FORMAÇÃO DE DOCENTES PARA A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: REFLEXÕES SOBRE A EXPERIÊNCIA DO PIBID INTERDISCIPLINAR

Autores

  • Jaqueline Pereira Ventura Universidade Federal Fluminense
  • Dayana Gomes
  • Daniel Ferreira

DOI:

https://doi.org/10.12957/riae.2016.25695

Palavras-chave:

Educação de Jovens e Adultos. Interdisciplinaridade. Formação de Professores.

Resumo

O presente artigo tem por objetivo apresentar e refletir sobre a experiência de formação docente para EJA no âmbito do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência da Faculdade de Educação da Universidade Federal Fluminense, nas áreas de História e Geografia. O Subprojeto Interdisciplinar: Formação de Docentes para a Educação de Jovens e Adultos realizou-se no Colégio Estadual Guilherme Briggs, em turmas de EJA de nível médio, nos anos 2014-2015. Tendo por referencial teórico a interdisciplinaridade referenciada no trabalho como princípio educativo e nas contribuições da pedagogia histórico-crítica, o relato discute as possibilidades de uma prática interdisciplinar na escola pública no desenvolvimento de ações que respeitem as características próprias do educando trabalhador.

Biografia do Autor

Jaqueline Pereira Ventura, Universidade Federal Fluminense

Doutora em Educação. Professora Adjunta da área de Educação de Jovens e Adultos, no Departamento Educação, Sociedade e Conhecimento, da Faculdade de Educação da Universidade Federal Fluminense.

Dayana Gomes

Estudante do curso de História da  Universidade Federal Fluminense, Bolsista de Iniciação à Docência PIBID/CAPES

Daniel Ferreira

Estudante do curso de Geografia da  Universidade Federal Fluminense, Bolsista de Iniciação à Docência

Referências

BRASIL, Governo Federal. Ministério da Educação. Resolução CNE/CEB nº 1, de 5 de junho de 2000. Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação de Jovens e Adultos. Brasília, 2000.

________. Governo Federal. Ministério da Educação. Resolução nº 1, de 17 de junho de 2004. Estabelece Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Brasília, 2004.

________. Governo Federal. Ministério da Educação. Resolução nº 3, de 15 de junho de 2010. Institui Diretrizes Operacionais para a Educação de Jovens e Adultos nos aspectos relativos à duração dos cursos e idade mínima para ingresso nos cursos de EJA; idade mínima e certificação nos exames de EJA; e Educação de Jovens e Adultos desenvolvida por meio da Educação a Distância. Brasília, 2010.

CASTRO-GÓMEZ, S. Ciências sociais, violência epistêmica e o problema da “invenção do outro”. In: LANDER, E. (Org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais: Perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: Clacso, 2005.

CIAVATTA, M. A interdisciplinaridade e a formação integrada: exercício teórico ou realidade possível? In: _____. O trabalho docente e os caminhos do conhecimento: A historicidade da educação profissional. Rio de Janeiro: Lamparina, 2015.

DI PIERRO, M. C. Balanço e perspectivas da pesquisa sobre formação de educadores/as de jovens e adultos. In: OLIVEIRA, E. F. et al. (Org.). III Seminário Nacional de Formação de Educadores de EJA. Porto Alegre, 2010.

FAZENDA, I. C. A. Integração e interdisciplinaridade no ensino brasileiro: efetividade ou ideologia. 6ª ed. São Paulo: Loyola, 2011.

GASPARIN, J. L. Uma didática para a Pedagogia Histórico-Crítica. Campinas (SP): Autores Associados, 2002.

GONÇALVES, F. dos S.; ALBERTINI, R. A interdisciplinaridade centrada no trabalho como princípio educativo. Belo Horizonte: Trabalho e Educação, n. 3, 1998.

KOSIK, K. Dialética do concreto. São Paulo: Paz e Terra, 1995.

LA BARRE, J. Choque de futuro: o Rio dos megaeventos. In: O Social em Questão, Rio de Janeiro: PUC-Rio, Ano XVI, v. 1, n. 29, p. 43-68, 2013.

MARX, K. O Capital. Vol. I. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1980.

MENDONÇA, S. R. de. A atualidade – quase sempre omitida – do Marxismo: Reflexões sobre história e interdisciplinaridade. Niterói (RJ): Trabalho Necessário, 2004.

PORCARO, R. C. Caminhos e desafios da formação de educadores de jovens e adultos.186f. Tese (Doutorado em Educação) − Faculdade de Educação da UFMG, Belo Horizonte (MG), 2011.

SAVIANI, D. O Trabalho como princípio educativo frente às novas tecnologias. In:

FERRETI, Celso João et alii (org.). Novas tecnologias, trabalho e educação: um debate multidisciplinar. Petrópolis (RJ): Vozes, 1994.

________. Pedagogia Histórico-Crítica: Primeiras aproximações. São Paulo: Editores Associados, 1997.

________. A pedagogia no Brasil: história e teoria. Campinas (SP): Autores Associados, 2008.

VENTURA, J. A trajetória histórica da educação de jovens e adultos trabalhadores. In: CIAVATTA, M.; TIRIBA, L. (Org.). Trabalho e Educação de Jovens e Adultos. Brasília: Líber Livro e Editora UFF, 2011, p. 57-97.

VENTURA, J.; BOMFIM, I. Formação de Professores e Educação de Jovens e Adultos: o formal e o real nas licenciaturas. In: Educação em Revista, v. 31, n. 2, p. 211-227, Belo Horizonte (MG), abril/junho de 2015.

VENTURA, J.; RUMMERT, S. Educação de Jovens e Adultos Trabalhadores: velhos "novos desafios" na política e na formação docente. In: VENTURA, J.; RUMMERT, S. (org.). Trabalho e Educação: análises críticas sobre a escola básica. Campinas (SP): Mercado de Letras, 2015. p. 103-124.

Downloads

Publicado

31-01-2017

Como Citar

VENTURA, Jaqueline Pereira; GOMES, Dayana; FERREIRA, Daniel. FORMAÇÃO DE DOCENTES PARA A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: REFLEXÕES SOBRE A EXPERIÊNCIA DO PIBID INTERDISCIPLINAR. Revista Interinstitucional Artes de Educar, [S. l.], v. 2, n. 3, p. 63–83, 2017. DOI: 10.12957/riae.2016.25695. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/riae/article/view/25695. Acesso em: 28 maio. 2024.