise sobre a escola. In: CARVALHO, Alonso Bezerra de; SILVA, Wilton Carlos Lima da. (Orgs.). Sociologia e Educação: leituras e interpretações. São Paulo: Avercamp, 2006. p. 113-133.

COLL SALVADOR, César. Aprendizagem escolar e construção do conhecimento. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

MOREIRA, Marco Antonio; MASINI, Elcie Aparecida S. Aprendizagem significativa: a teoria de aprendizagem de David Ausubel. 2 ed. São Paulo: Centauro Editora, 2006.

REGIANI, Anelise Maria; MOL, Gerson de Souza.Inclusão de uma aluna cega em um curso de licenciatura em Química. Ciência & Educação (Bauru). [online]. 2013, vol.19, n.1, pp.123-134. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-73132013000100009 Acesso em: 4 jul. 2017.

SANTOS, Janete dos. Acesso à educação superior: a utilização do ENEM/SISU na Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. (Dissertação) Mestrado em Educação. UFBA: Salvador, BA, 2013. Disponível em: Acesso em: 4 jul.2017.

SANTOS, B. de S. Reconhecer para libertar: os caminhos do cosmopolitanismo multicultural. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

VIGOTSKI, L. S. Psicologia pedagógica. Martins Fontes: São Paulo- SP, 2001.

VYGOTSKY, L. S. Formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes, 1998.




DOI: https://doi.org/10.12957/riae.2018.29457

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2359-6856

 


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 

Indexada em:


 

 

Realização: