RUA-ESCOLA: EXPERIÊNCIAS QUE PROVOCAM A FORMAÇÃO E A PRÁTICA DOCENTE PARA O MUNDO PÚBLICO

Lorena Lopes Pereira Bonomo

Resumo


Defendendo que as práticas sociais são inerentemente espaciais, e que essas constituem, ou deveriam constituir, ponto de partida e chegada das ações educativas, nesse artigo trago contribuições da geografia para pensar a condição espacial da rua e da escola, em seus aspectos educadores para a formação inicial e continuada de professores. Na perspectiva de inventar um currículo circunscrito na centralidade da experiência, apresento narrativas de espaços vividos pelas infâncias/juventudes e pela militância de professores, que destacam as dimensões éticas, investigativas, poéticas e políticas das pesquisas e das práticas docentes, especialmente na educação pública, e que atualizam as formas de ver o lugar-escola.


Palavras-chave


Educação. Geografia. Formação de professores. Experiência. Narrativa

Texto completo:

PDF

Referências


ARENDT, H. O que é política? Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

BENJAMIN, W. Charles Baudelaire, um lírico no auge do capitalismo (Obras escolhidas III). São Paulo: Brasiliense, 1989.

_______. Magia e técnica, arte e política (Obras escolhidas I). São Paulo: Brasiliense, 1994.

_______. Passagens. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2006.

BONOMO, L. Políticas e poéticas infantis na invenção de lugares-comuns. 02 Fev. 2015. 176 f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal Fluminense. Niterói. Mimeo.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Kafka: por uma literatura menor. Rio de Janeiro: Imago, 1977.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GALLO, S. Em torno de uma educação menor. In: Educação & Realidade. Gilles Deleuze. v. 27, n.2, jul/dez 2002. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/25926. Acesso em 20/06/2016

_______. Mínimo múltiplo comum. In: RIBETTO, A. (Org.). Políticas, poéticas e práticas. Rio de Janeiro: Lamparina, FAPERJ, 2014.

LEFEBVRE, H. A revolução urbana. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1999.

LEMINSKI, P. Toda poesia – Paulo Leminski. São Paulo: Companhia das letras, 2013.

MASSEY, D. Pelo espaço: uma nova política da espacialidade. Rio de Janeiro: Bertrand do Brasil, 2008.

MASSCHELEIN, J.; SIMONS, M. Em defesa da escola – uma questão pública. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

MEIRELES, C. A arte de ser feliz. 2005. Disponível em: http://pensador.uol.com.br/frase/MjIzNTMw . Acesso em: 18/06/2016.

MOREIRA, R. O que é geografia. São Paulo: Brasiliense, 2010.

PORTO-GONÇALVES, C. W. Da geografia às geo-grafias: um mundo em busca de novas territorialidades. In: CECEÑA, A.; SADER, E. (Orgs). La guerra infinita: hegemonia y terror mundial. Buenos Aires: Clacso, 2002.

QUINTANA, M. Lili inventa o mundo. Rio de Janeiro: Global, 2005.

SANTOS, B. S. Renovar a teoria crítica e reinventar a emancipação social. São Paulo: Boitempo, 2007.

SANTOS, M. A natureza do espaço. Técnica e tempo. Razão e emoção. São Paulo: Hucitec, 1996.

_______. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. Rio de Janeiro: Record, 2006.

SOUZA NETO, M. O ofício, a oficina e a profissão: reflexões sobre o lugar social do professor. Cad. CEDES [online]. 2005, vol.25, n.66, pp.249-259. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-32622005000200007. Acesso em: 15/05/2016.




DOI: https://doi.org/10.12957/riae.2016.26106

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


e-ISSN: 2359-6856

 


Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 

Indexada em:


 

 

Realização: